segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Se a estupidez fosse música, a Travessa da Queimada era local de concerto concorrido!...



É minha profunda convicção que para as gentes do Minho, orgulhosas da conquista pela colectividade de Moreira dos Cónegos, do primeiro de um dos três títulos mais importantes do futebol português, a capa de hoje do Jornal A Bola será considerada um verdadeiro ultraje.

De facto, pintar de um grego e desapropriado escarlate, a capa daquele que será sem favor o maior baluarte do jornalismo desportivo português, exactamente no "day after" a uma data que as gentes minhotas nunca mais esquecerão, terá sido um "violento tiro no pé" que na sua cega e descuidada subserviência, os responsáveis pela publicação terão infligido a si próprios, trazendo com toda a certeza como consequência o ostracismo presente e futuro das gentes do Norte, muito provavelmente acompanhadas por todos aqueles que por esse país fora se recusam convictamente a comer gelados com a testa!...

Se a estupidez fosse música, a Travessa da Queimada era local de concerto concorrido!...

Leoninamente,
Até à próxima

10 comentários:

  1. Decididamente "o pasquim a bola" perdeu uma ocasião unica...

    De durante gerações as gentes de Moreira de Cónegos poderem apontar as paredes das tabernas, dos cafés e restaurantes da Região e lembrarem aos seus filhos e netos, olhando a folha amarelecida e possivelmente já mal visivel...
    " Olha isto foi no dia, já há muitos anos...
    Em que ganhámos a Taça da Liga...

    Eu Estive lá...estás a ver acolá com a camisola do Moreirense...?
    Sou eu...olha, aquele era o teu avô...
    E sabes...?
    Para chegar à Final...
    Eliminámos o Porto e o Benfica...!

    Mas convenhamos...
    Porque raio um " jornal de clube"
    haveria de dar realce a outra equipa...e logo na primeira página...?

    Uma vergonha...

    Ou um "fantasma"...?
    SL

    ResponderEliminar
  2. Bem...tenho que mandar o smartphone às malvas...
    Depois de "ter apagado um comentário quase finalizado...
    Mandei um segundo e " apagou-me a identidade...
    Dedos maiores que o teclado... e alguma azelhice à mistura...dá nisso...

    SL

    ResponderEliminar
  3. Muito mau exemplo do que se espera de profissionais, muitos com licenciatura. Depois não se admirem de terem ordenados cada vez mais baixos e com um futuro nada promissor. Geralmente é o que acontece a quem para sobreviver perde a dignidade e coluna vertebral. De qualquer maneira para se prestarem a este tipo de serviço encomendado só vem reforçar que quem lhes pede ou obriga deve estar muito desesperado em relação àsua situação financeira.

    ResponderEliminar
  4. Tanto A Bola como o Record, que encostaram a um cantinho essa vitória, deviam ter vergonha na cara.

    ResponderEliminar
  5. " (...) a capa daquele que será sem favor o maior baluarte do jornalismo desportivo português (...)" Caro Álamo escreveu isto? Ou eu li mal. A capa de hoje diz tudo o que esse jornal se tornou. E não é preciso dizer mais nada! A.A. SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao caro A.A. direi que não leu mal. Pretendi mesmo dizer "baluarte", no sentido, entre outros que os dicionários apontam, de que sustenta ou fundamenta algo, ou seja, ALICERCE, BASE, SUSTENTÁCULO. Tudo porque terá sido 'A Bola', a par de 'O primeiro de Janeiro' e a revista 'Flama', a contribuir, meia dúzia de anos depois da sua fundação, para a aprendizagem das minhas primeiras letras e para a aquisição e sedimentação de alguma cultura de que hoje me orgulho.

      Por mim, ainda vou conseguindo separar as águas e nunca confundirei aquilo em que o jornal se transformou, com aquilo que já foi, quando dirigido por gente de superior e íntegra craveira intelectual.

      SL

      Eliminar
  6. eu como sportinguista antes queria o inácio a treinar o meu clube
    que o JJ

    ganha títulos e ficava mais barato

    o que o meu clube paga ao JJ é um escândalo

    para ganhar BOLA ia lá eu que fazia isso de borla

    venha o inácio para o scp
    e vá o jasus pró moreirense
    e ainda damos uma prenda com lacinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me vejo a pagar jóia e quotas para entrar no "clube de pensadores" a que julgo o caro JotaPê pertencerá!...

      O mérito de Augusto Inácio é indiscutível! Mas os parâmetros que balizam a minha opinião permitem-me separar as águas de forma inequívoca e... sem lacinhos!...

      Eliminar
  7. Compreendi e concordo. Obrigado pelo esclarecimento, Álamo. A.A. SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE