terça-feira, 15 de março de 2016

Uma pena que não tenham estado ambos presentes na pré-época!...


COATES E SEMEDO CONVENCEM JESUS

«... A eficácia de Coates e Semedo fica bem traduzida no facto de o Sporting ter sofrido, contra Estoril, o primeiro golo na Liga desde que ambos partilham a missão no eixo central. Um dado que ajuda a perceber o agrado de Jesus. 

Após fase de grande instabilidade, o treinador parece finalmente ter encontrado a fórmula certa para uma posição-chave na equipa. E tanto assim é que, a partir de agora e até ao final da época, o camisola 13 e o 35 só não jogarão, mesmo, se o técnico for obrigado a mexer para fazer face a impedimento, ou seja , lesão ou castigo.

Coates tem o perfil de líder que Jorge Jesus procurava, compensando alguma lentidão de processos com um posicionamento táctico que faz a diferença e uma capacidade acima da média na saída de bola, nomeadamente no passe longo e em profundidade. Por sua vez, Rúben Semedo destaca-se pela condição física superior à concorrência; a velocidade com que ataca os lances permite ultrapassar pequenas imperfeições técnicas que só o tempo haverá de corrigir. Jesus está convencido com este novo equilíbrio...»
(Vitor Almeida Gonçalves, in Record)


Pese embora a valia e o empenho de qualquer dos restantes centrais do plantel, também para o adepto que sou, esta dupla se superioriza, a larga distância e em todas as vertentes que possamos colocar em análise, a qualquer outra ensaiada por JJ desde o início da época.

Sem desprimor ou culpabilização de quem quer que seja, é minha convicção profunda de que se a partir da jornada 13 do campeonato, JJ pudesse ter contado com Coates e Semedo no centro da defesa, não teríamos assistido à inenarrável "débacle" que nos conduziu à situação actual de completa dependência dos resultados de outros, para alcançar o tão desejado título.

E a sua margem de progressão, quer no que ao entrosamento entre ambos diz respeito, quer na evolução do conhecimento do futebol português que ao uruguaio, naturalmente, ainda teremos de conceder, deixa antever que a breve trecho será alcançado um nível de produção ainda mais elevado, o que tornando o nosso desencanto actual pela situação na tabela clasificativa, quase insuportável, não deixa de constituir considerável suporte de esperança para a próxima época.

Uma pena que não tenham estado ambos presentes na pré-época!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Não concordo. Só no jogo com o Tondela, e só no 2º golo desse jogo, é que se pode considerar que perdemos pontos devido a ineficácia defensiva.
    Em quase todos os outros jogos em que não devíamos ter perdido pontos (União, Rio Ave, Guimarães, Benfica), o problema esteve na ineficácia atacante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que com o União e com o Benfica há também falhas defensivas que permitiram os golos adversários.

      Eliminar
  2. Falhas defensivas provavelmente existirão em todos osjogos, porque nem os melhores craques são robots. Mas, sem desprimor para osrestantes centrais, está dupla parece realmente ser melhor que qualquer outra já testada esta época.
    Dito isto, concordo inteiramente com o caro Tiago - o grande 31 tem sido o ataque. Ou melhor, o problema tem sido a falta de um 31 (Liedson) para complementar o Slimani.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE