sábado, 26 de março de 2016

Talvez ainda possamos ir a tempo de aprender qualquer coisa com Wilmots!...




Se averbámos um derrota frente a uma das mais modestas selecções da Europa e por isso mesmo classificada em 75º lugar no "ranking" global da FIFA e atrás de 36 selecções do seu continente, faço uma pequena ideia dos pesadelos que certamente assaltarão Fernando Santos nas noites que nos separam do próximo desafio, sabendo que dentro de quatro dias nos caberá defrontar, exactamente a selecção que lidera esse mesmo "ranking"!...

Demasiado mau o espectáculo que nos foi oferecido hoje em Leiria pela equipa de todos nós! Custa-me a acreditar que dentro de quatro dias, os 19.355 adeptos hoje presentes, cujo bilhete, por força de uma dramática contingência, lhes permitirá assistir ao próximo "ensaio" da sua selecção, voltem a quase lotar o estádio Magalhães Pessoa. Nem todos serão masoquistas...

É que defrontar uma equipa que, desde o momento em que a federação belga, e já lá vão quase quatro anos, entregou a Marc Wilmots, um dos mais brilhantes jogadores do futebol belga do seu tempo, internacional por 70 vezes e 28 golos marcados, o cargo de seleccionador nacional, galgou impensáveis patamares em eficácia e qualidade de jogo  até alcançar a liderança do "ranking" mundial, será o pior que nos podia acontecer depois da desesperante noite de ontem.

Somos um país com uma população próxima da Bélgica. Logo, com uma capacidade de recrutamento semelhante. Porque será que continuamos, teimosamente, a andar descalços?!...

Talvez ainda possamos ir a tempo de aprender qualquer coisa com Wilmots!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. Na Bélgica não há m€nd€s et al.....

    Na Bélgica não há art€s mágicas que tornam flexível a coluna de seleccionadores aparentemente sérios.....

    Na Bélgica, a federação de la não é um lodo de interesses, controlada por ratazanas de esgoto.

    Actualmente temos um lote de jogadores capaz de lutar pelos 3-4 lugares de topo da Europa (pena não termos pontas de lança *).

    Infelizmente, não temos nem treinador nem equipa....


    * consta que há um interessante a jogar no leste. Consta também que temos uns jovens interessantes para a posição mas é mais importante dar minutos a miúdos para posições onde temos de sobra , Como meio campo e alas..


    ResponderEliminar
  2. Grande lapso, não temos treinador nem equipa nem federação..

    ResponderEliminar
  3. Não é previsível que, em 3-4 dias, se crie uma ideia de jogo...que nunca houve.
    É certo que criamos as oportunidades suficientes para golearmos uma selecção "bulgar" (não resisti a esta...), mas também me parece certo que o nosso jogo foi comandado pela competência individual.
    Mas isto digo eu, espectador de bancada.

    ResponderEliminar
  4. Caro Álamo:
    Estará a diferença em Wilmots convocar pela sua cabeça e não pelos interesses de outrém. Na realidade, colocar aquele jovem a guarda-redes, ter dois centrais cuja idade soma quase três quartos de século, um caceteiro a defesa esquerdo e fazer o acontecimento do jogo ser a estreia do adtro fabricado pelos jornais, para ver se o presidente do seu ( dele, Fernando Santinho) o venda antes de descobrir que não é a sétima maravilha do mundo, dá nisto.
    Um Abraço,
    José Lopes

    ResponderEliminar
  5. Diria mesmo que o espaço de recrutamento da selecçāo portuguesa tem sido bem maior que o da selecçāo belga, já que para efeitos práticos tem-se estendido a vários países africanos e, claro, ao Brasil. Nesses países, Portugal tem "pescado" muito mais que a Bélgica. O problema é o resto, que vários comentadores já referiram.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE