quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Vai ser longo este "telejornal"!...



"Isto não é o Telejornal"!...


E ao segundo dia do julgamento do ataque à Academia Sporting, mesmo não estando presente o seu constituinte, brilhou o advogado de Bruno de Carvalho, Miguel A. Fonseca, já que ao pedir para inquirir um dos militares da GNR, Tiago Mateus, acabou interrompido pela juíza, com a expressa recomendação de "Deixe-se de apartes e faça perguntas". A recomendação terá entrado por um ouvido do causídico e saído pelo outro e vá de tentar novamente interrogar o militar, recorrendo, para baralhar, a uma confusa introdução, imediatamente interrompida de novo pela juíza com uma frase lapidar: "Isto não é o 'Telejornal'. Faça as perguntas".

O advogado pretenderia saber se o nível de desarrumação no balneário da Academia era muito diferente dos dias de jogo ou de treino ao que o militar da GNR terá respondido que já tinha estado em Alcochete como socorrista do INEM, mas que desta vez havia coisas danificadas como, por exemplo, o vidro partido  de uma porta. Perante esta resposta, o advogado de Bruno de Carvalho terá concluído, impante, "É por isto que queremos uma reconstituição".

Vai ser longo este "telejornal"!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. Já percebi que o interesse deste blog é enterrar BdC e com ele o SCP.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "...e com ele o SCP" é que o DS terá percebido ao contrário, mas nunca tive muito jeito para o desenho! Lamento...

      Eliminar
  2. O homem( Bruno de Carvalho) julgava-se tã grande que no epílogo da sua paranoia chegou a dizer :"não sei se o Sporting me merece"!!!!
    Foi público durante um telejornal. Como continua a ter tantos seguidores é mistério.
    O Sporting esteve capturado por gente sem classificação e perigosa. Só por essa luta, contra as claques, o presidente Varandas merece todo o nosso apoio.

    ResponderEliminar
  3. Até, agora, além do circo e da vontade à priori de condenar em praça pública, provas concretas, nada!... E E percebe-se que com a precariedade destas provas o tiro irá mesmo sair pela culatra...

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE