quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Ser Sporting não se reclama, não se explica, não se presume, somente se vive... ou não!...


"NUNCA VI OS RIVAIS TÃO NERVOSOS" (LINK)

«RECORD: Como parte activa da reestruturação financeira, importa esclarecer: foi Godinho Lopes quem a fez, como o próprio reclama?

JOSÉ MARIA RICCIARDI – Não. No tempo de Luís Godinho Lopes, o Sporting incumpria permanentemente com os orçamentos que apresentava aos bancos. E tinha prejuízos elevadíssimos. São factos. O ambiente não era propício a qualquer espécie de reestruturação, que aliás não se fez. Mais. Na altura, o vice-presidente com o pelouro financeiro [José Filipe Nobre Guedes] até já estava a preparar um PER [Processo Especial de Revitalização]. Quando se está a fazer uma reestruturação, não se prepara um PER, não é?

R: Prepara-se uma falência?

JMR – PER é uma protecção de credores, não tem nada a ver com reestruturação bancária. O Sporting estava perto da falência, isso é indiscutível. Tinha perdido a credibilidade junto aos bancos e os bancos estavam decididos a não acorrer mais às necessidades de tesouraria do clube. Portanto, quem efectivamente fez a reestruturação foi Bruno de Carvalho. Tive a oportunidade de colaborar, através do banco de investimento a que presidia na altura [BESI]. Essa reestruturação foi extraordinária, muito bem conduzida.

R: Com negociações duras...

JMR – Muito. Mérito total de Bruno de Carvalho e Carlos Vieira, é preciso que se diga. E de Guilherme Pinheiro. Resultou numa reestruturação extremamente positiva para o Sporting. Gostava que isso ficasse bem frisado, porque é a verdade.

R: Ainda assim, pode ficar em risco a maioria na SAD com a conversão dos VMOC em 2026?

JMR – O Sporting tem de se munir dos fundos necessários a adquirir uma parte desses VMOC, de maneira a manter a maioria da SAD, conforme é promessa da direcção.

R: Não está preocupado?

JMR – Não. Pela situação financeira do Sporting, pela equipa directiva, por aquele que é o treinador que mais valoriza os jogadores em Portugal, pelos novos contratos com a NOS, pelo aumento das receitas, pela presença na Liga dos Campeões. Não tenho qualquer dúvida de que o Sporting irá ter os meios para resolver este problema.

R: Diz que Jesus é quem mais valoriza os jogadores em Portugal...

JMR – Parece-me indiscutível.

R: Se Madeira Rodrigues for eleito, ele deixará o Sporting.

JMR – Pedro Madeira Rodrigues tem legitimidade, se ganhar, de poder escolher outro treinador. Correcto. Não vejo problema.

R: Mas entende que Jesus é a pessoa certa no lugar certo?

JMR – Disso não tenho qualquer dúvida. Aliás, nunca vi os nossos rivais tão nervosos como agora para desfazer esta dupla, Bruno de Carvalho e Jorge Jesus. Nunca vi. Há muitos anos... Com as outras direcções, a que eu pertenci, estavam sempre muito contentes, nomeadamente com as últimas... Estavam contentíssimos.

R: Acredita que o Sporting será campeão no próximo mandato?

JMR – Com certeza. É preciso perceber outra coisa. Um clube que está sempre a mudar de presidente e de treinador não vai a lado nenhum. Veja-se há quantos anos o senhor Jorge Nuno Pinto da Costa está a dirigir o Porto. E há quanto anos Luís Filipe Vieira está no Benfica. Já se fez um grande trabalho mas é preciso tempo. E o ano passado não fomos campeões por muito pouco.

R: Esperava-se mais este ano.

JMR – Acontece. Mas estamos no caminho certo. 

R: "José Maria Ricciardi queria ser dono do Sporting, escolher presidentes, até jogadores." Como responde a esta acusação de Pedro Madeira Rodrigues?

JMR – Acho ridículo e um atestado de menoridade aos sócios. Os presidentes do Sporting não são escolhidos por ninguém. Quem os elege são os sócios. E em todas as eleições houve alternativas. Acho isso absolutamente ridículo. Segundo ponto: nunca indiquei jogador nenhum, nem treinador. Nunca me meti nessa área, porque fiz parte de conselhos fiscais. Pedro Madeira Rodrigues deve ter sido mal informado.

R: A mesma lista acusa a actual direcção de falar em demasia do Benfica. Concorda?

JMR –Aceito. Esta direcção não é perfeita, ninguém é. Pode ter incorrido nalguns erros. Mesmo assim, fez um trabalho absolutamente notável face à situação em que o Sporting se encontrava. 

R: Esteve muitos anos no Conselho Fiscal e Disciplinar. Por que aceita agora fazer parte da lista de Bruno de Carvalho ao Conselho Leonino? 

JMR – Tenho grande prazer em colaborar com o Sporting. São funções em que eu posso participar, ao contrário de outras, cuja intensidade não permitiria, por causa dos meus projectos e da minha vida profissional.

R: "Ganhe quem ganhar, tem de ser de goleada", para citar Bruno de Carvalho?

JMR – Eu sou um democrata: a partir de 50% é vitória. Aliás, na política, com o nosso sistema eleitoral, nem é necessário. Estou convicto de que Bruno de Carvalho irá ganhar as eleições. A percentagem para mim não é o mais importante.

R: Não tem dúvidas sobre quem vencerá?

JMR – Certezas só no dia do acto eleitoral. Não tenho esse pretensiosismo. Mas tenho a forte convicção de que esta lista irá ganhar as eleições.»

Se porventura eu não pertencesse àquele grupo de sportinguistas capaz de separar entre a legião imensa de adeptos do Sporting Clube de Portugal, o trigo do joio, aqueles que durante as suas vidas procuram servir o Clube na medida das suas possibilidades e capacidades e os outros, aqueles que para ele olham apenas como mero instrumento ou veículo dos seus próprios interesses, talvez não trouxesse para aqui a figura de José Maria Ricciardi ou, se o fizesse, seria para o enxovalhar através de termos menos próprios, deselegantes e injustos, como amiúde todos temos visto por aí.

Mas porque desde há longo tempo me surpreendi e habituei a ver na figura deste homem que, sem nunca negar ou recusar, legitimamente, as suas origens e todo o conjunto de privilégios que o destino entendeu colocar-lhe nas mãos, sempre teve a coragem de afirmar os seus profundos afectos a uma centenária instituição que o orgulha e à qual nunca regateou os seus melhores esforço, dedicação e devoção,  entendi que ele mereceria esta singela homenagem que aqui e agora lhe presto, num momento importante para o futuro do Clube que a todos deveria unir.

A dimensão da surpresa que terá causado a sua clara opção por uma das trincheiras nesta "guerra eleitoral" que a grande nação leonina vai vivendo, tanto terá provocado o espanto e o júbilo daqueles a que se juntou, quanto o desprezo, o escárnio e o deselegante e incompreensível insulto do outro lado da barricada. Contudo e por paradoxal que a muitos pareça, nesta curta entrevista ao jornalista de Record, Vitor Almeida Gonçalves, em nenhum momento José Maria Ricciardi ousou descer ao nível do vilipêndio e da deselegância de que ordinária e recentemente tem sido vítima e, para rebater e reduzir a pó os argumentos de uma oposição impreparada, mentirosa e provocadora, bastou-lhe disparar o "canhão da verdade" para arrasar completamente tudo o que mexia no campo adversário... 

Ser Sporting não se reclama, não se explica, não se presume, somente se vive... ou não!...

Leoninamente,
Até à próxima

6 comentários:

  1. Caro Álamo:
    O que diz é bem verdade. No Sporting, infelizmente, tem-se ultimamente utilizado a clássica táctica tão portuguesa de que tudo o que foi feito até certa altura, e todas as figuras que estiveram ligadas ao nosso centenáio Clube, são todas pessoas desprezíveis, e só os jovens turcos que brotaram por geração espontânea nos últimos anos, e agora povoam camarotes, lugares VIP e até o nosso canal de TV, botando faladura a respeito de tudo e mais um par de botas, é que são do melhor que há no mundo.
    Os extemismos, quaisquer que sejam, sempre me provocaram uma urticária desgraçada.
    Estará por contar o papel, ao que sei fulcral, do Dr. Ricciardi nos acordos de reestruturação do Sporting. Como Homem vertical e educado que é, não o vi jamais colocar-se em bicos dos pés a pedir louros.
    Mas enfim, o tempo, esse grande nivelador, um dia dirá quem fica e quem será soprado como poeira que é, na memória do Clube.
    E, antes que comecem as pedradas dos avençados, nada do que falo se refere ao Presidente, como o meu Amigo muito bem sabe. Desse, tenho a opinião que consigo já partilhei, e a esperança de que a experiência no cargo lhe vá polindo as arestas que, naturalmente, ainda vai apresentando.

    Um Abraço deste seu sempre leitor atento e Amigo,

    José Lopes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caríssimo e estimado Amigo José Lopes, o seu comentário não me surpreende e apenas vem reforçar a elevadíssima consideração que desde sempre me mereceram a sua pessoa, a sua postura, o seu pensamento e a sua concepção de sportinguismo, com os quais me identifico completamente, sendo um privilégio inalienável tê-lo como Amigo e leitor, sempre atento como diz e que eu pressinto em cada texto mais polémico que tantas vezes produzo e por aqui deixo...

      Hoje mais uma vez isso me aconteceu antes de publicar este texto sobre José Maria Ricciardi e creia o Amigo, que antes de o publicar algo me disse que lá longe e sob essas barbas grisalhas, brilharam uns olhos amigos de assentimento que me impeliram para o último e definitivo clic na tecla Enter.

      Com um bem haja sincero e comovido, permita-me que lhe dedique o título do post.

      Um abraço do tamanho do nosso Sporting

      Eliminar
  2. Não compreendo como se ataca o Ricciardi, de quem apenas nunca ouvi "chamar de santo"...
    E se lança "água benta" sobre o primo Ricardo Salgado...só porque é lampião...!!

    Tenho a certeza que em parte a Direcção de Bruno Carvalho, conseguiu levar por diante a reestruturação do Clube, porque deve ter contado com a experiencia de Ricciardi, nos assuntos ligados à Banca...

    E não me venham para cá om as histórias de que "perdoaram" divida ao Sporting...não perdoaram, apenas a reestruturaram de maneira a "não acabar" pura e simplesmente com o Clube e sem que a Banca por sua vez acabasse por receber pouco a pouco, a totalidade da dívida...

    É que se não fosse assim, teria certamente acontecido com a divida do Sporting, o mesmo que aconteceu com as dividas de muitos mais milhões ao BES das empresas de Luis Filipe Vieira, do sócio dos lampiões Berardo e muitos outros...
    Dividas que a seu tempo...serão pagas por todos nós contribuintes...

    SL

    ResponderEliminar
  3. JMRicciardi é um grande sportinguista, desde sempre. E pelo visto e escrito, bastante esclarecido. Obrigado Álamo, pela transcrição da entrevista. SL

    ResponderEliminar
  4. Este também é um dos tais que deveria estar na cadeia.
    VMOC's e nervosismo. Tá bem tá!

    Leão da Estremadura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó Leão da Estremadura, olhe que difamação, que do seu comentário até poderá resultar agravada, é um crime grave! E tenha atenção que o anonimato e a utilização do pseudónimo "Leão da Estremadura" não o livram de ser perfeitamente identificado! Não seja pueril, voluntarista e superficial a esse ponto! Olhe que nem o primo ainda foi condenado e os indícios são incomparáveis!...

      Eliminar

PUBLICIDADE