quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Mais valia ter feito uma rosca!...



HÁ VIDA PARA ALÉM DE BAS DOST?

«O gigante holandês que trocou um lugar confortável na Bundesliga pelo desafio de triunfar em Alvalade tem a temporada ganha. Independentemente daquilo que o Sporting fizer nos próximos meses, Bas Dost já será sempre um dos destaques do campeonato. Slimani tinha deixado a fasquia muito alta e, portanto, a missão nunca seria fácil. À entrada para a 20.ª jornada, no entanto, o saldo é amplamente favorável a Dost: fez esquecer o argelino num piscar de olhos e já ameaça, até, os registos de um herói chamado Jardel.

Percebe-se desde o primeiro momento que há muitas diferenças entre os dois jogadores. E foram essas mesmas diferenças que implicaram mudanças substanciais na forma de jogar do Sporting, sobretudo na hora de iniciar a organização defensiva. O processo foi retocado e Bas Dost já sabe hoje tudo aquilo que precisa de fazer quando é preciso partir à (re)conquista da bola. O que não está muito diferente é a eficácia no momento da finalização. Se Slimani marcava muito, Bas Dost marca ainda mais.

Jorge Jesus já tinha levantado a questão da "Dostopendência". E ela existe, de facto. Com 19 jornadas decorridas, o holandês fez praticamente metade dos golos que o Sporting tem na Liga: 45%, para ser exacto. Torna-se assim difícil imaginar o que seria o futebol dos leões se não existisse Bas Dost. Os avançados que chegaram a Alvalade com JJ fracassaram quase todos. Chumbaram Barcos e André e estão também a chumbar Alan Ruiz e Castaignos. Teo foi um êxito relativo.

O novo ídolo de Alvalade não é só o jogador mais caro na história do clube. É também um daqueles bichos de área cada vez mais difíceis de encontrar. Para já, é líder na Bota de Ouro europeia, com 16 golos. Imagine-se se a equipa estivesse ao nível da última época.»
(Nuno Farinha, Entrada em Campo, in Record)

Será em absoluto louco ou então ingénuo poeta de lírica medieval caída em desuso, todo o adepto sportinguista que porventura se deixe inebriar e embalar por esta "crónica de bom malandro" que uma tão qualificada "ave de rapina vestida de cordeiro" pretendeu impingir aos leitores do jornal de que se serve para dar cumprimento a tudo menos aos justos anseios de uma carreira jronalística que jamais estará no seu horizonte. A estratégia é clara e o "pobrezito do benfas" já não engana ninguém: é óbvia a sua intenção de subverter a qualidade do "pão"!...

Exactamente porque fazendo tábua rasa da argúcia leonina, entendeu, com pueril presunção, ser capaz de conseguir que esta venha alguma vez a poder pensar em "amassar" uma tão estranha quanto ázima e intragável massa, desperdiçando a farinha e aproveitando o farelo?!...

Mais valia ter feito uma rosca!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. Este so engana os incautos. Ele nasceu para ser ave de capoeira com pretencoes a ave de rapina.

    ResponderEliminar
  2. Alamo,
    Pergunta-lhe entao,apos brilhante desertacao do farelo, como ele explica que Bas Dost custou 12M€ e Islam Slimani custou 35M€?
    SL

    ResponderEliminar
  3. Um dos cabecilhas do #daeshlampionico não engana ninguém!
    "...com JJ fracassaram quase todos"... é só ver a performance "AC" e "BC" do Slimani!
    SL
    Leão Paulista

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De pé o meu forte aplauso para "Leão Paulista" e para a terminologia que pela primeira vez vejo utilizada na blogosfera leonina: "daesh lampiónico"!...

      "Estado lampiânico" será uma expressão demasiado "soft" e indulgente, dado que de pejorativo apenas terá a relação umbilical com o criminoso brasileiro Lampião, o que se me afigura demasiado escasso face às circunstâncias históricas e contemporâneas!...

      "DAESH LAMPIÓNICO" será como "sopa no mel", "escarlate sobre vermelho"!...

      Forte abraço e SL

      Eliminar

PUBLICIDADE