quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Uma derrota que sabe a vitória!...



A corda partiu por onde, desde o início do processo, todos sabíamos que era suposto partir, a começar por Bruno de Carvalho, Carlos Vieira e Corpo Jurídico do Sporting! Este foi, é e continuará a ser o destino de todos aqueles que, no futebol em particular, se colocam nas mãos da agiotagem financeira internacional sem rosto, que vive à custa do desporto-rei. A diferença estará na forma como o Sporting assumiu a desmontagem de um esquema financeiro fraudulento que, no futebol, tem vindo a servir os interesses de muita gente por esse mundo fora, nomeadamente neste país de corruptos, ladrões e vigaristas, de que toda a gente séria e honesta conhece os nomes!...

Três enormes vantagens terão resultado para o Sporting neste inclassificável e milionário imbróglio:

1 - O arranque imparável da construção do Pavilhão João Rocha.

2 - A redentora vacina que parece ter sido inoculada no Sporting.

3 - A definitiva descredibilização universal da Doyen.

Uma derrota que sabe a vitória!...

Leoninamente,
Até à próxima

6 comentários:

  1. Sou sportinguista mas peço desculpa não concordo com a análise feita. O bom nome do clube saiu prejudicado. Para mim foi gestão precipitada. E andamos nos a julgar ex-presidentes. Tenho a certeza que se fosse o sr Presidente a pagar do seu bolso se calhar as coisas seriam diferentes. Mas quem paga é o clube e por isso acontecem estas coisas. Já não bastava a derrota de domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas o Clube pagou "do seu bolso" ou pagou com os valores recebidos do MU... e ainda sobrando uns pozinhos?
      E não ganhou a exposição negativa da Doyen?
      E não se terá ganho essa coisa despicienda, pelos vistos, o Pavilhão?

      Eliminar
    2. Com excepção dos juros, o Sporting vai pagar o que sempre pagaria.

      O negócio já estava feito desde os tempos em que Rojo foi contratado.

      Pelo meio, e como bem refere o Liondamaia, avançou-se para a construção do Pavilhão com financiamento da Doyen.

      Continuo a achar que não foi nada mau negócio, tendo servido também para alertar para as sangue-sugas dos fundos e certamente evitará que se voltem a repetir contratações deste tipo no futuro onde todos ganham...menos o Sporting!

      Por último, se este modelo de contratações com recurso aos fundos se tivesse mantido até aos dias de hoje, quando teríamos recebido pelas vendas de João Mário e Slimani?

      Eliminar
  2. Era o esperado amigo Álamo, esta decisão só vem provar que afinal a corrupção é igual seja Suíça ou Portugal, mas como diz o amigo: Foi uma derrota com sabor a vitória, conseguimos livrar-nos dessa agiotagem toda e vai ser bem bom assistir ao "estertor" da agonia da doyen e claro temos o pavilhão....

    SL

    ResponderEliminar
  3. - "O bom nome do clube saiu prejudicado". A sério que foi o bom nome do clube e não o mau nome da doy - doy que saíu prejudicado?
    - "E andamos nós a julgar ex-presidentes" Mas então o negócio Rojo foi uma "obra prima" de um EX-PRESIDENTE ou do actual?
    Só disparates...

    SL

    ResponderEliminar
  4. Muita gente não sabe que o Sporting não vai pagar nada (pagará alguns juros; mas essa verba permitiu o arranque das obras do Pavilhão)... Vai é devolver o valor dos 75% à Doen. Pôr em causa o bom nome, por litigar com uma quadrilha.. Posso-me rir...

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE