sábado, 20 de dezembro de 2014

Responsabilidades


“Neste momento, o nosso sentimento não é de alegria perante as últimas exibições. Como responsável máximo pelo clube, pela SAD e pelo futebol, na análise imperativa do caminho percorrido, assumo a minha responsabilidade. Mas é preciso que os demais envolvidos assumam com frontalidade a sua quota-parte. É necessário deixar de se ter medo, dar a cara e deixar de justificar cada mau resultado ou má exibição com chavões ou filosofias românticas.”

Parece-me absolutamente legítima esta declaração do Presidente do Sporting: assumir as suas responsabilidades e ao mesmo tempo estendê-las de modo evidente, claro e abrangente a toda a estrutura do futebol, sem que nas suas palavras se vislumbre, na minha óptica, a mais pequena ou insignificante excepção!

Como sportinguista, sócio e adepto desiludido com a campanha do futebol desde o início da época, com as expectativas defraudadas por demasiadas coisas que não se têm sequer aproximado dos objectivos propostos, sem meias tintas ou tergiversações, não tenho naturalmente dúvidas em elencar, quantos se seguem ao Presidente, na longa lista de responsáveis por tudo o que de menos bom tem acontecido no Sporting: Augusto Inácio, Virgílio Lopes, Marco Silva e atletas! Porque a cada um cabem evidentes e gritantes responsabilidades. Certamente diferentes de caso para caso, tanto no grau quanto no modo, mas responsabilidades, apenas ultrapassáveis pelo seu reconhecimento e por uma férrea vontade de conseguir modificar o que de menos correcto e agradável tem sido conseguido.

Não fará qualquer sentido colocar na praça pública a definição clara e objectiva das responsabilidades que caberão a cada um. Nem a grandeza do Sporting e o grande amor dos adeptos ao seu Clube de sempre, alguma vez o permitirão! Será porventura neste ponto que deveremos estabelecer as diferenças de que nos orgulhamos. Mas que a nenhum dos visados passe pela cabeça, que os sportinguistas não as conhecem de sobejo. Os adeptos do glorioso Sporting, têm a noção clara, da qualidade e importância de tudo o que de menos correcto tem sido feito por cada um e esperam, naturalmente, que as palavras do Presidente não tenham sido apenas atiradas ao vento.

A começar por Bruno de Carvalho e a terminar em Paulo Gama, o escrutínio de todos os que amam o Sporting, nunca terá sido como hoje, tão abrangente e com grau de exigência tão elevado.

Leoninamente,
Até à próxima

Sem comentários:

Enviar um comentário

PUBLICIDADE