domingo, 7 de dezembro de 2014

Isto não vai lá, apenas com fetiches e fé !...




Hoje no Campo Engenheiro Carlos Salema, em Marvila, a equipa B do Sporting terá dado um pequeno passo na sua desesperada fuga à terrível Lei de Murphy em que se vinha enleando nas últimas seis jornada: zero golos e zero vitórias!...

Mas tanto o resultado, quanto as crónicas do jogo, falam-nos das dificuldades tremendas que os jovens leões tiveram de superar. Um golo de bandeira de Ryan Gauld aos 28 minutos, parecia ter acabado com a malapata das últimas seis jornadas. Mas apenas quatro minutos depois, Tobias Figueiredo entendeu poder jogar andebol dentro da área e o marvilense Mauro Bastos, foi muito para além do cartão amarelo mostrado por Luís Ferreira ao central leonino e converteu o penalti do empate com que as equipas chegaram ao intervalo.

Na segunda parte, completamente diferente do marasmo e do péssimo futebol em que haviam decorrido os primeiros 45 minutos, houve mais futebol e bastante mais intensidade, com golos e oportunidades para ambos os lados, com o Sporting a materializar algum ascendente e a conseguir aos 51, 72 e 76, por intermédio, respectivamente, de Sacko, Cissé e Iuri Medeiros.

E quando se adivinhava a goleada, o major aviador americano voltou a fazer das suas, e o Oriental, em apenas 5 minutos, aos 79 e 84, por intermédio de Bruno Aguiar bem lá do meio da rua, reduziu para a diferença mínima e até final da partida, chegou a ouvir-se nas bancadas o tremer das perninhas e dos dentes dos leões, cuja sorte foi o defunto Murphy ter um compromisso noutro lado qualquer. Esperamos todos que tenha partido para muito longe e que não volte mais até ao fim da época!

Alguns sportinguistas contaram-me, que a categoria individual dos nossos leões, estará a anos luz dos adversários que hoje lhe couberam. Mas que o seu jogo colectivo será uma arrepiante confusão, uma amálgama de voluntariedade individual, onde dificilmente se poderão notar, tanto a implementação de um sistema consistente de jogo, quanto a assimilação e sedimentação de processos colectivos, ausentes desde o início da temporada.

Reina na massa adepta leonina uma dúvida séria: treinarão estes supostamente talentosos leões, durante a semana?! Ou será que se reunem apenas nos dias de jogo, trocam uns bitaites uns com os outros e ouvem a palestra de João de Deus, momentos antes de entrarem em campo?!...

Para além da redentora deserção do major Murphy, depois do último golo dos marvilenses, terá ficado a sensação de mais um péssimo jogo desenvolvido por estes leões, abandonados apenas à sua sorte, depois de colocarem o pé direito na relva, fazerem o sinal da cruz e darem o clássico beijo, na cruz do polegar com o indicador. E isto não vai lá, apenas com fetiches e fé!...

Leoninamente,
Até à próxima

2 comentários:

  1. Não faço ideia de quem aconselhou João de Deus ao Sporting e que currículo apresentou o treinador para ser "o eleito".
    Mas sei que este treinador, nos seus tempos na Oliveirense, tinha a equipa a jogar em pontapé para o ar e lá para a frente -tinha 5-6 torres na equipa, valha a verdade. Quando treinou o Gil...bem, nem o Fiuza gostou!
    Contudo, demos-lhe a oportunidade...e João de Deus dá-nos o que pode e sabe.
    Vi partes da 1ª parte do jogo desta tarde e é inconcebível aquele futebol. Futebol? Aquilo é pontapé para a frente, é jogo sem anexo e sem ter em conta o tipo de jogadores que temos.
    João de Deus nunca treinou uma equipa de ataque e quando lhe deram uma equipa recheada de internacionais (jovens), jogadores com elevada qualidade técnica, com escola, o homem ficou ...nu.
    Não quis ver a 2ª parte. Marcaram-se 3 golos mas, pelo que li, foram golos criados pelos jogadores, sem que se vislumbrasse futebol colectivo, ou seja, mau futebol e grande eficácia.
    Sabem? Custa ver tanto talento em "ponto morto" ou a fazer "marcha atrás" e, com este treinador, não há volta a dar, ele não sabe mais.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Liondamaia, o meu conhecimento sobre o valor de João de Deus, não vai além da noção que tenho do seu curriculum académico e do que agora tenho visto a equipa do Sporting a produzir, e que me decepciona profundamente, como se pode inferir do que ainda hoje escrevi.

      Sinceramente, penso que sete jogos à frente da equipa já seria tempo suficiente para ver melhorias em relação à péssima preparação que recebeu de Barão. Vou aguardar mais dois ou três jogos para chegar a uma conclusão. No entanto, pelo que me diz do seu trabalho na Oliveirense e pelo pouco que me foi dado apreciar no Gil, já coloquei os meus dois pés atrás...

      Com a vitória de hoje, talvez lhe sejam dadas mais oportunidades. Uma terceira "chicotada" nesta altura do campeonato, seria terrível, mas quem sou eu para emitir uma opinião?! Bruno de Carvalho e Augusto Inácio estarão em melhor posição para o fazer...

      SL

      Eliminar

PUBLICIDADE