quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Talvez o Professor ainda vá a tempo de salvar Varandas!...



Tinha planeado fazer, em tempo suficientemente alargado que me permitisse uma reflexão abrangente e profunda, um balanço sério e sustentado sobre o "futebol do Sporting", a viver actualmente, salvo melhor opinião, o clímax decorrente de anos e anos, décadas até, de sucessivos improvisos, falaciosas genialidades e perniciosos, mesmo que bem intencionados, atabalhoamentos de quem, embora democraticamente colocado no topo da pirâmide do poder leonino, nunca revelou possuir cultura e saber suficientes para abraçar tão exigentes missões! E os resultados todos nós os conhecemos: um jejum de 18 anos apenas interrompido, por pura circunstância e sem alicerces sustentáveis, no dealbar do milénio, inexoravelmente seguido de novo jejum igual que, desgraçadamente, arrisca bater o anterior!...

E quando os meus planos, tudo o indica, se viram feridos da impensável e atroz inexequibilidade, que decorre da falta de visão e/ou mau aconselhamento, ironicamente patentes no "velho rumo" que se adivinha ou anuncia em Frederico Varandas - que parece nada ter aprendido neste primeiro ano de mandato à frente dos destinos do Sporting! -, senti-me na necessidade de interromper o "balanço" que projectara, ainda que nem a meio o tenha conseguido levar, para vir até ao meio da rua gritar: alto aí, parem por favor, que o rei vai nu!...

Está na cara que Frederico Varandas, como quase todos os seus antecessores à excepção do grande e eterno presidente João Rocha, não percebe nada de futebol! Será um excelente e reconhecido médico, navegando com competência na difícil área da medicina desportiva. Mas de futebol, do futebol verdadeiro e repleto de escolhos como o que vamos tendo por cá, aqui e agora, perceberá tanto quanto eu de medicina desportiva, ou de lagares de azeite!...

Mas tem sido esta "presunção e água benta" que tem destruído o futebol do Sporting de há quatro décadas para cá: sucessivos presidentes armados, e perdoem-me o anglicismo, em "football global managers", quando e a meu ver, apenas foram eleitos para levar o Sporting Clube de Portugal ao melhor, mais seguro e acolhedor "porto do mundo". E, inevitavelmente, "fracos reis tornam fraca a forte gente"!...

A urgência desta minha contribuição, não me permitiu condimentá-la como desejaria. Mas, felizmente, a blogosfera leonina, e nela um dos meus autores predilectos, Pedro Azevedo, autor do blog "Castigo Máximo", veio hoje a terreiro com um título "Uma nova visão, um novo plano", um desenvolvimento e uma conclusão, que me permitem, primeiro aplaudir, depois comungar integralmente e, finalmente avançar com esta 'muleta' que nem pedi emprestada ao autor, mas que ele certamente me desculpará o 'abuso', porque "o meu amor ao Sporting é assim" e, estou certo, ele não deixará de compreender...

O Sporting não precisa que Frederico Varandas seja um "expert" em futebol. O Sporting apenas necessita que o seu Presidente, seja humilde, inteligente e que deseje apenas e tão só, o melhor para o Clube...

O Sporting precisa, já, aqui e agora, de um... DDT! Um "dono de todo o seu futebol"! Um homem que cultural e tecnicamente represente o que de melhor o futebol e o país terão produzido até hoje! Alguém capaz de impôr no Clube sem peias, sem embaraços e cujo "prazo de validade" apenas se esgote no final do mandato de Frederico Varandas, uma "filosofia nova"! Alguém com uma dimensão compatível com a dimensão do Sporting! Porque o Sporting não é, nem nunca deverá ser, um "banco de ensaios" de horizontes e/ou propósitos ananicantes!... 

Que Frederico Varandas e mai-los mais próximos, Hugo Viana, Roberto Severo e talvez mais uns quantos, obviamente defensores do "status quo" que vai destruindo o Sporting em cada passo que vai dando nestes 'terríficos dias', se deixem, definitivamente, de... 'caramelices'!...

Não haverá em Portugal, hoje por hoje, a meu ver e creio não estar sozinho, alguém capaz de superar o inigualável património humano, cultural e técnico do... Professor Jesualdo Ferreira!...

Talvez o Professor ainda vá a tempo de salvar Varandas!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Alamo,
    Ainda bem que voltaste, Entendo a tua vontade de ter uma licença sabatica e refletir mas a verdade é esta, o clube está em emergência.
    É começo logo pelo teu título, discordo, nada nem ninguém pode salvar Varandas , o seu tempo chegou ao fim, foi amador demais.
    Mas no meio do teu discurso tocaste no ponto fulcral, o modelo de eleição está obsoleto, qualquer um que pense que tem condições candidatar-se e vai a jogo dando no que deu, e a malta vai na esperança e dá recorrentemente asneira, o passado recente bem demonstra.
    O Sporting precisa de uma geringonca, uma lista aglutinadora dos melhores Sportinguistas em cada área e que o lema seja "competencia comprovada e cada macaco no seu galho".
    O universo de Sportinguistas é suficiemente rico em gente capaz de salvar o Sporting desta espiral negativa que vem trilhando.
    O tempo escasseia e o rumo certo é nuclear,chegou a hora dos grandes Sportinguistas se chegarem a frente e dizerem presente.
    Como diz o outro "Isto não está para miúdos".
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu estimado e leonino amigo João Antunes, percebo a tua decepção em relação ao sistema eleitoral vigente no Sporting. Mas a democracia, sendo o mais perfeito de todos os sistemas até hoje 'inventados' pelo homem, conterá, como dizes e bem, malefícios dificilmente ultrapassáveis. Na política, quanto no futebol e tantas outras actividades! Dai eu entender e deixar transparecer no meu postal, necessitar o Sporting de um novo paradigma para o seu modelo de todo o futebol: nunca se poderá exigir de um presidente que domine todas as áreas da governação! E sendo o futebol o sustentáculo de toda a actividade desportiva do Clube, será imperiosa e urgente a coragem da parte daqueles que elegermos, de renunciarem ao insistente e quase irrecusável apelo do futebol e fazerem-se substituir por alguém... QUEM SAIBA DA PODA!... E que seja esse "alguém", a escolher treinadores, demais técnicos e jogadores, a escolher quem melhores credenciais apresente para implementar o seu projecto, repito, o "seu projecto" e jamais o projecto de um qualquer presidente, que se deverá fixar apenas, para além da saúde económica e financeira, nestas simples palavras, VITÓRIAS, VITÓRIAS E MAIS VITÓRIAS, mas acontecidas depois e só depois, de implementado este ou outro "novo paradigma" do mesmo género!...
      Frederico Varandas andará por esta altura, a colocar o "carro à frente dos bois", armado em "grande entendido em futebol" e pior, pessimamente mal aconselhado, a tentar contratar outros "flops", iguais ou piores que todos os anteriores. Nada de mais errado e condenado ao mais rotundo fracasso! Ele não percebe nada de futebol e quem o acompanha, de futebol parece apenas perceber "da bola"!...

      Em vez do teu remate, "isto não está para miúdos" eu preferiria dizer que "isto não está para amadores"!...
      Abraço

      Eliminar
  2. Caro Álamo, boa noite.

    O nosso Sporting atravessa uma grave crise que não nasce com a presidencia de Frederico Varandas. Esta crise é uma doença que vem minando o Sporting desde a saída do Grande João Rocha. Não vejo como possível a união da família sportinguista porque a mesma se encontra dividida em Croquetes, Brunetes, Sportingados, etc. A saída para esta crise está nas mãos do Dr. Varandas. Ele que ponha os olhos nas modalidades amadoras e veja que as mesmas têm pessoas a dirigi-las com capacidade e sobretudo conhecimento de causa. No futebol profissional o Dr. Varandas está mal acompanhado e por isso, muito mal aconselhado. Que saiba tirar ilações do presente e que se junte a pessoas com capacidade e conhecimento do futebol que se joga dentro e fora das 4 linhas. Nesta altura é crucial a escolha do treinador. Só uma época de sucesso fará com que o Família Sportinguista se una, embora e sempre com alguns ressabiados a ladrar.
    S.L.
    João Santos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo inteiramente o comentário do caro João Santos, excepto, como será natural inferir deste meu postal, que não deverá ser o Dr. Varandas, bem ou mal acompanhado e bem ou mal aconselhado, a fazer a escolha. Varandas deverá primeiro alterar radicalmente o paradigma do futebol do Sporting, no sentido que preconizei ou bastante próximo disso e só então, depois de escolhido o líder desse 'novo projecto', deverá ser esse 'novo líder' a proceder à escolha de um treinador capaz de o levar à prática. Estou convicto de que a não ser assim, o novo treinador escolhido por Varandas, seja ele qual for e tudo aponta para que nenhum treinador capaz venha a aceitar ser treinador do Sporting, acabará por falhar de novo, arrastando provável e quase inexoravelmente Varandas na sua queda...
      Com a escolha que preconizo, deixaria de ser tão importante, neste momento, a escolha do treinador que, durante o período que levasse a implementar o novo projecto, quase poderíamos dizer estar mais próximo de um adjunto do que, verdadeiramente, do treinador principal, como o entendemos hoje.
      Se o Dr. Varandas, eventualmente, persistir em 'enterrar a cabeça na areia', julgo que o seu fim estará cada vez mais próximo, atirando para as calendas a pacificação que o caro João Santos, e bem, preconiza...
      SL

      Eliminar

PUBLICIDADE