quinta-feira, 26 de abril de 2018

É que o algodão não engana!...


BATOTA FORA DO FUTEBOL 

«No futebol só pode haver um caminho: o da verdade. Tudo o que seja batota ou qualquer intervenção para adulterar a seriedade do jogo deve ser clara e gravosamente punida. Ontem, soubemos que a Autoridade Antidopagem decidiu controlar os jogadores dos três grandes, verificação efectuada ao sangue, urina e EPO e, tal como em outras modalidades, nomeadamente, ciclismo e atletismo, se houver batoteiros a usar substâncias que alteram o rendimento desportivo o caminho só pode ser um: a expulsão.

O Octávio Ribeiro, num notável artigo publicado no Record, a propósito da Procuradoria-Geral da República ter juntado numa equipa todos os indícios sobre crimes relacionados com o desporto-rei, dizia uma verdade lapidar sobre o espectáculo: «a essência é acreditarmos que todos os intervenientes estão a dar o seu máximo para deixarem a melhor imagem possível». Ora, quando a tentação de adulterar a competição e o esforço dos atletas, violando a magia do desporto, se impõe, isso é um duro golpe nos adeptos e uma desilusão para milhões de pessoas que respeitavam os seus ídolos e campeões. Lance Armstrong foi o caso mais paradigmático de uma fraude aos olhos de todos.

Porém não é só o doping que é chocante. Actualmente, julgo também como o Octávio Ribeiro, que a maior ameaça ao futebol vem das apostas desportivas. E, sinceramente, julgo que é desprezível o atleta que se vende e trai os colegas, depois de atraído por uns milhares de euros pagos por uma corja de bandidos que anda à volta dos relvados como sanguessugas. Aí não pode mesmo haver contemplações, ervas daninhas têm de ser cortadas pela raiz. E por isso mesmo tem de haver um enorme controlo das Ligas mundiais sobre uma série de empresários que compram clubes em diversos pontos do globo sem sabermos muito bem de onde vem o capital. A corrupção é lama, logo, suja e mancha e a beleza do desporto não pode ser destruída pelo dinheiro sem rosto.

Portugal já teve casos de doping e viciação de resultados por apostas e, além destes exemplos de batota, não podemos escamotear as tentativas de diversos emblemas influenciarem o curso dos resultados por mão invisível nas esferas de decisão, tal como foi patente nos alegados mails de Domingos Soares de Oliveira que esboçavam uma estratégia de controlo do futebol português. Também isto tem de ser expurgado. Todos estes fenómenos estão a envenenar a verdade desportiva e são como o arsénico que mata lentamente mas é inexorável...»
(Rui Calafate, Factor Racional, in Record)

Há uma substancial e pronunciada diferença entre a essência do discurso de muita gente que por aí nos tenta mostrar como lhe assenta bem a pele de cordeiro que nos tenta impingir e o discurso de alguém como Rui Calafate!...

É que o algodão não engana!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Ah ah ah ah "... No futebol só pode haver um caminho: o da verdade. Tudo o que seja batota ou qualquer intervenção para adulterar a seriedade do jogo deve ser clara e gravosamente punida..."

    Isso é nos países "como deve ser"...aqui "neste quintal à beira-mar plantado"...
    "Vale tudo..."...é preciso é ganhar..."

    SL

    ResponderEliminar
  2. Vou comentar aqui pois não encontrei nenhum post onde o meu comentário pudesse ser actual.
    Passou hoje na RTPi- e provavelmente na RTP também- um curto programa que eu apelidaria "Linha do Frete" pela eventual semelhança com o original.
    Para mim pareceu-se muito a uma lavagem (brainwashing) do comportamento dos DDT's. Não me admiraria nada que tenha sido imposto pelo Gabinete da Crise deles.
    Nunca tinha visto o Pedro Guerra mais gordo mas foi ele quem encheu o programa. Aceito opiniões diferentes, claro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo, a criatura de que fala não é gorda! Será quando muito uma pessoa previdente, como o são os camelos, que acumulam reservas para as travessias do deserto. Dá-me ideia que estará com receio que a manjedoura da Carregueira seja escassa. E, pelo sim pelo não...

      Eliminar

PUBLICIDADE