quarta-feira, 5 de julho de 2017

É que em terra de cegos, quem tem um olho é rei!...


AMANHÃ ANDA À RODA

«O sorteio do calendário da 1ª Liga realiza-se amanhã. Ao contrário do presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, que faz depender 25 por cento do título à acção dos jornalistas, pela minha parte atribuo essa parte de ‘responsabilidade’ ao que acontecer no final da tarde de amanhã em Matosinhos. Em mais de 25 anos de profissão já ouvi inúmeros treinadores desvalorizarem a ordem pela qual irão fazer os jogos ‘porque todos temos de jogar com todos’. Arrepia-me a ideia de ainda existirem técnicos que não querem ver a ligação entre o calendário e a probabilidade (maior ou menor) de êxito das equipas.

Para quem luta pelo título, por exemplo, a primeira fase da Liga dos Campeões/Liga Europa costuma complicar as contas quando tem desafios antes dos dérbis e clássicos, porque as forças em confronto tendem a alterar-se de forma significativa, ‘prejudicando’ mais quem jogou fora do país a meio da semana. O Benfica-Sporting (0-3) em Outubro de 2015/16 mostrou isso mesmo. Como o Sporting-Porto (2-1) e o Benfica-Sporting (2-1) de há um ano voltou a revelar algo mais que uma coincidência: a equipa que jogou fora na Europa… perdeu! Nos últimos dois anos só o Porto-Benfica (1-0) de 2015/16 foi excepção.

As influências vão para além deste exemplo. Quantos treinadores, nos últimos cinco anos, foram despedidos com apenas dez ou menos jornadas? Dezasseis, uma média um pouco superior a três por época. Olhem para o calendário que cada um deles enfrentou e talvez percebam melhor a ligação entre a causa e o efeito.»
(José Ribeiro, Opinião, in Record)

Cada um ficará naquilo que se lhe afigurar mais consentâneo com a realidade acerca do significado e alcance desta enigmática crónica de José Ribeiro. Por mim, aqui declaro sem pruridos ou tergiversações, que julgo ter compreendido perfeitamente a mensagem.

E será nessa condição que defendo que ao delegado do Sporting ao sorteio, seja ele quem for, de pouco valerão outras quaisquer competências e atributos, se não se apresentar munido de todo o saber e experiência na área específica que, como vem sendo hábito nos últimos anos, substituir as tradicionais bolinhas "quentes e frias" do sorteio que se desejaria puro e duro e apenas dependente do jogo da sorte e do azar.

Por outras palavras e buscando a objectividade que entendo a dignidade e a responsabilidade do sorteio merecerem, que garantias terão os delegados dos clubes presentes no sorteio, de que apenas serão introduzidas no programa informático as 9 (nove) condicionantes que aqui são apontadas?!...

É que em terra de cegos, quem tem um olho é rei!...

Leoninamente,
Até à próxima

5 comentários:

  1. As nove condicionantes da 1ª Liga:

    Uma das novidades em relação a épocas anteriores é o facto de as equipas que participam na Supertaça não poderem defrontar o Sporting que joga o play-off da Liga dos Campeões

    1. As seguintes equipas não podem jogar entre si, nos duas primeiras jornadas: Benfica, FC Porto e Sporting;

    2. As seguintes equipas não poderão jogar simultaneamente em casa ou fora na mesma jornada (exemplo: se uma joga em casa a outra terá que jogar fora): a) Benfica e Sporting; b) FC Porto e Boavista; c) Braga e Vitória de Guimarães;

    3. Os jogos entre Benfica, FC Porto e Sporting não podem acontecer em jornadas consecutivas;
    Benfica, FC Porto e Sporting não poderão disputar dois jogos entre si em casa na primeira metade do campeonato (se o Benfica joga em casa com o FC Porto, terá que jogar fora com o Sporting na mesma metade);

    5. Nenhuma equipa pode ter dois jogos consecutivos contra Benfica, FC Porto ou Sporting;

    6. Nas duas primeiras jornadas, as equipas que participam no Supertaça (Benfica e Vitória de Guimarães) não podem jogar com a equipa que joga o play-off da Liga dos Campeões (Sporting);

    7. Na terceira jornada, a equipa que jogar o play-off da Liga dos Campeões (Sporting) não pode jogar com as equipas que irão disputar o play-off da Liga Europa (Braga e Marítimo);

    8. A segunda metade da competição será um espelho da primeira;

    9. Evitar, na medida do possível, que uma equipa jogue duas vezes seguidas em casa ou fora.
    (in oNojo online)

    Com estas condicionantes, naturais e compreensíveis, torna-se complicado para um simples adepto, perceber "o que sobra" -fico com a impressão de que, antes de haver sorteio, o sorteio já foi sorteado!
    Mas adiante porque, sendo verdade que "todos têm que jogar contra todos", vamos lá a ver o que ditam as sortes (ou bruxos?) nos jogos que sucedem a (grandes) deslocações nas provas uefeiras.

    Será que o general comandante Nhaga, reputado comerciante nas Bijagós, vai estar presente ou fazer-se representar no sorteio?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O comentário do amigo Liondamaia e questões que por outras vias me foram colocadas logo após a publicação do meu postal, levaram-me a introduzir no texto mais um parágrafo que talvez torne mais explícito o meu pensamento e as minhas dúvidas...

      Eliminar
    2. A (última) questão que nos deixa é muito séria e plausível.
      Para já, vamos ter de aguardar pelo sorteio, depois será mais fácil "ver as evidências".

      Eliminar
  2. Demasiadas condicionantes que fazem do sorteio um proform sem sentido... À luz de um desporto equitativo... nesta como noutras questões... para mim era sorteio mesmo... Livre e desempedido de constrangimentos... Até na questão de equipas da mesma cidade não puderem jogar no mesmo fim‑de‑semana em casa, hoje em dia, com as transmissões e dias diferenciados não faz muito sentido... Pelo menos não lhe chamem sorteio... Podem não chamar arranjo... mas podiam chamar qq coisa como calendarização ou similar...

    SAUDAÇÕES LEONINAS

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE