terça-feira, 25 de julho de 2017

Bem prega Frei Tomás!...


OS PLANOS DA UEFA PARA ACABAR COM AS LOUCURAS NO MERCADO DE TRANSFERÊNCIAS

Aleksander Ceferin estuda alterações ao modelo de fair play financeiro



Num oportuno trabalho jornalístico que o jornalista Sérgio Krithinas fez hoje publicar na edição online do jornal Record (LINK), tendo como base a edição desta terça-feira do jornal italiano 'La Gazzetta dello Sport', Aleksander Ceferin, o actual patrão da UEFA que substituiu Michel Platini após a sua estrondosa queda por alegados actos de corrupção, estará a pensar em agir muito rapidamente através de três medidas que poderão ser implementadas no curto prazo, de forma a impedir a concentração exagerada de grandes futebolistas num só clube, medidas essas que se reflectirão tanto no âmbito desportivo quanto no plano financeiro: um tecto salarial a que serão obrigados os clubes, um limite ao número de jogadores dos planteis de cada clube e um imposto a aplicar aos clubes que pagarem valores exorbitantes nas transferências de jogadores.

Se bem que a primeira e a última das medidas pouco ou nenhum impacto terão em Portugal, por força da tradicional indigência do futebol nacional, já a segunda medida seria deveras interessante confrontá-la com a discricionariedade - leia-se regabofe! - que actualmente se vive em Portugal, onde não deverá levar muito tempo para que seja atingida a centena de jogadores contratualmente ligados a certos e por demais conhecidos clubes.

De qualquer modo, será muito interessante assistir à distância, à luta que se perspectiva vir a ser travada entre as ideias justas e sérias de Ceferin e os grandes tubarões europeus.

Bem prega Frei Tomás!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Caríssimo Álamo:
    Essas medidas nada mais vêm fazer do que transpor para o futebol europeu, as medidas que vigoram há imensos anos nos desportos norte-americanos.
    A "luxury tax" que os clubes com cargas salariais têm que pagar, e que equivalem a uma percentagem elevadíssima do valor que excede o tecto definido, desencoraja esse mesmo excesso.
    Mais: não há empréstimos de jogadores, há sim janelas de "trade" em determinadas alturas das épocas.
    Para mais, o sistema de escolhas dos atletas do desporto universitário para o profissional ( impossível no futebol onde o nível educacional, salvo raras e honrosas excepções, ao que se vê até mal aceite por alguns treinadores, não tem nada a ver com a realidade do outrolado do Oceano) vêm equilibrar os plantéis.
    Já agora, sendo o video-árbitro totalmente aceite no futebol americano, por exemplo ( e, sim, lá também se festejam jogadas que depois são anuladas, e não vem nenhum ao mundo) lá existe uma possibilidade que o video-árbitro aqui não prevê, que é o "challenge" ,ou seja, os treinadores têm uma ou duas ( não tenho agora de cabeça) oportunidades por jogo, de pedirem que determinada decisão seja revista pelo video-árbitro.
    Talvez por isto tudo sou cada vez mais fã dos desportos americanos ( em conjunto com o nosso rugby, que tem video-árbitro há anos) e menos do triste brutibol que se joga em Portugal.
    Um grande Abraço
    José Lopes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela oportunidade e mais-valia do seu comentário, caríssimo José Lopes. Permitir-me-ia apenas "corrigir-lhe" o novo vocábulo "brutibol" e substituí-lo por um outro que julgo mais adequado ao que por enquanto vai sendo permitido cá no "pântano": PILHARBOL!...

      Um grande Abraço.

      Eliminar
    2. Caríssimo Álamo:
      Pilarbol também é bom.
      Aliás, agora que os nossos ex-inquilinos já sabem que os seus oito reforços chegaram ( os delegados da Liga), já podem fazer o seu jogo de apresentação, na APAF, claro, que é o local onde decerto enchem o estádio.
      Grande Abraço
      José Lopes

      Eliminar
    3. Peço imensa desculpa ao caríssimo Amigo José Lopes, mas eu não sugeri "pilarbol" antes e perdoe as maiúsculas PILHARBOL, ou seja "pilhar + bola", que será o mesmo que dizer, "defraudar, limpar, agadanhar, levar, ladroar, escorchar, extorquir, desfalcar, assaltar, despojar, espoliar, afanar, abiscoitar, usurpar, picar, safar, privar, sisar, abafar, empalmar, escamotear, furtar, larapiar, rapinar, saquear, surripiar, gualdripar, agafanhar, desviar, surrupiar, piratear, palmar, gatunar e gamar a bola ou no jogo da bola...

      Grande Abraço.

      Eliminar

PUBLICIDADE