quarta-feira, 12 de julho de 2017

We have a kaos in the swamp!...


We have a kaos in the swamp!...

Leoninamente,
Até à próxima

7 comentários:

  1. O chefe da geringonca, passa a vida ao lado do orelhas no galinheiro, e as culpas agora caem em cima do passos coelho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O chefe da geringonça vai votar contra e impedir o "golpe de estado" com que o ridículo chefe da oposição pretendia acabar com a Liga e passar todo o poder para as mãos do Gomes. É desse "kaos" que o postal pretendeu tratar e jamais fazer incursões no campo da política, que neste blog só é chamada a sentar o cu no banco dos réus, quando o seu comportamento atenta contar o Desporto!...

      Eliminar
    2. Sim, mas Liga e FPF qual delas a mais corrupta.
      Mas uma coisa é certa, apenas esta proposta pretende mudar algo... ao contrário da geringonça que pertence toda ao carnide.

      Temos de ver que durante anos os Presidentes e PM eram do Sporting, e agora de repente passam todos a ser do carnide, dá que pensar.

      Eliminar
    3. Dá que pensar o quê? Com políticos do Sporting também não ganhamos campeonatos.Acho que o pb não reside aí.

      Eliminar
  2. O chefe da geringonca passa a vida ao lado do cadastrado no galinheiro, e o passos e que e o culpado de todos os males, acha que a liga e melhor que a federacao, venha o diabo e escolha, ainda a pouco o proenca, votou favoravelmente aquela porcaria de lei que proibia, os cigarros electronicos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já por aqui foi tratado o sentido do voto de Pedro Proença na AG da FPF: o seu voto não foi um voto pessoal, foi um voto em nome da Liga, onde haviam sido aprovadas pelo Benfica e mais sete "sacristãos" e com a abstenção de 34 "ajudantes de missa" as propostas de alteração regulamentares que diziam respeito aos cigarros electrónicos, o que prova que o modelo actual funciona, com a AG da FPF a ser o filtro das disposiçõpes regulamentares aprovadas na Liga, ao invès do que pretendia o ridículo chefe da oposição de retirar todo o poder de regulamentação à Liga e entregá-lo, a maneira dos bons velhos tempos do "estado novo" nas mãos de Fernando Gomes, que afinal, acabou por tirar o tapete de baixo dos pés do "palhaço", dizendo em comunicado que o poder que tem já lhe basta!...

      Eliminar
  3. Imagem feliz a que nos apresenta, amigo Álamo: de um lado, o chefe supremo do EL, a lançar-se numa das mais importantes batalhas para o controlo do futebol português, a partir das suas cúpulas dirigentes e procurando, assim, passar uma esponja sobre emails e sabe-se lá mais o quê; do outro, um 1º ministro apeado, sem ninguém capaz de lhe dizer que já não é 1º ministro, já não há agenda a despachar (ou há?).

    Receio que sejam bem difíceis as batalhas que se adivinham.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE