quinta-feira, 13 de julho de 2017

A procissão ainda nem do adro saiu!...



«Nos jogos de preparação, mais do que aquilo que se vê, importa ‘ler’ intenções, ou seja, o que se percebe que a equipa pretende fazer, mas que ainda não o consegue na plenitude. Peguemos no exemplo do Sporting frente ao Fenerbahçe. Houve intenção de ser equipa muito pressionante e curta, com reacção forte à perda de bola, tornando o campo o mais curto possível para não deixar o adversário ter espaço de construção. 

Esta ideia não é nova no Sporting de Jesus. Em 2015/16, permitiu mesmo momentos de grande exuberância futebolística. Há um ano viu-se a espaços essa equipa com capacidade para asfixiar o opositor. Porque quando a bola era perdida no espaço ofensivo ocupado por Bas Dost ou Alan Ruiz, a reacção desta dupla era quase nula. O que se viu ontem foi algo diferente e nem se prendeu tanto com a disponibilidade destes dois em ‘dar o corpo ao manifesto’. A 'chave' esteve nos metros que toda a linha defensiva ‘ganhou’ ao relvado, juntamente com a agressividade de Coentrão, Bruno César e Bruno Fernandes.

Claro que ao fim de 20 minutos as coisas mudaram. Nesta fase da preparação o ‘oxigénio’ não chega para muito mais quando se joga em alta intensidade. Mas dentro de uma semana os jogadores já aguentarão 25/30 minutos. E quando a competição chegar será possível pedir 20 minutos muito fortes em cada parte.

Jesus já revelou as suas intenções e está a trabalhar para o caso de Adrien e William partirem. Não sei se este Sporting será mais forte. Mas será bem diferente.»
(José Ribeiro, Opinião, in Record)

Seria muito prematuro desejar ver já a equipa próxima daquele mínimo de rendimento que a competição forçosamente amanhã exigirá. Poderia ser até um sinal bem negativo e sintoma de que algo estaria a ser descurado. Jorge Jesus é um técnico muito calejado e sabe o que está a fazer.

Mas o pormenor para o qual JR chama a atenção, "os metros que toda a linha defensiva ‘ganhou’ ao relvado", foi por demais evidente, assim como foi notório, em consequência, o desconforto por parte de todos os defesas no empreendimento das transições defensivas: todos vinham 'viciados' em partir mais de trás e as rotinas não se alteram em meia dúzia de dias.

De qualquer forma, para bem ou para mal, ainda falta por ali muita, mas mesmo muita intensidade, mas...

A procissão ainda nem do adro saiu!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Caríssimo Álamo:
    Só o meu Amigo para me fazer andar a criar um perfil, para poder continuar a dizer umas coisas aqui no seu blogue! Mas compreendo as razões, e apoio.
    Ora bem, três notas:
    - jogador que é bom não precisa de períodos de adaptação. Veja-se o futebol inglês, onde lançam miúdos nas primeiras equipas com 17 anos, e jogam porque têm que jogar.
    Por isso, irritaram-me os rodriguinhos de alguns jogadores no jogo de ontem, na hora de rematar (Podence, Dala), continuo a achar que o Matheus Pereira não tem nível para o Sporting, infelizmente, porque esvazia todas as oportunidades que lhe dão, gosto muito da atitude do Petrovic, e, razão para o princípio do comentário, o Doumbia parecia que já cá está há uns anos. Assim é que é, entrar sem medo!
    - depois do estádio ao pé do nosso, e do centro de estágios também, agora é nos estágios no estrangeiro que o clube nosso vizinho faz questão de ter que estar sempre por perto. Sinceramente, lembram aqueles empregados que, quando deixam de trabalhar com o patrão, têm que ter uma casa maior, um carro maior, e ir passar férias para o mesmo sítio, porque na realidade nunca deixaram de ser inferiores e, no dizer de uma tia minha, nem um fatinho lhes cai bem. O Freud explicou isto tudo...
    - se se venderem alguns jogadores e se ganhar muito dinheiro, tenho aqui uma sugestão para o Senhor Presidente ( bom dia, Dr. Bruno, ainda bem que continua a ler o Leoninamente, só lhe faz bem): tente recomprar a Alvaláxia e o espaço da Clínica (este opcionalmente); pode fazer-se tanta coisa muito mais ligada ao que se pretende ser a "Cidade Sporting" naquele espaço, em vez de ter uns cafés e um supermercado (com todo o respeito); e se um dia, como vai fazer o Real Madrid, quiser alterar a envolvente do Estádio, só assim o conseguirá.
    - último: ter jogadores que têm contrato sem treinar é desagradável e não é digno. Mal ou bem contratados, não apontaram uma pistola ao Clube para serem contratados, tratemo-los comdignidade até os deixarmos sair ou encontrarmos outras soluções; o caso do Afonso Martins já lá vai, e não gostaria que se repetisse.
    Um Abraço, grande Álamo,

    José Lopes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem haja caríssimo e muito estimado Amigo José Lopes, pela compreensão e pelo esforço para recuperar a via necessária ao acesso aos comentários que tanta falta me estavam a fazer. Creio que nunca lhe confessei, mas os comentários do Amigo, a par de outros que muito prezo, além do inestimável estímulo que me trazem, hão-de ser sempre a bússula que me ajuda a navegar neste mar encapelado da blogosfera que, embora o não pareça, nunca será de todo fácil.

      Quando às duas sugestões que aqui deixa ao nosso Presidente - no caso de ele ou alguém por ele, conhecerem a morada deste modesto cantinho de leoninidade -, aqui estou a apoiá-las convicta e leoninamente!...

      A concretização daquela que se refere aos jogadores com quem JJ não conta, será sempre da mais elementar justiça para qualquer dos atletas em questão e um imperativo das honradas tradições do Sporting, e deverá merecer sempre uma urgência tão cuidada quanto a das novas aquisições.

      A recompra e recuperação da Alvaláxia, sendo uma tarefa ciclópica e a exigir que tenham de ser estendidas no tempo de dois. três ou quatro mandatos, será a reparação do maior erro da "era roquetista" a que Soares Franco, infelizmente, deu rosto, e poderá situar-se num plano de importância muito próximo da construção do Pavilhão João Rocha...

      Oxalá que a mensagem de "Leoninamente", considerados o seu autor e todos os leitores que comentam, possa chegar ao conhecimento de quem de direito e ser o legítimo catalizador de vontades que engrandeçam e projectem o Sporting para a sua verdadeira dimensão.

      Um grande e leonino abraço.

      Eliminar
  2. Há por ali muita "falta de pulmão...e de pernas"...mas será lícito exigirmos mais neste momento...?
    Houve boas indicações, agora...
    Vamos deixar a equipa "crescer" colectiva e individualmente e...
    Preparemos-nos para as vitórias, que é isso que todos queremos...!!
    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE