domingo, 9 de julho de 2017

Porqu'a fé é que nos salva!...


O SEGREDO DO SUCESSO


«Não pude ficar indiferente ao sucesso alemão na Taça das Confederações. Mesmo levando em consideração que esta prova chega no final de época – quando os jogadores já só sonham com as férias depois de um ano de trabalho com mais de 50 jogos –, a selecção B ou C da Alemanha demonstrou que era a melhor equipa em prova. Fiel aos seus princípios de jogo e a uma identidade competitiva, mesmo com muitos jogadores novos e em fase de inserção no colectivo, a selecção germânica não facilitou e demonstrou porque é campeã do Mundo!

Neste caso, mais do que o talento e a qualidade dos jogadores, o mais importante e nuclear é a equipa. É certo que a definição do perfil de jogador para cada posição é relevante, mas a ideia de jogo, os mecanismos defensivos e ofensivos, a organização colectiva, a ambição, a confiança e saber seguir o plano traçado são factores determinantes para que esta selecção possa marcar um ‘tempo’ no futebol mundial. E tudo isto é resultado de um Plano. Alicerçado em medidas concretas. De um projecto que foi implementado depois dos insucessos do Mundial’1998 e do Europeu’2000. 

Começando nas escolas públicas, onde as crianças entre os 8 e os 14 anos beneficiam de Escolas de Futebol de Elite, com o apoio (cerca de 715 milhões de euros) do Estado e da Federação. Continuando com a obrigatoriedade dos clubes das duas principais ligas terem um projecto de formação para poderem ter a respectiva certificação para competirem. Terminando nos métodos aplicados, com os jovens jogadores até aos 13 anos a trabalharem semanalmente 12 horas e até aos 18 anos a trabalharem 18 horas semanais. E nunca descurando os estudos e a sua formação académica. Não há magia nem acaso! Há trabalho e visão!»
(António Carraça, Carta, in Record)


Pois, nós por cá é mais corrupção, vigarice, chantagem, pantominice, bruxos, maningâncias e "colinhos", muitos "colinhos", da arbitragem, da justiça, da comunicação social, das instâncias judiciárias, enfim, do poder, seja ele qual for... 

E fé, muita fé...

Porqu'a fé é que nos salva!...

Leoninamente,
Até à próxima

P.S. - Não é Carraça?! Quem melhor do que tu para o saber?!...

6 comentários:

  1. Ámen... ou será Ah men...

    Carraça que é... Carraça devia dizer era que... NÓS É QUE SOMOS OS CAMPEÕES DA EURROPA... por isso nós é que sabemos... (fosse a academia DU Dubai e outro porqueiro cantaria...)

    Sabemos que NUNCA mais teremos as estrelinhas todas alinhadas... Nem com bruxarias... Bruxo...!!!

    SAUDAÇÕES LEONINAS

    ResponderEliminar
  2. Por cá é tudo isso ( corrupção, vigarice " colinhos"...)
    E a esperança que mesmo assim..."o capim volte a crescer...)...
    SL

    ResponderEliminar
  3. Bem prega Frei Tomás. Façam o que ele diz, não façam o que ele faz.

    ResponderEliminar
  4. Amigo Álamo, presumindo que ainda não conhece, deixo-lhe um excelente artigo do Octávio Ribeiro (Record):
    "VIEIRA E A FARSA DO BRUXO

    O FC Porto conseguiu – resta ainda saber como e a que custo – importante material digitalizado sobre a vida interna do Benfica. O tempo da comunicação foi magistral. Retirou os holofotes de cima de um Dragão quase falido e condicionou o ambiente em que arranca a nova época. O FC Porto provou que a hegemonia do Benfica não está consolidada, uma vez que assenta em gente sem valores nem princípios de verdade desportiva.

    Alguns dos mails já dissecados são muito graves e retiram brilho aos títulos conquistados sobre a relva. Quer por comandados de Jorge Jesus, quer de Rui Vitória.

    Aí, figuras que gravitam em torno de Luís Filipe Vieira alimentam conversas desportivamente indecorosas com gente que, junto com os primeiros, deveria ser banida do futebol.

    Depois da tragédia das trocas de favores e dos meninos queridos, veio a comédia do bruxo guineense. Estes mails, a serem verdadeiros, não têm qualquer gravidade, no plano da justiça desportiva, mas revelam as mais sombrias entranhas de um grande clube.

    Do que conheço de Luís Filipe Vieira, e conheço bastante, estou mesmo a vê-lo a cofiar o bigode com um riso maroto enquanto escreve para o bruxo. Vieira pode ter outros defeitos, mas não vai em bruxarias.

    Assim, a serem estes mails verdadeiros, há grandes mistérios ainda sem resposta: saiu mesmo do Benfica dinheiro para pagar a um bruxo guineense? Que papel teve um ex-ministro, deputado, e brilhante jurista, como Gomes da Silva, nesta farsa? O próprio diz que nenhum. Será mesmo assim?

    O mais estranho é que a bruxaria, ou outro tipo de atos rituais, para ter alguma eficácia terrena, terá de ser do conhecimento dos que vão agir no mundo dos vivos. Logo, só se os jogadores tivessem conhecimento da coisa, esta poderia ter eficácia.

    Vários técnicos, alguns com sólida formação académica, apostam forte neste tipo de métodos. A lógica é simples: se os jogadores acreditam estar protegidos vão jogar mais forte e melhor. E isso é um facto. Como muito bem sabe Pinto da Costa".

    OR parece ter um cuidado especial para não beliscar, nem salpicar LFV que, assim, lá vai continuando a passar entre os pingos da chuva...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Liondamaia, já dissequei essa crónica em 4 de Julho passado. Talvez lhe tenha passado despercebida... E talvez a minha opinião divirja um pouco da do amigo. Entendo que nesta crónica, o LFV fica muito mal na fotografia. Bastará atentar na frase "... depois da tragédia das trocas de favores e dos meninos queridos, veio a comédia do bruxo guineense. Estes mails... revelam as mais sombrias entranhas de um grande clube..."

      Claro que OR, como director do jornal que bem conhecemos, não se pode dar ao luxo de atacar directamente o Bnefica. Vai dando uma no cravo e outra na ferradura, para poder vender o seu produto sem ostracisar os DDTs e vai-se deixando escorregar, exactamente como os dirigentes escarlates, pela grossa tábua do corrimão abaixo! O pior será se um dia destes a tábua redonda e larga do corrimão se transforma em fina lâmina de barbear!...

      Eliminar
  5. Muito provavelmente li, mas não me lembro, de todo. Um amigo fez-me chegar um email com o texto e nem hesitei.
    Quanto ao OR, considero mais correcta a sua imagem de "uma no cravo, outra na ferradura" e foi esse estilo ziguezagueante que me sugeriu ver o LFV a fugir entre os pingos da chuva.

    Uma referência à sua última frase: arrepiei-me só de imaginar!... mas lá que o cardeal (ou papa, que importa?) merece, lá isso merece!
    Um abraço

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE