quinta-feira, 30 de junho de 2016

Que aqui fique para memória futura a opinião de um jornalista sério!...


Renato Sanches na manga

A energia, rapidez e profundidade que Renato Sanches acrescenta à Seleção implica riscos

«Talvez seja interessante acrescentar alguns números à discussão em torno da utilização de Renato Sanches como titular por Fernando Santos. Tome-se o jogo com a Croácia como exemplo. Antes de Renato Sanches ter entrado, aos 50", os croatas tinham conseguido armar três remates à baliza de Rui Patrício. Depois da entrada do jovem médio contratado pelo Bayern remataram 14 vezes, duas delas com o perigo que todos ainda recordamos, antecipando o sonoro suspiro de alívio que acompanhou o golo de Quaresma. Em contrapartida, com ele em campo, Portugal marcou três dos cinco golos apontados até agora no Europeu.

É indiscutível que Renato Sanches acrescenta energia, rapidez e profundidade ao meio-campo de Portugal, tal como acrescentava ao do Benfica, mas fá-lo à custa de uma relativa anarquia táctica que implica riscos. No campeonato português, frente a adversários quase sempre inofensivos, esses riscos eram facilmente negligenciáveis em face dos benefícios. Num Europeu, com jogos a eliminar disputados frente a adversários que colocam problemas mais complicados de resolver, os riscos que Renato Sanches acarreta precisam de ser devidamente ponderados. E é isso que Fernando Santos tem feito, explorando o potencial agitador do jogador mais jovem do Europeu sem expor demasiado a equipa aos seus excessos.

Seria impossível consegui-lo dando-lhe a titularidade? Provavelmente, não. Mas não é difícil perceber que a capacidade de aceleração do jogo que Renato acrescenta à Selecção tem outro impacto quando os defesas adversários já levam meio jogo de desvantagem nas pernas.»


Creio não ter andado na Lua sempre que defenfi a tese que agora Jorge Maia vem desassombradamente defender e que uma "cáfila" de jornalistas que por aí pululam numa comunicação social incompetente e subserviente a uma "central de propaganda goebbelsiana" de que todos conhecerão a cor, jamais se tem revelado capaz de assumir.

Que aqui fique para memória futura a opinião de um jornalista sério!...

Leoninamente,
Até à próxima

7 comentários:

  1. Vejam bem... Renato titular e deu no que deu.
    Vai ser tramado admitir que errou... Não?

    Claro que não. Vai inventar outra coisa qualquer para diminuir o jogo do puto de 18 anos, que jogou 120 minutos em 3 posicoes, fazendo as vezes de Ronaldo na pressão à saída de bola polaca e ainda tendo que fechar corredor direito e esquerdo.
    Ah, e marcou um golo.
    Ah, e foi chamado a marcar um pênalti, rematando para golo sem pestanejar.

    Aos 18 anos.

    Nitidamente uma criação dos media. Andamos todos a dormir. Incluindo o Andy Cole e o Graeme Souness, que elogiaram vezes sem fim o trabalho do jovem luso, no canal britânico onde segui o jogo.

    Pois é. O leoninamente é que é sábio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez o caro Nuno deva prestar alguma atenção ao que hoje disse o seleccionador nacional a uma pergunta dum jornalista português, cuja alienação o leva a ver Renato Santos com os mesmos "óculos"! Fernando Santos, como muita gente na qual também me incluo, vê no miúdo potencialidades para ser um jogador fabuloso daqui a dois ou três anos. Nunca para ser considerado o "homem do jogo", como voltou a ser nessa famigerada e estúpida votação da UEFA. Renato, já melhorou mais em termos tácticos com FS num mês, que durante os dois últimos terços do campeonato nas mãos de Vitória. Acredito que com Anceloti ainda melhorará mais! Mas neste momento, tacticamente, ainda revela uma anarquia arrepiante e muito perigosa, por exemplo, contra equipas como a Bélgica que muito provavelmente nos calhará defrontar nas meias. Hoje, na 2ª parte, exactamente por ser uma criança que ainda não sabe dosear o esforço, já não podia com as botas e o trabalho sobrou para William, Adrien, João Mário e depois Moutinho e Danilo, mas esses pormenores passam despercebidos a quem apenas coloca os olhos no lugar do coração. Isto nunca será uma questão de sapiência meu caro. Ou se entende de futebol, ou não! Sobre os comentadores britânicos que refere, coitados, até o Meirim via mais futebol com os olhos fechados que eles! Quem são eles?! Até o Freitas Lobo lhes dá baile!...

      Eliminar
    2. Quantos jogos viu do Benfica, diga lá? Aposto que só viu contra o seu clube, obviamente. O Santos mete o miúdo fora da posição, e você já consegue ver a evolução táctica que não teve no clube onde sempre jogou. Tire os óculos, caramba, já lhe fica mal!
      Isso e a censura ridícula, engula lá o caroço duma vez!

      O Giggs também não percebe de futebol? Ou não sabe quem é o Giggs? E o Andy Cole, esse nabo que ninguém sabe quem é! Minha nossa.

      Eliminar
    3. O João Mário, mais um fora do lugar, não jogou um peido...tal como o menino máilindo

      Eliminar
    4. Caro Álamo,

      O Nuno (que não conheço, nem sei quem é) dixit:
      «Vai ser tramado admitir que errou... Não?

      Claro que não. Vai inventar outra coisa qualquer para diminuir o jogo do puto de 18 anos, que jogou 120 minutos em 3 posicoes, fazendo as vezes de Ronaldo na pressão à saída de bola polaca e ainda tendo que fechar corredor direito e esquerdo.»

      A sua resposta assim revelou a profecia do Nuno.

      No último ano (e entendendo com autoridade essa situação, por a ter vivido em 1ª mão) os Sportinguistas estão embriagados com Jorge Jesus e consideram que, tal como os Benfiquistas antes, descobriram a Pedra Filosofal do futebol. A bom tempo, mesmo que ganhem, descobrirão como nós (Benfiquistas) que tal objecto mítico não existe.

      O que me entristece (e já entristecia o meu falecido pai, Sportinguista de gema que chegou a ver os cinco violinos jogar) é que o "ódio" latente (ainda que por vezes adormecido) que já há muito se entranhou no ADN do Sporting Clube de Portugal em relação ao Sport Lisboa e Benfica, impede, a espaços (como é o caso dos últimos anos) a convivência sã e desportiva entre rivais adeptos. Enquanto não se focarem em vós próprios, no vosso clube, nos vossos jogadores, na vossa própria glória, toda e qualquer conquista será sempre relativa à derrota do rival.

      O que tem sido dito e escrito, por parte de adeptos e responsáveis do Sporting Clube de Portugal em relação a Renato Sanches transporta o nome do clube de Alvalade para um nível baixo que não tinha sequer, talvez, sido visto no próprio Futebol Clube do Porto dos primeiros anos de Pinto da Costa. É sobre isto que devem reflectir, ou, pelo menos, é o que eu sugiro, como adepto rival, respeitoso que sempre fui para com o Sporting, clube que, apesar de adversário do meu, o meu pai me ensinou a admirar.

      Outra coisa que poderão querer ter em consideração é esta: a selecção actual é composta maioritariamente por jogadores formados no Sporting. Quando os trintões se retirarem, continuará a ser assim nos anos seguintes? Olhe-se para as selecções mais jovens. Ponho isto na mesa como mais um exemplo de cartas de valor próprio (não relativo ao rival Benfica) que tiveram na mão e podia ter servido de alicerce duradouro para o futuro a longo prazo do vosso clube e que tem sido deitado fora, pouco a pouco, por contínuos apelos populistas eficazes CONTRA o Benfica e não EM PROVEITO do Sporting.

      Fica a reflexão.
      Cumprimentos desportistas de um Benfiquista,
      Isaías

      Eliminar
  2. Sinceramente nunca tinha prestado muita atenção, ou pelo menos a devida para dar a minha sincera opinião em relação a Renato Sanches, até porque não é norma ver jogos dos Lampiões; dai também eu achar que aquilo que alguns falavam e escreviam de Renato Sanches, só se devia á propaganda Lampiónica.

    Mas também tenho que ser igualmente sincero, após ver o jogador em ação na Liga dos Campeões contra o Zenit e o Bayer Munich, e colocar no bolso jogadores como Witsel e Hulk e fazer o que fez contra os poderosos Alemães, percebi rapidamente que Renato é sem dúvida um jogador fora de série e com características únicas que levaram tanto Guardiola como Anceloti pedir a sua contratação e levasse que o sempre muito ponderado BM, desse desde já 35 milhões de euros pelo jogador e por aquilo eles próprios afirmaram, iriam com quase toda a certeza chegar aos 80 milhões e de bom grado.

    Hoje houve mais uma voz que se juntou aos muitos admiradores de Renato e todos eles verdadeiros entendidos sobre o fenómeno futebol e no caso não é Jornalista... Giggs

    JR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que a resposta que dei ao comentário anterior do Nuno, servirá também para o caro JR.

      Eliminar

PUBLICIDADE