quinta-feira, 30 de junho de 2016

Eu por mim, já acendi a velinha que comprei ontem!...


SERÁ PEDIR MUITO?

«Hoje é um dia importante para o futebol português, mas, sejamos lúcidos, não um dia histórico, mesmo que a Selecção se qualifique para as meias-finais do Europeu. Depois do percurso dos últimos 20 anos, entrar na história é ganhar o torneio e quando Fernando Santos revela, sem medo, tal ambição, é porque sabe que o nosso futebol se tornou respeitado e temido. Talvez achem que nos falta sempre alguma coisa, um pouco como nós próprios achamos também, talvez desdenhem dos golos a conta-gotas, como nós desdenhamos mesmo com o Ronaldo a bordo, mas por comparação entre o que a Selecção é e o que a Selecção foi no período anterior há um enorme fosso. E ninguém tem saudades do tempo em que nem íamos às fases finais, com excepção da epopeia de 1966 e da saga de 1984.

Discute-se agora o modelo de jogo. Tal como somos 11 milhões de adeptos, somos também 11 milhões de treinadores de bancada! E bons! Eis a questão: com tantos virtuosos Portugal entrou na fase dos carregadores de piano?! Ora, o seleccionador explicou que é preciso jogar futebol e não jogar à bola, e jogar futebol significa agir com inteligência em função também das características dos adversários. 

Não tenho poupado nos elogios a Fernando Santos porque ele é credor desse apreço. Sabendo mais do que nós, de facto, e tendo toda a informação há ainda assim algumas evidências para o treinador de bancada que se assina na pele de analista: deixem o Renato jogar, não amarrem o William e o Adrien como se fossem trincos, mesmo sendo necessário defender com redobrada atenção, e, por tudo o que a Selecção lhe deve, não se peça ao Moutinho o que ele não consegue dar neste momento. O resto, com Cédric, talvez Fonte, sem André Gomes e com Quaresma mais tarde ou mais cedo está certo. Em geral não me parece que seja pedir muito.»
(Nuno Santos, Opinião, in Record)

E diria o Fernando Santos se tivesse oportunidade de ler a crónica de Nuno Santos - serão primos?! -: "Cantas bem mas não me encantas"!...

Está na cara o que Nuno Santos pretendeu dizer! Rigorosamente aquilo que qualquer português pensa neste momento, acerca da constituição da equipa de todos nós que amanhã deveria defrontar a Polónia. Mas nem ele próprio, Nuno Santos, terá a certeza de que o engenheiro, mais uma vez, não lhe dê para se pôr a inventar e não "arrebente" com as nossas paciência e bonomia!...

Eu por mim, já acendi a velinha que comprei ontem!...

Leoninamente,
Até à próxima

1 comentário:

  1. Hummmm!... Custa-me a crer que FS, ainda que por curiosidade, não receba uma resenha do que, lá pela estranja, vão escrevendo e dizendo sobre a selecção, pois os comentários de outras origens, que não as nacionais, deverão ser francamente mais isentos.
    Pressupondo, portanto, que terá uma ideia do que tem sido dito, parece-me que irá repetir a equipa que jogou contra a Croácia, pois houve outra segurança defensiva e, vá lá, mais critério na (pouca) circulação de bola.
    Diz-se que só os burros não mudam e F.Santos pode ser muita coisa, mas burro, não é! Mas é teimoso... o que pode "emburrá-lo". Espero bem que não e mantenha a coragem que teve no jogo anterior.
    E que a sorte, mais uma vez, nos sorria.

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE