sábado, 8 de julho de 2017

Já não será apenas JJ a respirar de alívio!...



Julgo que muito poucos sportinguistas que assistiram ao jogo de ontem à noite no Estádio do Algarve, terão deixado de ficar impressionados com a prestação de Radosav Petrovic, por muitos considerado como o melhor leão em campo.

Sobre essa matéria, escreveu o jornalista Alexandre Carvalho no jornal Record:

«O empréstimo ao Rio Ave na segunda metade da época passada fez bem ao médio sérvio. Imponente fisicamente, autoritário nas movimentações a meio-campo e sempre disponível nas jogadas intermédias, Petrovic fez provavelmente a melhor exibição com a camisola do Sporting. Na retina ficaram duas jogadas: a primeira, aos 26’, a ‘arrastar’ toda a equipa do Belenenses e a entregar de bandeja a Gelson Dala (que atirou à figura de Muriel); a segunda, já na 2.ª parte, a recuperar a bola e a assistir Leonardo Ruiz para o 1-1. Depois de ter dado nas vistas nos treinos, agora fê-lo em jogo. Jesus pode ter em Petrovic mais um bom reforço.»

Não terá sido fácil para este internacional sérvio por 44 vezes, a sua adaptação ao Sporting e ao futebol português. A língua, o grau de exigência de Jorge Jesus e a permanente comparação com William Carvalho, dono e senhor inquestionável da sua posição no terreno, terão parecido a Radosav uma montanha de tal modo intransponível que só o seu empréstimo ao Rio Ave terá representado autêntica libertação e rampa de lançamento para outros voos.

Bem andaram os responsáveis leoninos ao não admitir no seu empréstimo aos vilacondenses, qualquer cláusula que permitisse o exercício do costumeiro direito de opção. Se falhou na primeira metade da época, a adaptação do atleta a uma cultura e futebol diferentes, não terá falhado o "olho clínico" de JJ, porque ultrapassada a fase difícil, habituado ao futebol e à cultura portuguesas e dominando já em termos razoáveis e suficientes a nossa língua, aí estará o talento do jogador a vir à superfície, para bem dele e do Sporting, com Jorge Jesus  a começar a dormir noites mais tranquilas, sem o terror que qualquer golpe de mercado lhe possa desferir.

Mas nenhum outro factor teria concorrido para este ressurgimento, não fora a vontade indómita do atleta em triunfar, para que a sua continuação em Alvalade, no mínimo até ao final do contrato que se estende até 2020, pudesse estar em vias de se tornar uma realidade. Foi bem notório o seu cerrar de dentes e o desejo de empurrar a equipa para a frente, muito particularmente na jogada que permitiu o empate ao Sporting. 

Já não será apenas JJ a respirar de alívio!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Lembro-me que o Matic passou por dificuldades de adaptação e depois foi o que foi. Sinceramente, este aproxima-se bem mais do estilo do William Carvalho. O Palhinha, no máximo, poderá ser um bom suplente. Mas JJ já deve ter uma ideia, claro.

    ResponderEliminar
  2. Não te preocupes com os nossos jogadores.Preocupação deves ter com os cerca de 40,repito,40 jogadores e onde vão distribui—los por clubes (amigos),tipo novos vouchers.Lampião corrupto.SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fiquei sem saber a quem Fernando Barata pretendeu dirigir-se...

      Eliminar

PUBLICIDADE