segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Quem será o próximo treinador dos leões?!...



SAÍDA IMEDIATA DE LOPETEGUI EM CIMA DA MESA DOS MERENGUES

REAL MADRID 07-10-2018 23:02 (in jornal A Bola)



«Pouco mais de quatro meses após ter sido oficializado como treinador do Real Madrid, o futuro de Julen Lopetegui na capital espanhola poderá estar em risco.

Segundo noticia a estação radiofónica espanhola Onda Cero, a direcção merengue tem marcada uma reunião para esta segunda-feira para discutir o futuro do técnico espanhol, devido aos maus resultados apresentados no início da temporada, quer no campeonato, quer na Liga dos Campeões.

O Real Madrid é apenas 4.º classificado na Liga espanhola, a dois pontos do líder Sevilha, com quatro vitórias, dois empates e duas derrotas em oito jornadas decorridas. Na Liga dos Campeões, milita no segundo posto de um grupo teoricamente acessível, onde conta ainda com CSKA, Roma e Plzen. A derrota frente aos russos, a juntar ao mais recente desaire perante o Alavés, terão sido a gota de água e poderá bem ser o bilhete de ida para Julen Lopetegui.»

Qualquer semelhança entre a situação vivida pelo Real Madrid em Espanha e o Sporting em Portugal, será mera coincidência. Vejamos porquê:



SAÍDA IMEDIATA DE PESEIRO EM CIMA DA MESA DOS LEÕES

«Pouco mais de três meses após ter sido oficializado como treinador do Sporting, o futuro de José Peseiro na capital portuguesa poderá estar em risco.

Segundo é suposto nos meandros futebolísticos da capital, a direcção leonina terá marcada uma reunião para esta segunda-feira para discutir o futuro do técnico português, devido aos maus resultados apresentados no início da temporada, sobretudo no campeonato.

O Sporting é apenas 5.º classificado na Liga portuguesa, a quatro pontos dos líderes Benfica e Braga, com quatro vitórias, um empate e duas derrotas em sete jornadas decorridas. Na Liga Europa, milita no segundo posto de um grupo teoricamente acessível, onde conta ainda com Arsenal, Qarabag e Vorskla. A derrota frente ao Braga, a juntar ao mais recente desaire perante o Portimonense, terão sido a gota de água e poderá bem ser o bilhete de ida para José Peseiro.»

Quem será o próximo treinador dos leões?!...

Leoninamente,
Até à próxima

7 comentários:

  1. Pensava que se tratava de meninos mimados!

    ResponderEliminar
  2. Como se mais uma vez a mudança de treinador resolvesse alguma coisa. É verdade que, pondo de fora, Porto e Benfica, há melhores treinadores que Peseiro na 1ª Liga. Mas também há, excluindo Porto e Benfica melhores planteis na 1ª Liga. Comentei aqui há dias que este era o pior plantel dos últimos 10 anos, é um plantel de uma equipa do meio da tabela. E o Portimonense demonstrou isso mesmo ontem. à excepção de Coates (Sebas merecia jogar numa equipa mais competitiva), do desacompanhado Montero e do genial (a espaços...) Bruno Fernandes, para qualquer dos outros lugares, comparando, os jogadores do Portimonense demonstraram na generalidade terem maior valia técnica e táctica. Os Guarda redes são medianos (defendi sempre que o sportinguista Beto deveria ter sido recomprado), Ristovski é banal, tal com André Pinto. Cintra enganou-se no nome: Gudelj, não é Badelj (o que queria 4 anos de contrato). Saiu João Palhinha e para o seu lugar ficaram Petrovic e Bataglia. Tirando alguma maior combatividade e assertividade de Bataglia, em termos de esclarecimento, criatividade, e capacidade de passe o que tem estes melhor que qualquer outro? O Sporting é em termos de "6" um orfão de William. Saíu Mateus Pereira, porque se mostrou indignado, e por consequência indisciplinado, (não muito diferente de Nani, diga-se), e as soluções no plantel, para as alas, ficaram mais pobres. Saíu o criativo Francisco Geraldes porque era(?) pouco intenso e permaneceram no plantel jogadores pastosos que nada acrescentam. Que mais valias competitivas esperar de Maximiano, Bruno Gaspar, Marcelo, André Pinto, Lumor, Jefferson, Petrovic, Misic, Wendel (onde andas Wendel ???) ou Carlos Mané?

    ResponderEliminar
  3. Peseiro nunca foi o treinador que eu contrataria (mas quem mais estava disposto a assumir o risco?) mas o plantel que tem é muito mais fraco do que o que Jardim herdou de Godinho Lopes. Claro que Cintra deveria ter prioritariamente contratado um ponta de lança com qualidade. Qualquer equipa da nossa liga ou de qualquer liga no mundo (inclusivé a 2ª liga francesa ou inglesa) tem como ponta de lança um senegalês um maliano, um costa-marfinense, etc... que dão profundidade ao seu jogo e capacidade de finalização. O Sporting não: lesionado o único ponta de lança/pivot (Dost) sacrifica Montero um 2º avançado claramente superior no 4x4x2, técnicamente evoluído e frio, mas menos arreganhado. Há 6 equipas na 1ª liga que tem mais golos marcados que o Sporting (11) entre elas o Santa Clara (14) o Rio Ave e o Vitória de Guimarães. O processo ofensivo do Sporting tem hoje mais profundidade do que no passado com J.J., mas as oportunidades de fazer golo continuam escassas. Depois de Slimani o Sporting nunca mais teve profundidade profícua. Muito menos a pode ter com Dost, um jogador posicional e lento. Que alternativas foram preparadas para a organização ofensiva? Nenhumas. Mesmo com o regresso de Dost o esquema táctico para este plantel deveria ser o 4x4x2 (e os modelos de jogo e sistemas tácticos devem ser adequados aos planteis, a matéria prima existente), com Dost e Montero na frente (renderá mais Dost e renderá mais Montero). E alternativas no banco? Zero. Por fim uma palavra sobre Jeovane. Temos tendência em depositar a maior esperança nos nossos jovens e promissores atletas. Pretenderíamos ver em Jeovane um novo Gelson e ambos tem coisas em comum, algumas positivas, como a velocidade a capacidade de drible a dinâmica para ir para cima do adversário e outras negativas como alguma deficiência técnica sobretudo nas recepções orientadas e critério na definição final da finalização ou da assistência. Jeovane parece ser melhor finalizador, mas Gelson conduzia melhor a bola em velocidade e defendia melhor. Ambos são pouco consequentes. Gelson não terá êxito em Madrid e acabará emprestado porque lhe falta a qualidade no critério e clareza no jogo (tal como aconteceu com Renato Sanches na sua primeira época no Bayern) que a alta competição exige.
    Jeovane está ainda num patamar mais baixo quanto a estas matérias e qualidade técnica. Velocidade só não chega. Resta saber qual será a sua margem de progressão.
    Mudar o treinador nada resolverá, porque o plantel é fraco e desequilibrado. E como disse, tirando 4 ou 5 valores de nível superior, o resto, é um plantel de meio da tabela, como ontem ficou bem demonstrado.
    Saudações leoninas

    ResponderEliminar
  4. Parabéns pelo que o senhor e outros conseguiram!

    ResponderEliminar
  5. Caríssimo Amigo:
    Finalmente resolvi um problema que tinha na conta Google e me impedia de comentar os seus posts.
    Gostava de partilhar duas ou três ideias:
    A- não me junto ao coro de críticas dos resultados das Supertaças das modalidades, por duas razões:
    1. São jogos de início de época, não demonstrativos de regularidade, como os Campeonatos;
    2. Em particular:
    - no voleibol, já no final da época passada achava Benfica e Sporting equipas tão iguais, que ganhar uma ou outra é um resultado que não escandaliza;
    - no hóquei, desculpe a franqueza, mas acho que tivemos muito mérito mas também sorte em vencer o Campeonato. O Porto tem uma equipa tão boa como ou superior à nossa;

    B- O nosso futebol de formação (até aos sub-23) está uma desgraça; não sei se foi resultado do trabalho de Virgílio, se já vinha de trás. O que sei é que ver um jogo de juniores em que se desperdiça a grande penalidade que nos dá o empate e, pior, ouvimos que fulano e beltrano do Benfica já foram nossos jogadores e que os nossos vieram do Sintrense ou do Massamá, mostra que não foram só os treinadores e scouters que saíram do Clube. As razões, e os responsáveis, deviam ser encontrados e questionados.
    C- Quanto à primeira equipa:
    - ver imagens da tv de Battaglia, já em campo, a bocejar, antes do jogo, é preocupante.
    - pior é o facto de, por medo de perderem eleições, nenhum dos, á altura, candidatos (com excepção de Madeira Rodrigues) terem tido receio de reconhecer o óbvio: José Peseiro aceitou o desafio de orientar o Clube numa altura difícil, mas não serve para treinador do Sporting.
    Se provas fossem necessárias, o estado confusional do estilo de jogo (não, ao fim de três meses já não aceito o facto de ter começado mais tarde a época) e o estado físico dos jogadores (Mathieu lesiona-se no primeiro jogo após paragem, Dost está parado há dois meses sem que se saiba o que tem) faz questionar a capacidade da equipa técnica e preparador físico.
    É claro, vir alguém diferente agora, resolve? No ano de Boloni resolveu. Noutros, não.
    É pesar os prós e contras. Eu ainda arriscaria mudar, mas sempre e só por um treinador reconhecidamente competente (e não, decididamente não, JJ).

    Um Abraço,

    José Lopes

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE