sexta-feira, 29 de junho de 2018

Desejo a todos os lombalgistas rápidas melhoras!...



O supremo castigo de Bruno de Carvalho.

«No outro dia cruzei-me num restaurante com José Maria Ricciardi e com ele travei uma discussão apaixonada acerca do destino do líder dos lombalgistas.

Defendia Ricciardi (secundado por dois outros grandes sportinguistas que também estavam presentes) que nenhum sócio do Sporting tem o direito de violar os estatutos do Clube e, se o fizer, deve ser condenado, em particular se for o presidente da Direcção e a violação consistir numa tentativa (felizmente falhada) de golpe de estado.

Estando, em abstracto, de acordo com este princípio, defendi então, e replico aqui a minha posição, que deve ser dada a oportunidade de Bruno de Carvalho apresentar-se nas eleições de 8 de Setembro - porque só com nova derrota esmagadora é que ele e os lombalgistas perceberão que constituem uma minoria, muito reduzida apesar de ruidosa e caceteira.

Os sportinguistas já derrotaram expressivamente os lombalgistas em duas ocasiões. A primeira foi na noite do Paços em Alvalade, a 8 de Abril, um par de dias após o célebre “post madrileno”, quando mostraram estar com a equipa e Bruno de Carvalho teve de abandonar o estádio pela porta dos fundos acometida de uma lombalgia aguda. A segunda vez foi na Assembleia Geral de 23 de Junho. Bruno de Carvalho, provavelmente com dores, entrincheirou-se atrás de um comando de lombalgistas selvagens (da mesma estirpe daqueles que me tele-ameaçam de porrada, insultam a minha mãe e me descrevem como um lampião à procura de tacho em Alvalade) para assediar os outros sócios do Sporting, mas, mesmo assim, foi reduzido, eleitoralmente, a uma expressão minoritária.

Pelos vistos, ou melhor pelos lidos num post recente, a linha lombalgista - que se alimenta de vitimizações sucessivas e de extravagantes teorias da conspiração - ainda não se considera suficientemente derrotada.

Sendo assim, os órgãos sociais do Sporting devem permitir a Bruno de Carvalho que se apresente nas eleições de 8 de Setembro e, em consequência, que permita aos associados do nosso clube demonstrarem mais uma vez que ele representa apenas uma reduzida minoria - representa aqueles que se afirmam mais brunistas que sportinguistas.

Façam-nos esse favor de desencadear uma mobilização expressiva - como sucedeu na AG - só pelo supremo prazer de podermos mostrar aos lombalgistas que a suprema derrota do seu líder populista é nas urnas.

Esta é apenas a minha opinião.»



Há quatro postais atrás defendi por aqui exactamente uma ideia semelhante, embora não me tenha sequer atrevido a explicar as razões. Apesar desse meu cuidado, tal não impediu os "lombalgistas" de também terem vindo até este meu "pobre tasco" para me insultarem e mai-los pobres dos meus saudosos pais...

Afinal a minha ideia seria, tão só, ser magnânimo para com quem me tem demonstrado a mais obscena mesquinhez e incivilidade e demonstrar-lhes quanta fé, esperança e convicção teimam ainda em acompanhar-me...

Desejo a todos os lombalgistas rápidas melhoras!...

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Continuam a querer fazer tábua rasa dos estatutos para acomodar Bruno de Carvalho. Ninguém pensa no futuro se BdC não for castigado, ninguém pensa no precendente aberto e como daí em diante todo o presidente que queira tentar um golpe sabe que o pior que lhe pode acontecer é ser destituído e ter que ir a novas eleições. Eu proponho que se defenda a lei, o direito, o futuro do Sporting e portanto que Bruno de Carvalho seja castigado. É que o homem tentou dar um golpe. Não brinquemos.

    Ou acham que há futuro fora da lei?

    ResponderEliminar
  2. Já deixaram Bruno de Carvalho votar na AG quando não podia, já o deixaram apresentar a defesa à nota de culpa fora do prazo. Acho que já chega. Quer dizer depois de vir todo mansinho para o facebook nem sequer respeita os prazos do processo disciplinar e é este que tem que se submeter aos prazos de Bruno de Carvalho? Tenham paciência. Eu espero uma suspensão longa. Pode candidatar-se nas próximas eleições.

    ResponderEliminar
  3. Li aqui um texto onde fiquei com a ideia de que o que se pretendia era a pacificação. Ao publicar este texto de Luís Paixao Martins que mais nao é que uma enxovalho gratuito daqueles que acreditam (estando enganados ou não) em Bruno de Carvalho , esta a prover a divisão. Eu acreditei em bruno de Carvalho e quando foi altura também eu sofri e depois votei pela sua destituição. Apesar disso nunca me passaria pela cabeça vir insultar aqueles que saíram derrotados. O carácter das pessoas vê-se quando nestes momentos. Ser capaz de receber de braços abertos todos, e não aproveitar este momento breve para vinganças mesquinhas. Um grande abraço ao autor do blog e o meu obrigado

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE