sábado, 30 de junho de 2018

Para grandes males, grandes remédios!...


Tenho a profunda convicção de que se houve fenómeno com algumas semelhanças com o "sebastianismo", acontecido ao longo de toda a gloriosa história do Sporting Clube de Portugal, sentido e vivido por todo o fantástico universo sportinguista, ele ter-se-à centrado, apenas e tão só, em torno dessa eterna e saudosa figura que foi João Rocha. Mas o seu desaparecimento físico, para além do desgosto que constituiu e da indelével e eterna marca de saudade que determinou em todos os sportinguistas, ainda que levemente mitigada pela honrosa e justa escolha do seu nome para o Pavilhão das Modalidades, teve o condão de colocar termo a qualquer aura lendária que porventura a sua figura suscitasse, de que um dia ainda regressaria a Alvalade em manhã de nevoeiro. Nenhum sebastianismo resiste perante uma inequívoca prova de morte do seu objecto...

Creio com bastante convicção que a significativa fractura a que a grande nação leonina vem sendo sujeita em tempos recentes, estará a concorrer fortemente para o nascimento de um "novo sebastianismo", que poderá de alguma maneira gerar escolhos e impedir o Sporting Clube de Portugal de prosseguir com a glória de sempre a sua história centenária. Embora no espírito da grande maioria dos sportinguistas ainda persista a esperança de que o tempo erradicará da nossa vida colectiva essa destruidora fractura, tal parece ser pouco visível e bastante improvável no nosso horizonte colectivo. Exactamente pela ausência de uma inequívoca prova da "morte" do objecto determinante.

É por isso que, pela terceira vez neste meu canto de leoninidade, volto para defender a tese de que, mesmo perante a discordância aqui manifestada de tantos ilustres e indefectíveis sportinguistas, apenas existirá um único caminho para matar e fazer descer aos infernos esse "novo sebastianismo" que, se lhe dermos oportunidade, muito provavelmente se enquistará de tal modo em nós que nem o tempo nem o sucesso e glórias futuras o conseguirão extirpar. 

Nesta condição permitam-me que reforce mais uma vez a minha tese de que será preciso dar aos sportinguistas a última e definitiva oportunidade de pôr termo a um tal "sebastianismo", esse terrível virus instalado na nossa vida colectiva, capaz de perturbar e afectar significativamente a construção do futuro do glorioso Sporting Clube de Portugal. E nada melhor do que derrotá-lo claramente uma vez mais nas urnas, em vez de recorrer às mais do que legítimas penalizações das perversas malhas em que se enredou esse pretenso, obsceno e maléfico sebastianismo!...

Para grandes males, grandes remédios!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Eu tenho novamente que discordar dessa tese. O Sporting tem 112 anos e portanto tem outros horizontes que não o curto prazo. Acho que voltar a desrespeitar os estatutos para acolher demandas de Bruno de Carvalho é sacrificar tudo ao curto prazo. O que Bruno de Carvalho fez, com as nomeações de órgãos sociais fajutos, pode inclusive configurar um crime, ou seja, a matéria é muito grave para que apareça agora a eleições como se nada fosse. Quem apoiou Bruno de Carvalho também tem que aprender que existe uma coisa chamada legalidade e a única maneira de o fazer é fazer respeitá-la. Se os apoiantes de BdC não querem aceitar a reposição da legalidade o problema não é do Sporting mas desses sócios. Em conclusão ou determinamos que nenhum presidente deposto, seja porque motivo for, como tentar dar um golpe, pode ser impedido de ir a eleições, e portanto inscrevemos isso nos estatutos, ou Bruno de Carvalho tem que ser suspenso. Enfim, para mim seria impensável que BdC pensasse que pode fazer o que fez e não ser suspenso. Com certeza que assim que pudesse faria o mesmo. O mesmo para os apoiantes de BdC, ou seja, não só em relação a BdC mas a outro que venha de sua preferência, continuariam dispostos a apoiar um golpe; porque é disso que se trata, os apoiantes de BdC são sócios que, de forma indirecta, por interposta pessoa, tentaram dar um golpe nos demais sócios do Sporting. O Sporting não pode recompensar essa atitude.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então, em relação ao título do post, acho que o "grande remédio" é mesmo a suspensão e impedimento de ir a eleições, porque é a único remédio que tem um potencial de imunidade contra a repetição de tentativas de golpe por parte de Conselhos Directivos.

      Obrigado por deixar expor a minha opinião.

      SL

      Eliminar
    2. Caro jramos,
      Subscrevo por inteiro a sua tese.
      Foram demasiados graves os atropelos e desrespeito pelas leis magnas do clube.
      BC deve ser suspenso no mínimo.
      SL

      Eliminar
  2. BdC cometeu violações muito graves em relação aos estatutos e, como tal, deve ser expulso de sócio.
    Não entendo o porquê de se achar que deve ir a eleições. Fazendo isso, estamos a desvalorizar os estatutos. Para além disso, não há nada a provar. Ele já foi derrotado nas urnas no passado dia 23 e ninguém se iluda que mesmo perdendo a 8 de Setembro se volta a apresentar daqui a 4 anos para novas eleições.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.

PUBLICIDADE