quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

"Honni soi qui mal y pense!!...


Já não dá mais

«Rogério Alves não está prisioneiro dos estatutos nem da direcção. Ele é o máximo representante dos sócios, enquanto presidente da MAG, e a ele cabe escutar e aferir dos sinais que brotam da família sportinguista. A imagem de Bruno Fernandes, em Braga, após mais uma derrota e só faltam três para o pior registo da história do emblema, sentado na relva a olhar o infinito e a pensar: «já não dá mais», retrata o actual estado do universo verde e branco.

É que ninguém acredita que Varandas possa dar mais. Há uma falência total de um programa, um enorme equívoco nas qualidades de um homem que pode ser bem intencionado mas já respira com ventilação artificial, porque não tem apetência para liderar e comunicar e isso é fatal para um presidente no século XXI. Além do mais, caminha quase sozinho na companhia de um autismo deslumbrado e arrogante para o abismo, enquanto uma série de sonsos da sua direcção e órgãos sociais já se atiram, na sombra, para os braços do próximo poder que lhes dê guarida. É deprimente, mas basta ler Shakespeare para reconhecer esta gente.

Parece hoje caricato recordar Varandas a dizer que esta época foi bem planeada, com profissionalismo e que «vamos estar na luta» a 19 pontos do Benfica e eliminados da Taça pelo Alverca. É risível relembrar Hugo Viana a afirmar: «temos uma equipa competitiva», ou o desaparecido Zenha a dizer com a segurança dos ignorantes que os nossos rivais estão mais fracos e nós mais fortes com os reforços adquiridos. Fernando nunca jogou, Jesé "Reggaeton" e Rosier são de canal Panda, Ilori, Eduardo, Borja e Doumbia são o poster gigante da incompetência, de quem exclamava: «futebol, fácil, fácil». Rogério Alves poderá pensar, «sim, horríveis contratações mas não podemos marcar eleições por cada época que corre mal», porém, o busílis da questão é muito mais grave.

Em campanha, Varandas reiterou que a situação não era grave e tinha soluções, Zenha afinou pelo mesmo diapasão e sublinhou então que não havia nenhum buraco financeiro. Logo, a substância das coisas não é apenas a gestão desportiva, mas a ausência de uma linha clara de rumo e uma liderança fraca e sem empatia que diariamente mutila a sua base de apoio que vê sem margem para dúvidas que o amadorismo matou a promessa de profissionalismo que era a música de embalar em Setembro de 2018.

Varandas é a face visível da desunião que semeia o vírus da descrença e indiferença. Num clube amansado que perde paixão diariamente, o presidente tornou-se um problema e não uma solução. O Sporting, como aqui disse há muito tempo, precisa de verdade e competência, de refundação das expectativas, e de um rosto que, com os pés no chão, traga esperança e empolgue com o seu carisma os sportinguistas. Não é um regresso ao passado, é um salto para o futuro. A alma leonina está a sangrar, já não dá mais. Rogério Alves, se faz favor, dê a palavra aos sócios.»
(Rui Calafate, Factor Racional, in Record, hoje às 20:57)

O recurso do F.C. Porto para o Tribunal Constitucional no caso da recusa pelo Tribunal da Relação do Porto em aceitar o pedido de escusa do magistrado que conduzia o processo dos emails para o analisar, por alegada e assumidamente ser adepto do Benfica, veio provar a quem ainda tivesse dúvidas que, como Rui Calafate acentua e bem na sua crónica de hoje, já "... ninguém acredita que Varandas possa dar mais. Há uma falência total de um programa, um enorme equívoco nas qualidades de um homem que pode ser bem intencionado mas já respira com ventilação artificial, porque não tem apetência para liderar e comunicar e isso é fatal para um presidente no século XXI..."

Frederico Varandas até pelo 'velho e decrépito' Jorge Nuno se deixou ultrapassar, quando ao Sporting assistirão tantas ou mais razões para jamais pensar sequer, junto ou separado, em não estar do mesmo lado da trincheira! O Presidente do Sporting parece ter reduzido o mundo que o rodeia aos quatro cantos do seu gabinete em Alvalade e, mais grave ainda, parece que nenhum dos seus pares o deseja acordar, saberão apenas eles porquê!...

Porém, drama dos dramas - no Sporting de hoje nascem como cogumelos! -, para Rogério Alves, cuja demora na recusa liminar do pedido da convocatória de uma assembleia geral destitutiva me causa particular perplexidade, tanto este apelo de Rui Calafate, quanto outros apelos oriundos dos mais diversos quadrantes do universo leonino, pese embora o facto de, como volta a lembrar e bem o autor de Factor Racional, "não estar prisioneiro dos estatutos nem da direcção", estarão, muito provavelmente, em rota de colisão com a sua agenda...

"Honni soi qui mal y pense!!...

Leoninamente,
Até à próxima

14 comentários:

  1. > cuja demora na recusa liminar do pedido da convocatória de uma assembleia geral destitutiva me causa particular perplexidade


    Há assinaturas? Há.
    Há justa causa? Nem é preciso ir mais longe do que o presidente do Sporting Clube de Portugal ter chamado burros e escumalha aos sócios do clube a que preside.
    Rogério Alves, se recusar, apenas mostra as cores que veste por baixo da jaqueta tweed. Qualquer juiz (ou advogado) imparcial determinaria que a justa causa é ampla.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Nem é preciso ir mais longe", bastou-me ler o comentário...

      Eliminar
  2. O grande problema do Sporting foi o Frederico Varandas ter acabado com avenças e outras benesses até então oferecidas a alguns iluminados da nossa praça.
    "Honni soi qui mal y pense!!

    Joaquim

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse terá sido o seu "Royal Straight Flush"!...
      De resto, apenas tem coleccionado uns pobres pares e duques, muitos duques!...

      Eliminar
    2. Na minha geração dizia-se que "o povo é quem mais ordena" .
      Hoje uns snobs querem mudanças e até falam em nome dos "pobres pares e duques" sem que estes lhes tenham passado qualquer procuração. Tudo isto faz-me lembrar o belíssimo filme O Leopardo, de Visconti - que vi há décadas - onde o patriarca da família sentenciou mais ou menos isto: "Para que as coisas permaneçam iguais, é preciso que tudo mude."
      Para já, vamos deixá-los poisar. Depois, quem sabe se umas plebeias "High Cards" tiram as dúvidas a tão insignes sábios.

      Joaquim

      Eliminar
    3. Pois! Deixemos poisar esses "pobres pares e duques", quiçá extinguirem-se por si...
      Gostei da piada Joaquim! Tanto que ainda me estou a rir!...

      Eliminar
    4. O sr deve ser uma pessoa muito bem disposta . O jornalista francês André Maurois dizia que "o riso é a forma mais civilizada de ser triste". Parece-me que foi a única coisa decente que disse, mas eu sou muito céptico com os jornalistas.
      Bom fim de semana

      Joaquim

      Eliminar
    5. Caro Joaquim, a vida ensinou-me que o mau humor nunca nos conduzirá a lado algum, pelo que rir, ainda que de forma civilizada, do seu óbvio desconhecimento das leis do poker terá sido uma reacção tão natural quanto irreprimível. Ainda estará a tempo de compreender o que disse...
      Que lhe valha ao menos um bom fim de semana.

      Eliminar
  3. Concordo a 100% com Rui Calafate!!! Pena que Varandas muito rapidamente tenha optado por uma linha ditatorial e de péssima convivência com a crítica, no caso de Rui Calafate e de Samuel Almeida, essa crítica era absolutamente construtiva e foi liminarmente recusada e deitada para o lixo, com uma desfaçatez e arrogância que tem vindo a pautar o mandato de Varandas!! Pena que não tenha sabido ouvir, pena que não tenha sabido escolher gente que não lhe dissesse permanentemente ámen, e pena que não compreenda que o seu tempo acabou!!
    Neste momento ainda está em aberto uma saída com dignidade, mas a janela de oportunidade é fugaz!!
    PS-Nada o impede de apresentar a demissão e ir a eleições para uma confirmação da sua aceitação actual face à massa associativa!
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também concordo com o comentário, especialmente com o P.S.
      SL

      Eliminar
  4. Um Sporting sempre em eleições. Os presidentes ainda não tomaram posse, ja são contestados. Se os resultados mudassem presidentes e treinadores em Espanha, no Atletico de Madrid lá se ia Semeone e o presidente depois de ser eliminado da Taça do Rei por uma equipa da 3ª Divisão, com Félix a fazer assistencias, segundo a bola.
    Nenhum clube pode ser governado por claques, blogers ou comentadores. Há estatutos!

    ResponderEliminar
  5. [...] O recurso do F.C. Porto para o Tribunal Constitucional no caso da recusa pelo Tribunal da Relação do Porto em aceitar o pedido de escusa do magistrado que conduzia o processo dos emails para o analisar, por alegada e assumidamente ser adepto do Benfica, veio provar a quem ainda tivesse dúvidas que, como Rui Calafate acentua e bem na sua crónica de hoje [...]
    O que tem isto a ver com o facto de o presidente eleito pelos Sportinguistas não dar para mais ?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Do meu ponto de vista será fácil, racional e intuitivo!...
      Escrevo o que penso e lamentarei sempre que não seja capaz de por vezes me fazer entender! Falha minha, concerteza...

      Eliminar
  6. Devido ao momento que se vive no Sporting...
    Tenho para mim que esta Direcção "está esgotada"...e sem possibilidade de reverter a situação...

    Acho necessário que novas eleições aconteçam...porque o Sporting não pode viver nesta indefinição...

    Agora do que eu tenho duvidas...é de que uma nova eleição "consiga" trazer ao Sporting a Paz que tão necessária é...

    O Clube está dividido (não é de agora)e o "meu medo" é que as diversas facções "coloquem" o interesse do Clube para trás das costas...e continuem a "guerrear-se" umas às outras, como acontece há muito tempo...e se acentuou mais recentemente...

    E já agora, espero também, que uma nova Direcção "tenha a coragem" de embora podendo dar apoio às claques...
    "As colocar no seu devido lugar", se bem que existem claques no Sporting que "nunca esqueceram" que a sua "razão de existência"...é o apoio incondicional ao Clube...

    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE