terça-feira, 5 de junho de 2012

A Selecção parece um circo !!!...


Já secaram as lágrimas do Jamor. Ainda que se notem os sulcos das escorrências lacrimais nos rostos tristes dos sportinguistas, que regressaram a casa com a viola no saco. Para trás ficou a euforia que antecipava a vitória e a festa que despropositadamente alguém se lembrou de marcar para Alvalade. E ficou também uma severa e dura lição para Ricardo Sá Pinto...
Mas este "estupor de povo" não tem emenda. Do desconsolo e da amargura, 3 milhões de almas partiram de imediato para uma nova etapa que virtualmente lhes permitisse esquecer e substituir o desgosto dessa tarde. E ironicamente, outros 5 milhões, com outros desgostos e desilusões na bagagem, lhes seguiram as passadas, convencidos que a felicidade é coisa fácil de alcançar, neste reino de ilusões, sempre tão próximo do abismo. Os restantes, pouco mais de 1 milhão, feita e  repetida a sua festa em casa, mesmo que sem fogo de artifício e sessões solenes, porque a crise o impõe e "imperador" não vai em futebóis, já trocaram por rubro e verde, as bandeiras azuis da glória efémera e contestada e juntaram-se ao "circo", com "tourné" marcada para Leste.
E ninguém grita que "o rei vai nú"!... Até a "esfíngica figura" alinhou no cortejo e recebeu no arraial de Belém todos os palhaços, sujeitando-se ao imbecil e mal educado desrespeito do "palhaço rico", com o aplauso, de cabeça bem levantada e os pés bem assentes no chão dos restantes "palhaços pobres".
As televisões, com a pública à cabeça da manada, esquecendo a crise e os passivos, destacaram para Leste os "pães" que lhes restavam na dispensa, num arremedo triste de Deu-la-deu Martins. E só falta assistirmos às íntimas lavagens das partes baixas dos palhaços, que entre ricos e pobres, comungam a confrangedora "cultura futebolesa" de jogarem melhor perante as câmaras, que nos relvados onde se decidem os jogos e nascem os campeões.
Ficou-nos arreigada nos hábitos e no espírito, a cultura "scolariana" do "forró nordestino" do Brasil. Que em vez de aviso solene interiorizado e gerador de cuidados preventivos, descambou em repetição, folclore e... circo!... Oxalá que a teoria do "show must go on", não nos traga mais dissabores, que as dificuldades que a crise nos impõe. Será muito mau para todos...
Hoje, como que a confirmar a minha repulsa por todo este "folclore" que nos envolve e tolda o raciocínio, encontrei aqui uma alma gémea. Um velho senhor do futebol português, que não embarca no "forró": Manuel José!... Retiro no meio de todo o seu discurso, esta réstea de lucidez:

"Tenho o maior respeito e simpatia pelo Paulo Bento, mas acho que, talvez devido à juventude, se está a deixar levar. Nunca deveria de ter permitido isto. Os jogadores têm de estar conscientes e concentrados no seu dever e no que sabem fazer, que é jogar futebol. Com este circo todo é evidente que eles não se concentram, mas mesmo sem isto, Portugal não é favorito. Não temos a equipa do passado".

Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Álamo

    Irrita-me imenso este provincianismo, para não lhe chamar boçalidade, que envolve as reportagens do dia-a-dia da Selecção. Sou vidrado em tudo o que é desporto, e, como tal, também no futebol. Mas o Euro ainda não começou, e já estou farto. Farto de lugares comuns, de elogios bacocos, de horas de não-notícias, de se preencher horas a falar da Selecção, dos jogadores, treinadores, etc., sem ter nada para se dizer.

    Concordo com muito do que Manuel José diz, mas não atribuo à juventude de Paulo Bento, o seu comportamento passivo perante todo o folclore em que vive o grupo que se vai deslocar à Polónia e Ucrânia.

    Para mim, Paulo Bento já se adaptou.

    Selecção? A pedido dos jornalistas e dos “opinion makers”, além dos amigos do “Grupo de Amigos de Cristiano Ronaldo”.

    Viaja-se à 2ª feira para jogar no sábado, tudo bem. Mas, segundo os enviados especiais, apenas 3 treinos?

    Apesar de se comentar que a equipa não tem um líder forte, para mim, existe lá dentro um núcleo muito fechado e dominante, para quem nem todos os possíveis seleccionáveis servem, e Paulo Bento faz-lhe a vontade.

    Bom, já desabafei. Vamos apoiar a selecção. E tudo o que vier para cima do 3º lugar é ganho.
    Note-se que é o 3º lugar no Grupo.

    Saudações Leoninas

    ResponderEliminar
  2. Em continuação:

    Andava preocupado com quem seria a alternativa a Coentrão, caso este se lesionasse, ou fosse castigado.

    O treino de hoje já o desvendou: quem actuou a LE numas das equipas foi Rui Patricio. Assim já se abre uma possibilidade a Eduardo ocupar o seu (dele, Eduardo) lugar: sentado no banco.

    ResponderEliminar
  3. Caríssimo "8",
    Nem sei que lhe diga. O meu amigo ainda veio pôr mais achas na fogueira, dando-me pormenores que eu desconhecia.
    E concordarei que não será a juventude de PB a permitir as asneiras. O MJ apenas quis ser simpático para ele, evitou ser corrosivo. PB já está de pedrae cal no sistema. Nunca pensei...

    Um abraço

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE