quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Chamam-lhe "magistruzes"!...


O SONO AZUL


«O presidente do conselho de administração e o director-geral da SAD do Porto foram constituídos arguidos, num processo que, além da actividade ilegal de segurança, envolve suspeitas de extorsão, violência e ameaças.

O Porto contratava os serviços de uma empresa de segurança que não estava legalmente habilitada para os prestar, não obstante elementos dessa organização já estarem detidos por suspeita da prática de crimes da mesma natureza; não deixa de suscitar curiosidade saber como é que o Porto pagava os serviços dessa empresa que não podia - como é obrigatório - incluir o número do respectivo alvará, não sendo, porventura, alheia a este circunstancialismo a quantidade de dinheiro em notas encontrada em buscas a casa de um dos arguidos mencionados.

Um histórico administrador da SAD tem trapalhadas, também históricas, com dependências e questões financeiras, que muito recentemente vieram a lume. Este é apenas um pequeno rol de muitas situações que vão sendo conhecidas e que ligam permanentemente o nome do clube ao 'bas-fond' da noite portuense e ao rol de negócios ilícitos que ela alberga.

Que os próprios visados não tenham tomado a iniciativa de, ao menos, suspender as suas funções enquanto pender o caso, é assunto que não espanta, porque há muito que quem os elegeu deixou de lhes pedir satisfações. O que me espanta é que, no Porto, ninguém reaja, ninguém questione, ninguém se insurja. No Conselho Consultivo da SAD estão os melhores nomes da cidade e do país, cidadãos acima de toda a suspeita, e nenhum deles levanta a voz?

Parece que a troco de títulos, cada vez mais espaçados, os sócios do Porto entraram em letargia comportamental e praticam uma hibernação das suas consciências, ou, como sintetizou acutilantemente, neste jornal, o Daniel Oliveira, um 'offshore' ético.

O Porto é um grande clube de uma grande cidade e não devia ver a sua brilhante história ensombrada por estes episódios lamentáveis, o seu nome associado a cenas macacas do Calor da Noite ou da Taverna do Infante, porque é muito mais, muito melhor do que isso e desejavelmente muito diferente. Fico à espera de ver quem tem a coragem de se assumir.»
(Carlos Barbosa da Cruz, O canto do Morais, in Record)


É, parece que neste país andará muita gente com sono! E há sonos para todos os gostos, cores e matizes: uns azuis, outros vermelhos, outros dourados e outros ainda às riscas ou às bolinhas, para terminarem com estrelas e, vejam bem, até com porta aberta! Apesar de uma certa porta, dizem que a nº 18, ninguém terá até agora conseguido localizar! Por via do sono!...

O problema é que para além de tanta gente com sono, andará também muita outra gente por aí a dormir! Ou então andarão a encharcar-se de barbitúricos!...

Chamam-lhe "magistruzes"!...

Leoninamente,
Até à próxima

1 comentário:

  1. Sou mais pela 2ª hipótese...

    Anda muito mais gente a dormir...do que propriamente com sono...

    Agora "a razão de andarem a dormir"...essa é que eu não consigo mesmo adivinhar...
    Mas desconfio que não será apenas dos possíveis barbitúricos...

    Será que essas pessoas "não fingem" que andam de "olhos fechados"...porque de alguma forma "lhes vão alimentando" as respectivas contas bancárias...?

    E olhe que "esse tratamento" até pode muito bem ser aplicado aos tais "magistruzes"...

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE