terça-feira, 5 de agosto de 2014

Andorinhas só costumam aparecer na Primavera !...


"Independentemente das deficiências de programação, do “scouting” claramente falhado e da desastrada comunicação em que redundou a presença num torneio à escala global, como a Emirates Cup, o Benfica passa a ideia de que está tudo sob controlo e que, como dizia o comentador da BTV, dentro de uma semana a equipa estará forte e competitiva, pronta para ganhar tudo outra vez.

E como se explica este optimismo? Apenas com o nome do treinador, Jorge Jesus. Mas quando ele perdia pela primeira vez com Nuno Espírito Santo, dois meses depois das finais com o Rio Ave, a tese de que a diferença no futebol moderno é feita, precisamente, pelos treinadores sofria um abalo violento. Com melhores jogadores, qualquer um pode vencer Jorge Jesus.

Único canal de comunicação aberto por esta altura, a televisão do Benfica funciona para a equipa de futebol como o Banco de Portugal para o Banco Espírito Santo. É o regulador da crise encarnada. E em Portugal temos aprendido que regular uma actividade problemática tem mais a ver com controlo de informação e redução de danos colaterais, do que com a dimensão real da crise. Regular, em português moderno, significa amaciar os problemas de tal maneira que eles acabem por parecer virtuais. Ficamos em estado de choque, mas regulados, tornamo-nos agentes passivos de uma crise que parece mais grave para quem está no centro do furacão. Tão regulados que chegamos a ter pena dos responsáveis, coitados.

Jorge Jesus era há três meses uma espécie de dono disto tudo, no que diz respeito ao futebol e ao Benfica. Montado numa pipa de massa, o tesouro de troféus e jogadores pretendidos pelos mercados mais ricos, terá acautelado mal os investimentos e agora surgem as cobranças. A maior das fortunas pode esvair-se em poucos dias – durante um defeso mal preparado, uma carteira de títulos desportivos pode tornar-se volátil como acções de um banco falido.

Os sinais de que a nova época não estava a ser bem preparada eram evidentes em várias situações, não apenas as da recomposição de um plantel amputado de metade dos titulares, mas até a da própria configuração do estágio, que levou à realização de quatro jogos em seis dias, em dois países diferentes. Acima de tudo, um sinal de que Jorge Jesus poderia estar a perder o controlo da situação – por mais que os “reguladores” venham apelar à tranquilidade e garantam que o Benfica continuará forte e poderoso, sem necessidade de uma recapitalização."
(João Querido Manha, in Jornal Record)

Estou preocupado! O homem deve ter batido com a cabeça em alguma esquina e, de declaradamente obnóxio, sofreu mutação tal, que até aparenta ser um homem normal, um jornalista como poucos poderemos apreciar na nossa praça!

Temo pelo mau prenúncio que esta "crise" possa significar! Temo que tenha sido o desaparecimento do "espantalho" do próprio "espírito santo", que ele agora diaboliza, e em que certamente se encostava e adquiria segurança e equilíbrio, que o terá precipitado para a esquina! Oxalá a consequência tenha sido apenas o galo com que certamente ficou na testa e esta diatribe que agora nos ofereceu. E que não tenha sobrado nenhuma sequela mais grave na tola, um coágulo por exemplo, que não lhe venha a criar problemas maiores que aqueles que sempre evidenciou!

De qualquer modo, merecerá acompanhamento atento. Andorinhas, só costumam aparecer na Primavera!...

Leoninamente,
Até à próxima

11 comentários:

  1. Ná...esta crónica não "pode ter sido escrita" pelo "manhoso" que o amigo Álamo "aponta" como sendo o "dono"...

    Ou então..."já temos" andorinhas no inverno...!!

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Max, à fé de quem sou! Eu não "aponto", foi mesmo o homem que escreveu, com fotografia e tudo! Os deuses devem estar loucos!...

      SL

      Eliminar
    2. Escreveu, sim, mas de encomenda -esta é a minha opinião.
      (Novo) mandante: um que não se nota no dia, só no dia seguinte.
      É uma espécie de garnisé, que se diz muito amigo do galo-mor. Mas, agora que sabe que este "esgotou" as garantias com a trafulhice da Inland/Parvalorem/BPN, quer armar-se em galo.

      Eliminar
  2. O Benfica, sempre o Benfica... imagino as olheiras que devem ter de passar noites em claro a pensar no Benfica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A pensar no benfas?! Credo! A ultima vez que pensámos foi na Taça de Honra! E quem passa as noites em claro não seremos nós, pois não?!...

      Eliminar
  3. Primeiro obrigado porque me ri com a conclusão. Depois este texto vem apenas confirmar que algo vai mal por ali..

    Vamos concentrar as atenções no Sporting, mas sempre com um olho nos rivais malabaristas.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é amigo Paulo Ravasqueira, apenas o corrijo dizendo que teremos de estar atentos, mas... com um olhho no burro e outro no cigano!...

      SL

      Eliminar
  4. Amigo Álamo, o cigano vai para o banco ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Lopatego que faça isso, que os ciganos tratam-lhe do carro, agradecidos...

      Eliminar
  5. Amigo Álamo, a pancada que o "querido", apanhou na cabeça, penso que até foi benéfica, pois fê-lo entrar na realidade, ainda que por breves instantes....

    PS: Ao Zé Diogo: Acha mesmo que o benfica é assim tão importante ao ponto dos Sportinguistas perderem noites de sono?????? Não faltava mais nada!!!....Para mim esse clube, teve sempre o meu desprezo!!!!!.....E sabe porquê?????? Pq tudo o que ganhou, está carimbado, com o selo da corrupção........

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leoa Maria, a pancada ter-lhe-á virado a cabeça 90º, não mais.
      A realidade é a mesma, o mandante é que terá mudado.

      Eliminar

PUBLICIDADE