quinta-feira, 15 de abril de 2021

Vitórias, vitórias e mais vitórias!...


O Sporting no sofá

«A estrada está a empinar para o Sporting. Os jogos tornam-se ainda mais intensos. Ninguém quer perder, muito menos frente ao líder. Nesta fase decisiva para uma equipa jovem, com um técnico inexperiente, é essencial manter o sangue-frio. Claro que é muito mais fácil escrever do que fazer.

Um dos segredos para obter sucesso será não alterar os hábitos e mexer na equipa apenas o que é ditado por lesões e castigos. Este conselho tem uma excepção: João Mário. Há quantos jogos o excelente médio se mostra fora de forma? Não tenta lances de um para um, não faz passes de rutura e perde com frequência a bola de maneira indolente. Ver a forma como João Mário tem actuado a titular, enquanto no banco ficam jogadores como Matheus Nunes ou Nuno Santos, é um mistério sem explicação.

O Sporting treme. Perdeu quatro pontos nos últimos dois jogos, o futebol não flui, Paulinho é ainda um corpo estranho onde a bola teima em não chegar. Os centros não buscam a cabeça do ponta-de-lança, porquê?

O Sporting vacila e ganha emoção o campeonato, com o FC Porto agora totalmente focado na frente interna e o futebol do Benfica a jorrar de todas as peças.

O grupo de trabalho do Sporting sente o perigo e surge alguma instabilidade no discurso do seu técnico, que ficará três jogos fora do banco.

É o momento para Rúben Amorim mostrar ainda mais o que vale. Colocar os melhores 11, mexer a partir do banco atempadamente, encontrar as linhas para os inesperados passes verticais, que foram uma das grandes armas desta época.

Se a equipa não reencontrar a confiança, se não conseguir reter o golo de vantagem, quando o consegue, o título pode escapar por entre as mãos. Não há razão para alarme, mas há razão para alerta, com o atabalhoamento que se tem sentido nos últimos jogos. Há uma pressa inexplicável. Nervos menos controlados. Os últimos jogos a caminho de um título de campeão são sempre assim, com a equipa em sacrifício como se fosse a pedalar na conquista de uma serra. O Sporting precisa de se deitar no sofá da psicanálise.

O trabalho agora é essencialmente psicológico. O Amorim que sorri e desdramatiza. O Amorim que fala simples e directo, eis o que o Sporting mais precisa nas próximas semanas. Para não se deixar ultrapassar na última curva...»

Para quem desejar encontrar o paradigma mais representativo da autêntica campanha de desinformação e embuste que vem sendo movida por uma boa parte da CS escrita - e nem só! -, encontrará nesta crónica vesga de Octávio Ribeiro o exemplo mais modelar e abrangente. 

Rúben Amorim e toda a sua gente, de braço dado com os dirigentes e adeptos sportinguistas, precisam de descobrir com urgência a vacina eficaz contra este terrível vírus disposto a tomar Alvalade de assalto. Essa vacina apenas poderá ter um nome...

Vitórias, vitórias e mais vitórias!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sem comentários:

Publicar um comentário

PUBLICIDADE