domingo, 14 de abril de 2013

Os ovos e o professor Jesualdo Ferreira


Já lá vão quase três meses, desde que aqui critiquei o professor Jesualdo Ferreira, por entender que na oportunidade, ele terá manifestamente exorbitado as funções para que havia sido contratado.
Pouco mais de uma semana tinha decorrido, desde esse meu primeiro reparo, e de novo vim a terreiro com o contraditório a declarações que entretanto o Professor tinha proferido, como justificação às críticas generalizadas que entretanto havia recebido de vários quadrantes, muito particularmente por parte de diversos autores da blogosfera leonina.
O tempo correu e hoje a situação no Sporting Clube de Portugal alterou-se profundamente. Dos protagonistas de então, restaram apenas o professor Jesualdo Ferreira, o corpo técnico que o acompanhava e os jogadores. Ficou a justeza das críticas que então as suas declarações  provocaram e ninguém terá dúvidas sobre a assunpção pelo próprio, do erro que terá cometido e do branqueamente que depois terá pretendido fazer.
Hoje apreciei a análise que Rui Baioneta fez aqui, sobre a posição actual do professor Jesualdo Ferreira no Sporting Clube de Portugal e sobre as perspectivas que se poderão abrir à sua continuidade. Nunca estiveram em causa os aplaudidos e justos encómios aos atributos profissionais e de carácter do professor Jesualdo Ferreira e muito menos à sua dimensão humana. E, claramente, uma declaração inconveniente ou menos cuidada, qualquer um de nós poderá patrocinar. Bruno de Carvalho e o professor Jesualdo Ferreira, provaram que os homens de grande dimensão, serão sempre capazes de reduzir a nada, todo o acessório e irrelevante que possa algum dia ter surgido entre eles.
Posto isto, direi que seria perfeitamente natural que o Presidente do Sporting Clube de Portugal, pela sua juventude, sportinguismo e desejo de rapidamente recolocar o Clube no primeiro patamar do futebol nacional, fosse tentado a ter de há muito no seu pensamento, a contratação de um técnico cujo perfil contivesse, para além de reconhecida competência, doses suficientes de loucura e amor pelo risco, que lhe permitissem apressar aquilo que habitualmente se consegue com tempo e paciência. Talvez Marcelo Bielsa ou Jorge Jesus, encarnassem o protótipo do treinador que Bruno de Carvalho eventualmente pudesse trazer no pensamento e que o Professor Jesualdo Ferreira, decididamente, nunca será.
Mas do meu ponto de vista e talvez no de muitos sportinguistas, a situação estrutural com que Bruno de Carvalho foi confrontado, recomendará, de muito longe, a competência, o conhecimento, o método e a paciência, caldeados com tempo, muito tempo, que dificilmente encontraria noutro qualquer treinador que não fosse Jesualdo Ferreira. Por muito grande que seja o desejo de Bruno de Carvalho de ver o Sporting Clube de Portugal regressar sob a sua liderança, no mínimo ao pódio do futebol português, jamais poderá cair no erro de pretender queimar as etapas fundamentais, necessárias e inultrapassáveis para a consecução estrutural que será sempre condição "sine qua non" para uma desejada ascensão consolidada e firme. Alcançado esse estágio o Presidente poderá até vir  a pensar em introduzir alguma dose de risco e loucura no seu projecto. Por enquanto, duvido que alguém que não seja o professor Jesualdo Ferreira, possa levar a cabo o ciclópico, paciente e inadiável trabalho de que o Sporting Clube de Portugal tanto necessita. 
Na inultrapassável quadratura de um círculo, ainda mais reduzido pelo acordo alcançado com a banca, o Sporting Clube de Portugal só conseguirá sucesso se tiver ao leme do seu futebol um técnico capaz de apresentar na mesa uma convidativa e apetitosa omelete, que terá necessariamente de confeccionar sem ovos. Esse é o papel que parece estar reservado para o professor Jesualdo Ferreira, nas actuais condições do Sporting Clube de Portugal e sobre o qual nem o próprio terá muitas dúvidas: ninguém de entre os mais qualificados treinadores do mundo reunirá atributos e conhecimentos superiores aos dele. Nem o consagrado José Mourinho! Por causa, obviamente, dos ovos!!!...
 
Leoninamente,
Até à próxima

3 comentários:

  1. Este é o maior desafio com que alguma vez o Prof. Jesualdo foi confrontado...
    Para bem do Sporting e para nosso contentamento...: dêem-lhe tempo e algumas condições mínimas...

    ResponderEliminar
  2. É a minha opinião também, caro MaximinoMartins!
    Oxalá o nosso Presidente assim o entenda...

    SL

    ResponderEliminar
  3. Dê-se o mérito ao homem!!! Fez omelete sem ovos e merece um voto de confiança! E sinceramente, não vejo melhor para o lugar: valoriza os putos, fá-los crescer e ainda pôs a equipa a jogar melhor...

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE