terça-feira, 1 de maio de 2018

Este homem é muito capaz de ir longe!...


A DÍVIDA E A DÚVIDA


"Com o conflito de Abril com os jogadores, Bruno de Carvalho criou um monumental berbicacho. Agora é obrigado a gastar energias a resolvê-lo. Há que reconhecer que tem sido bem-sucedido. Recuou no conflito com os jogadores, desligou a conta no Facebook com visíveis efeitos positivos na escala de Richter da crispação e a ideia de convocar uma assembleia-geral para o destituir parece ter caído por terra, vergada aos últimos resultados desportivos.

Pacificados os jogadores (pelo menos nas aparências), amansados os sócios (certamente não todos) e silenciados os opositores (deixou de se falar neles), faltava passar a mão pelo pêlo dos investidores, dos quais as SAD dependem cada vez mais para se financiarem. Tarefa a que o presidente do Sporting se dedicou num artigo de opinião publicado ontem no ‘DN’.

Depois das dúvidas sobre a solidez da SAD levantadas pelo adiamento do reembolso da emissão obrigacionista de 30 milhões de euros, Bruno de Carvalho faz, naturalmente, um autoelogio à forma como gere as contas. O mais interessante é que ficamos a saber que, nos últimos meses, conseguiu "negociar uma melhoria das condições da reestruturação financeira" acordada em 2013. Segundo o próprio presidente do Sporting, em vez de 135 milhões de euros, a SAD terá de pagar apenas 40,5 milhões para comprar ao Novo Banco e ao BCP os Valores Mobiliários Obrigatoriamente Convertíveis (VMOC) detidos por estes.

Em vez de um euro por cada título, o Sporting vai pagar apenas 30 cêntimos, um desconto de 70%. Com a reestruturação do que já havia sido reestruturado, o Sporting consegue um perdão de 94 milhões de euros. Bruno de Carvalho garante que no início da próxima época terá 17,5 milhões para comprar VMOC suficientes para que o clube não perca a maioria no capital da SAD. Consegue mais: pode reforçar a participação e diluir a de Álvaro Sobrinho. 

É o sonho de qualquer presidente, o pesadelo do costume para a banca. Os contornos da operação não são conhecidos – estranha-se não ter havido um comunicado à CMVM – mas é, no mínimo, polémico haver mais uma reestruturação em que os bancos ficam a arder (a anterior chegou ao Parlamento depois de uma petição). Claro que a última coisa que querem é ser accionistas de clubes, pelo que uma oportunidade para se verem livres destas dívidas é bem-vinda. Mas a que preço?

Convém lembrar que os bancos estão impedidos de aumentar a exposição dos seus balanços às SAD e compelidos a baixá-la. É por isso que os clubes precisam cada vez mais de recorrer às emissões obrigacionistas para substituir a dívida bancária. A dúvida é: haverá apetite para tanto? Pelo sim, pelo não, Bruno de Carvalho já está a vender a sua e a denegrir a dos outros.»
(André Veríssimo, director do Jornal de Negócios, in Record)

Desde Novembro à frente da direcção do Jornal de Negócios, dá ideia que André Veríssmo (AV) não terá demorado muito tempo a adoptar a "cartilha" e cá o temos, "controlado e reverente", a tratar de sentir como suas as "dores de corno" dos outros, baralhando completamente as vertentes que o seu jornal tradicionalmente tratava, para se aventurar em áreas em que o seu conhecimento deve ser igual ao meu se, estupidamente, porventura eu ousasse dissecar a crise que grassa nos alambiques do bagaço, depois das novas directrizes da União Europeia.

Parece que para AV, "negociar uma melhoria das condições da reestruturação financeira", constituirá um crime bem mais grave do que o roubo de um camião, ou a constituição de fundos para camuflar dívidas meia dúzia de vezes superiores às responsabilidades do Sporting nos VMOC, atirando o seu pagamento para o dia de "são nunca à tarde". Parece também que a coberto de um qualquer "guarda-chuva escarlate" AV se arroga ao direito de despejar a sua "sublime inteligência" sobre as cabeças dos "pobres asnos" responsáveis pela gestão de dois bancos privados! Serão porventura, todos estes responsáveis da banca privada, incorrigíveis e indefectíveis sportinguistas e que, sem necessidade de prestar contas seja a quem for, terão decidido entregar todo o ouro ao "bandido Bruno de Carvalho", apenas por afecto e generosidade!...

Este homem é muito capaz de ir longe!...

Leoninamente,
Até às próxima

8 comentários:

  1. Eles são todos muito sérios, os Camelos e os Vermelhíssimos desta vida. Tão zelosos da cartilha do execrável Janela. Fecham os olhos às inúmeras falcatruas perpetradas pelo condenado Vieira, Gonçalves, Gayoso e sus muchachos, mas ficam muito procupados com a recuperação financeira do Sporting. Esquecem os milhões de dívida das empresas do ladrão de camiões, esquecem os milhões de dívida do Sport Lisboa, esquecem as contas aldrabadas, esquecem as ajudas ilegais de câmaras e outras entidades públicas, esquecem as transferências fictícias. Problemas de memória? Ou simplesmente falta de carácter e seriedade?

    ResponderEliminar
  2. Makebafonica, não vá na conversa da cartilha.
    Nos próximos dias as palavras "perdão", "desconto", "arder" e afins vão pulular em blogs e imprensa desportiva. Para que então os Sportinguistas caiam na asneira de contrapor como acabou de fazer, dizendo eles fazem o mesmo.
    Errado. É só ler o conteúdo da dita negociação (coisa que ninguém faz) para perceber que não há perdão nenhum nem desconto algum...é falso.
    Repare que esse Andre Veríssimo consegue até falar da petição que foi à assembleia por causa das VMOCS, mas foi incapaz de dizer como terminou...com um chumbo de TODOS os partidos.

    ResponderEliminar
  3. Vergonha.
    Deviam ter vergonha na cara.
    O Novo Banco apenas existe porque os burros dos contribuintes andam a pôr lá milhões de euros para não falir de vez...
    Perdoar 95 milhões ao Sporting é perfeitamente normal.
    Se fosse ao Benfica também?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para já parece que, com a intermediação do vice-lampião "Gayoso", terão perdoado o pagamento de 600 milhões à Sport Lisboa Promovalor e Benfica, do "Orelhas"!...

      Eliminar
    2. Reestruturar não é perdoar. Foram dados mais 5 anos e novas garantias. Mas também duvido que algum dia pague o que deve.
      Isso não invalida que o que parece estar a ser feito com o Sporting seja uma vergonha para o contribuinte, no qual você também se inclui...

      Eliminar
    3. Ó jotapê, "reestruturar" pode ser tudo aquilo que as duas partes acordarem na negociaçãp, no sentido de obter vantagens recíprocas: reorganizar, reformular, reformar, remodelar, renovar, refazer, recompor, regenerar, modificar, alterar, reconstruir e por aí fora, incluindo redução ou perdão de juros, redução ou perdão de capital, redução ou alteração de prazos...
      Onde é que foi descobrir essa de que "reestruturar não é perdoar?! Em que compêndio de economia descobriu essa alarve estupidez?! Apenas porque lhe dá jeito a si, na tese que, pelos vistos defenderá, de que o Sporting apenas tem direito à insolvência, enquanto a instituição criminosa que "você" apoia tem direito a toda a impunidade?!...
      Ó jotapê continue míope como sempre. É uma matéria que só a si diz respeito, mas desapareça daqui e não volte a insultar a inteligência dos outros. Ou ainda não percebeu que aqui, há muito, é "persona non grata"?! Desampare-me a loja!...

      Eliminar
    4. "persona non grata" aqui, para mim é um orgulho enorme.
      Não desamparo a loja. Ponha o blogue secreto ou só acessível com registo, ou então sujeita-se a ter contraditório.
      Mas como não gosta que o contradigam, aguente-se e vá limpando os comentários que não lhe agradam...

      Eliminar
    5. Ainda que o cheiro me dê vómitos, por cá continuarei a limpar a merda que me deixam à porta. Os outros não têm culpa dessa merda...

      Eliminar

PUBLICIDADE