quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Cuidado, não 'roubem' o guarda-chuva ao homem!...


O Presidente cachecol

«A Assembleia Geral do Benfica voltou a ser notícia. Mais uma vez a confusão instalou-se.

O visado é Vieira e a sua Direcção.

Os relatos da imprensa afirmam que Vieira descontrolado em plena AG, colocou as mãos no pescoço de um sócio que antes o irritara numa intervenção que fizera.

Vieira terá afagado e aconchegado o pescoço do desgraçado, como se de um "cachecol" humano se tratasse. Terá ainda insultado, gritado e esbracejado com o próprio e para parte da plateia. Aliás, são essas as cândidas imagens que todos nós vimos na televisão.

Um verdadeiro acto deplorável.

Vieira resolveu dias antes dar mais uma entrevista de "estado" (neste caso líquido, uma vez que meteu água), à TVI.

A intenção era boa. Anunciar a sua recandidatura e falar sobre as majestosas contas do clube. O tiro saiu-lhe pela culatra. O guião não foi cumprido e Vieira não estava devidamente preparado pelo seu PT Luís Bernardo (a quem, segundo consta, o clube paga 250.000€ anuais à sua empresa de comunicação).

Resolveu dizer que ponderava mudar o símbolo do clube para efeitos de marketing (talvez um pintainho no símbolo seja mais fofinho de vender que uma águia da óptica do criador), disse que comprava jogadores para os vender logo a seguir com o intuito de ter apenas mais-valias financeiras, sabendo de antemão que os mesmos não tinham qualidade suficiente para jogar no clube. Os 20M€ gastos em Rdt e os 17M€ em Vinícius (jogador que eu aprecio) estão ainda por explicar.

Estas declarações caíram muito mal no seio dos adeptos.

Os Benfiquistas percebem que Vieira gere o Benfica como uma empresa e não como uma grande instituição que é.

Vieira quer vender e comprar, construir e refazer. Ser campeão basta.

Vieira confunde o clube como se de uma empresa sua se tratasse. Numa empresa sua poderia pagar os casamentos do Director Financeiro para fugir ao IVA, pagar os colégios dos colaboradores mais próximos e organizar no seu espaço eventos como os da congregação religiosa de um familiar seu. No Benfica fica-lhe mal. A instituição não merece este desrespeito.

O Presidente cachecol abraça e engole o clube. No Alverca foi assim.

Para quem apresentou tamanhos e meritórios resultados financeiros, para quem está há 16 anos à frente do clube pro bono e tem uma reacção destas por parte dos sócios, é porque algo se passa.

Percebe-se agora porque é que José Eduardo Moniz fala na limitação dos mandatos.

Para grandes males, grandes remédios…»
(Nuno Encarnação, Porto Porto Porto, in Record) 

Cuidado, não 'roubem' o guarda-chuva ao homem!...

Leoninamente,
Até à próxima

1 comentário:

  1. "... há 16 anos à frente do clube pro bono ..."...
    "Pro bono"...?
    Ah.ah,ah..."pro bono"...
    Boa piada...
    Mas como o "mal dos outros aguento eu bem"...
    Eu queria era os problemas do nosso Sporting resolvidos o quanto antes...

    E entretanto vamos lá tentar ganhar hoje...que é para isso que eu também lá vou...!

    Sporting Sempre...!
    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE