quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Mais palavras para quê?!...


O abismo do Professor Pardal

«Daqui a um mês, Frederico Varandas celebra um ano de presidência. Por certo serão feitos balanços e recordadas declarações. Há um acto e uma afirmação que marcarão o seu mandato. O acto: A contratação de um técnico desconhecido, sem palmarés, um enorme risco, que o expunha a críticas depois de ter dito em campanha que o seu treinador era José Peseiro. Porém, para surpresa geral, entrou galopante de saborosas e concludentes vitórias, enchendo de esperanças os adeptos, mas, posteriormente, claudicou no campeonato, compensando essa má prestação com a conquista de duas Taças, o salvo-conduto para que os sportinguistas lhe dessem tolerância para construir o plantel e iniciar a temporada com redobrado ânimo.

A afirmação: Aquando dessa escolha do holandês, galvanizado por essa maré de golos inicial, Varandas disse categoricamente que o pressuposto que funcionava para o racional da sua contratação era o «futebol atractivo e dominador». Contudo, após as desilusões em Tondela e Guimarães, Marcel Keizer meteu rapidamente esses princípios na gaveta, submetendo-se desde a recepção ao FC Porto em Alvalade para a Liga, a uma ideia de jogo pragmática, de linhas mais recuadas, jogando mais forte no momento defensivo e apostando em transições rápidas. Desde essa altura nunca mais se viu o dito «futebol atractivo e dominador».

Ora, esse acto e afirmação do presidente vão estar sob severo escrutínio dos leões, ainda mais depois da humilhante derrota no Algarve perante o rival que parecia um relógio suíço, numa estabilidade de processos que Bruno Lage impôs com o sucesso que é indesmentível. Há pouco tempo quando Jorge Jesus perdeu com o Emelec, na Libertadores, a imprensa brasileira criticou-o por ter "inventado". No domingo, agarro no epíteto que usaram para o português, tenho de dizer que o Sporting começou a perder por culpa do seu Professor Pardal. Com um sistema que usou no passado, mas não na pré-temporada, deu um sinal de fraqueza, criou a percepção nos adeptos com os três centrais de que entrava com medo. E pior do que um resultado injusto ao intervalo, com mais posse e oportunidades, veio o desmoronamento emocional inadmissível num grande clube e o dito «futebol atractivo e dominador» continuou na gaveta. No entanto, Keizer, que não sei se já compreendeu o gigante emblema que treina, ainda premiou os atletas com dois dias de folga para "limparem a cabeça".

Depois, a novela Bruno Fernandes não terá um final na Premier League. O capitão, que tem sido impecável no empenho nos treinos, com o grupo e adeptos, disse a Varandas que queria sair, mas vai ficar. Desejo que não fique deprimido nem contrariado, até porque vai receber os 5 mihões impostos pela cláusula deixada por Cintra. Depois do massacre da Supertaça, nunca o presidente o poderia vender abaixo da fasquia que estabeleceu dos 70 milhões. Nenhum adepto lhe perdoaria essa decisão pois BF é insubstituível e sem ele seria o dilúvio. Há 18 anos que o Sporting não é campeão, porém, parte sempre como candidato. «Se olharmos tempo suficiente para um abismo, o abismo olhará para nós», escrevia Nietzsche. Desejo que esse abismo não olhe para os leões na Madeira, contra o Braga e em Portimão, mas o início da época soa a caos. E ao contrário de Varandas, os sportinguistas estão muito preocupados.»
(Rui Calafate, Factor Racional, in Record)


Mais palavras para quê?!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Palavras, leva-as o vento, ainda mais quando o nosso futebol é dirigido por cabeças ocas!
    SL

    ResponderEliminar
  2. O ditador correu com esse da Sporting tv
    Se não fosses atrasado mental saberias isso..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com essa tua 'tola louca e desafinada', tu sabes lá o que é 'ditadura' e alguma vez serás capaz de compreender valores como amizade, consideração, respeito?!...

      Eliminar
  3. Continua a operação compulsiva, crónica de auto flagelação e autocomiseração leonina!.. Quem não é rico interiormente sofre muito com o mau desempenho dos outros!... Desde quando é que um homem com o seu eu bem trabalhado se realiza nas performances dos outros?!. É imperioso relativizar o futebol! Tem que se dar tempo ao tempo e os resultados surgirão. Ao Rui calafate, que se deixe de comunicações e que estude as complexidade do cérebro humano. Já agora, que leia Platão e Hegel. Está mesmo a precisar aprofundar a Crítica da Razão Pura. Ai, notáveis, notáveis... Saiam de cena e remetam-se à sua insignificância! Julgam-se todos muito sapientes, mas não passam de mais um conjunto de átomos como todos os outros seres da Terra!... Deixem as pessoas trabalharem em paz! Deixem de ver e ouvir os órgãos de intoxicação social! Há tantas coisas mais enriquecedoras e prazerosas!... Agora, se continuam a medir-se com os lampiões, vão andar sempre deprimidos. As derrotas do Sporting contribuem muito para a melhoria dos seus adeptos... Caso o SCP não tivesse claudicado de forma tão clamorosa, teria perdido o meu precioso tempo a ouvir lixo jornalístico... E assim, li "Jesus, o Maior Psicólogo Que Já Existiu", de Mark W. Baker. Cada vez, gosto mais do Sporting! Se isso ainda é possível! Obrigado ao rei acaso por me ter feito sportinguista. E é por ter esta gratidão infinita por ser sportinguista, que vou deixar os corpos sociais trabalharem em paz. E isto porque acredito que as pessoas estão de boa fé no clube. Ou estarei a ser ingénuo e crédulo?

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE