quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Então de que está à espera para resolver este?!...


O dilema de Varandas

«Frederico Varandas encontra-se numa encruzilhada. O Sporting tarda em dar uma cabal demonstração de força e qualidade (algo que já vem desde os jogos de pré-época) e, além da ausência de resultados, aquilo que deverá preocupar o presidente leonino é a inequívoca ausência de um fio de jogo, de uma ideia, de um caminho para a equipa. O Sporting corre, respira e vive de acordo com aquilo que Bruno Fernandes fizer. E isso é muito pouco.

Se há um culpado em toda esta ausência de processos, o seu nome é Marcel Keizer. Aliás nos dois jogos oficiais desta temporada, o holandês foi alvo de muitas críticas: com o Benfica, optou por uma táctica nunca utilizada na pré-epoca (3x5x3) e o resultado... foi desastroso; na visita aos Barreiros, sempre que mexeu na equipa, tornou-a... pior. Haverá, obviamente, outros culpados, mas aqui a questão é simples: os resultados ditam o futuro dos clubes e, num cenário deste género, a primeira cabeça a rolar é invariavelmente a do treinador.

É neste ponto específico que encontramos o dilema de Varandas. Se o presidente do Sporting optar por despedir Keizer nas próximas semanas, então assumirá que o seu projecto para o futebol leonino, do qual o holandês seria uma das pedras basilares, pura e simplesmente falhou; se não o fizer e os resultados continuarem a não corresponder às expectativas, então o líder leonino poderá ver-se arrastado para uma situação que o próprio quererá evitar: ser directamente vinculado ao insucesso da equipa de futebol, à escolha do treinador, à teimosia em manté-lo e, por isso, também ele um elemento dispensável no imediato. Para um lado ou para o outro... é preciso uma decisão. Para ontem.»
(Alexandre Carvalho, Na Gaveta, in Record)


Estou em crer que haverá, para além de Frederico Varandas, outros sportinguistas enleados, assaltados, manietados pelo mesmíssimo dilema! Eu pecador também me confesso, nunca me seduziu muito a ideia de que a  tão proclamada "chicotada psicológica" seja a milagrosa panaceia capaz de evitar a iminente queda no abismo de uma qualquer equipa. Mas haverá casos em que nem o soneto terá emenda, nem esta alguma vez poderá ser pior que aquele!... 

Diz-nos o percurso de Marcel Keizer em Alvalade, que a escolha de Varandas teria alguma consistência, alguma razão de ser. A informação que lhe terá chegado sobre o técnico holandês, sem que importe muito a sua origem, tinha alguma razão de ser e bastariam os resultados por ele alcançados até se esgotarem as primeiras duas mãos cheias de jogos para o comprovar. Depois aconteceu Guimarães e Marcel Keizer nunca mais foi o mesmo. Na "cidade-berço" perdeu a bússula! E nunca mais a encontrou! Em vez de prosseguir imperturbável, perante um qualquer acidente de percurso, o caminho traçado à chegada e fazer triunfar os seus teoremas, alterou a rota e, como diz o nosso sábio povo, "quem se mete em atalhos, mete-se em trabalhos"!...

De activo passou a reactivo, de defensor acérrimo do ataque e da tese de que mais importante do que evitar os golos dos adversários era marcar mais do que eles, passou a jogar como 98% das equipas portuguesas jogam em Portugal, de corajoso passou a medroso e, lenta, benevolente e permissivamente, foi tolerando que se transformassem em minutos os "cinco segundos" que quando chegou, exigia aos seus comandados para recuperarem a bola após a perda. E o Sporting entrou, como equipa, como sistema e fio de jogo, numa terrível espiral de decadência colectiva que nem as vitórias nas taças conseguiu disfarçar, apenas adiar para mais tarde, o trambolhão final. Que chegou, terrível e brutal, no Algarve! O Caldeirão terá sido apenas e tão só, o prosseguimento do incêndio que já lavrava e que Keizer já se revela incapaz de apagar!...

Chegados aqui, colocar-se-à a questão de saber se ainda será possível a Keizer, "levantar-se do chão"? Porém, nenhum indicador o aponta! Não conheço uma única opinião entre analistas e adeptos sportinguistas, que o admita! O facto, o terrível facto, que em cada dia, em cada hora, ganha mais dimensão, será que o 'drama de Keizer' parece ter-se apoderado inexoravelmente do Sporting, depois de ter atingido e devastado todo o plantel leonino! Keizer chegou como solução. Passados 10 meses, será o grande, o enormíssimo problema do Sporting!...

E questionar-se-ão os críticos e bem assim os adeptos leoninos, sobre o dilema de Varandas? Qual dilema, qual carapuça! Frederico Varandas não foi eleito para vacilar perante um qualquer dilema, seja desportivo ou, mais delicado ainda, todos o sabemos, seja financeiro! Ele foi eleito porque prometeu... resolver todos os problemas e dilemas do Sporting!...

Já resolveu alguns? Já sim senhor! E bem bicudos, por sinal! Bem haja por isso...

Então de que está à espera para resolver este?!...

Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Esta agora!!!
    o "presidente" varandas já resolveu algum problema do SCP?????
    Elucide-me por favor e refira um que encomendo já uma dúzia de foguetes!!!!
    Já agora dê-lhe algumas lições de gramática e de sintaxe que ele nem falar sabe!!!
    Terá ele comprado o curso, tal como outras personagens da nossa praça???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Vítor, ia fazer essa pergunta, mas já me poupou o trabalho!!SL

      Eliminar
  2. Os sportinguistas ainda acreditam que o problema do Sporting continua a ser mudar, constantemente, de treinador! Vamos, então, aguardar pelo futuro-ex-treinador do Sporting...

    ResponderEliminar
  3. Não espanta que o autor da peça ache que o dilema de Varandas é despedir o treinador agora ou para a semana, o que para o escriba já será tarde, visto que acha que o treinador do Sporting já devia ter sido despedido ontem..
    Com as escolhas já feitas e basicamente com a confiança entregue à mesma equipa da época passada, com a exclusão de Bas Dost, incompreensivelmente proscrito, o que será que um novo treinador vai conseguir com esta equipa. Mais do que duas taças? Imagine-se que vem outro e nem uma taça conquista esta temporada. Quando é que começamos a exigir para ontem o despedimento do próximo?
    É uma pergunta que se pode fazer. O brilhante escriba saberá dar resposta? É ele que paga a indemnização? Conseguirá ele treinar uma equipa de futebol? Se calhar devíamos contrata-lo para treinar o Sporting. A única coisa que lhes interessa é circo e sangue para venderem jornais e terem mais share que os concorrentes.
    Não podemos ir atrás dessas opiniões, por muito disfarçadas de jornalismo profissional que pareçam.
    Em Portugal e a treinar talvez um Vítor Oliveira fosse capaz de pôr o Sporting na linha. No estrangeiro há vários mas nenhum grande treinador virá para o Sporting. É ilusão pensar que sim.
    Paulo Fonseca era um treinador que gostava de ver no Sporting, por exemplo, mas quem é que quer vir para Portugal treinar, a não ser que esteja reformado, desempregado ou venha de um clube e de um campeonato pior? Algum realismo, talvez.
    Se o dilema do Sporting for dinheiro, como parece pelas notícias de que meia equipa está na porta de saída para ser vendida ao desespero, o treinador será o último dos problemas do Sporting.
    Ou é tudo mentira e é só inépcia. Nessa altura substitua-se o inepto, seja ele qual for. Se for o presidente, estamos tramados que é mais complicado de substituir...
    Qual será mesmo e de quem o dilema?

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE