quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Sem maledicências ou alcovitices !...

O abandono - ou rescisão por mútuo acordo - do dr. Gomes Pereira, particularmente pelo "timing", não foi uma boa notícia. Desconheço e desconhecerá a grande maioria dos sportinguistas, as razões subjacentes a tal desfecho. Mas provavelmente todos as advinharemos e os casos de Izmailov, Bojinov e Luis Aguiar não deverão ser estranhos ao que agora acabou por acontecer. Estabelecer culpados e apontar responsabilidades, será peditório para o qual não darei um único cêntimo. A Sporting SAD e o dr. Gomes Pereira discutiram civilizadamente o assunto e como sportinguistas imaculados que são todos, escolheram, também civilizadamente e como é seu apanágio, a melhor solução. Para mim é suficiente. 
Que o assunto tenha ficado absolutamente blindado dentro do clube e da esfera pessoal do dr. Gomes Pereira, parece-me uma decisão acertada e que honra ambas as partes. Para além da preservação da dignidade de um médico prestigiado e de uma instituição como o Sporting Clube de Portugal, cortam-se pela raíz as maledicências e alcovitices habituais da comunicação social.
Ao dr. Frederico Varandas, ilustre e conceituado médico e sócio sportinguista de mais de 20 anos, eu quero desejar os maiores sucessos. Está agora na sua verdadeira casa e, como disse ontem, os seus êxitos serão os êxitos do Sporting Clube de Portugal.
Leoninamente,
Até à próxima

4 comentários:

  1. Sem colocar em causa as pessoas, que não conheço, acho que mudanças são necessárias também nessa área tão sensível especialmente num clube que tantas lesões regista ao longo de cada época.
    Precisávamos de mais jogadores tipo João Moutinho que raramente ia ao tapete.

    SL

    ResponderEliminar
  2. Minha querida,
    Há quanto tempo?!... Pensava que estavas ainda zangada com a minha última tropelia. Não estavas e eu fico feliz. Sobre o assunto em causa, penso como tu, mas não quiz ir mais longe no post. Primeiro que tudo e todos está o Sporting.
    Ouvi hoje excelentes referências ao novo responsável clínico, Frederico Varandas. Ele certamente encontrará alguém competente e de confiança para o lugar de Virgilio Abreu, que parece também ter abandonado,
    Por muitas qualidades que tivessem ambos, não há insubstituíveis em nenhuma actividade do mundo. Quantas vezes na nossa própria vida não dizemos que "há males que vem por bem" ?!...
    Sobre o "sempre em pé", tens toda a razão. Ainda hoje, por outras paragens, não há mal que lhe chegue, caramba. Bom para ele e para quem lhe paga. Se calhar, feitas bem as contas, talvez tivesse valido a pena cobrir a oferta. Mas já não há volta a dar.
    Faltam dois dias para ir ao meu querido Alvalade. Lá estarei no A1, sempre, sempre a aplaudir. Sinto que vamos ganhar!...
    Um xi do tamanho do mundo e ... bem verdinho.

    ResponderEliminar
  3. Adorada Tite, camarada (também adorado mas enfim, não vá alguém pensar coiso e tal ...) Álamo,
    O que mais me entristece - e acompanhei enquanto leitor as discussões sobre o "caso" - é a facilidade com que se dá uso aos "nomes" como instrumento de ataque, ou defesa. Quando ambos, muito provavelmente, são 2 Sportinguistas do melhor que há: Gomes Pereira e Frederico Varandas. O primeiro: rosto que nos habituámos a ver sempre em conjunto com a equipa, no banco, na sala de imprensa, a festejar as vitórias, a chorar as derrotas. E o segundo, sócio do Sporting há muito, irmão de um "notório" (não confundir com "notável) e acima de suspeita Sportinguista, indivíduo especializado que colocou a especialidade ao serviço do seu país - enquanto militar. Pessoas do Sporting, as duas, que não devem de certeza nada a ninguém. E pessoas que serão - ambas - muito boas naquilo que fazem, ou alguém imagina que Gomes Pereira seria médico do Sporting durante tanto tempo se fosse um mau médico? Isto de virar artificialmente uns contra os outros com o propósito exclusivo de passar-se uma qualquer mensagem é feio. Passe-se a mensagem, o direito existe, mas sem ferir os 2 médicos. E os 2 Sportinguistas.
    Nalgumas discussões vi também lembrado o nome de Fernando Ferreira. Lá está, outro nome e outro rosto que nos recorda anos e anos ao serviço do clube. Li alguém afirmar - no Sangue Leonino salvo erro - que foi uma excelência de médico que o Sporting teve. Confirmo-o, e estou em condições de confirmá-lo porque a minha Mãe trabalhou com ele durante alguns anos, e a minha Mãe [um beijinho para ti Mãe (indefectível sócia e amante do Sporting que guarda a impressão - sempre guardou, desde que me lembro de ser gente - que vendo os jogos do Sporting transmite de alguma forma azar à equipa)], está em condições de avaliar a competência dos médicos com quem teve o privilégio de trabalhar, uma vez que ela própria é uma excelentíssima executante da profissão que ocupa na área da Medicina. Lembro-me inclusivamente de uma vez perguntar (esta parte já é mentira, mas tenho a certeza que se tivesse perguntado a resposta não seria diferente da que vou adiantar), "Mãe, quem é melhor, o Fernando Ferreira ou o Bernardo Vasconcelos?" (trabalhou com ambos), e ela respondeu logo, mas sem hesitar, "Filho, são ambos muito bons, mas o do Sporting é muito melhor ...".
    Isto para dizer o quê? Devemos agradecimento a ambos - Gomes Pereira e Frederico Varandas. Um porque foi médico do Sporting durante muito tempo, e outro porque inicia agora (ou iniciou há 1 mês) funções.
    Qualquer coisa que vá para além disto tenho a impressão que será divagar, embora não discuta o direito que assiste a toda e qualquer pessoa de argumentar os cenários A ou B. Porque a discussão tem razão de ser, e existe. Já existia desde os tempos de Jesus Cristo, ou da Roma Antiga (aquela do "Gladiador", onde o Imperador à beira da partida nomeou um Australiano como sucessor. Com que direito?, cabe na cabeça de alguém?, sem consultar ninguém, sem consultar o povo Romano, o povo de Mantorras). Alguém sabe do que é que está a falar? Alguém sabe se teve alguma influência para o ocupar do cargo o facto de Frederico Varandas ser irmão de um Sportinguista que serve o clube na sua Direcção? Ninguém sabe. Porque é que - em tese - essa influência ha-de ser mais determinante do que a de Manuel Fernandes, como exemplo? Tivesse o Manuel Fernandes dito a alguém, "investiguem lá e vejam-no porque para além de ter trabalhado muito bem em Setúbal é Sportinguista". Não cairia bem? Claro que sim. Mas isto lá está, é derivar, é imaginar. Podemos fazê-lo, qualquer um de nós pode, mas não se atinja o nome das pessoas, nem se insinue sobre os seus méritos. Os de ambos.

    Amigo Álamo, entusiasmei-me e perdoe-me tão longo comentário. Vou pegar em tudo isto e colar lá no outro sítio. Um abraço muito forte, e um beijinho para a excelente Tite.

    ResponderEliminar
  4. Beijinhos para ti também MM.

    PS - Gostei de ouvir o Luís Duque na entrevista de ontem à noite.

    Gosto de objectividade.

    SL

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE