terça-feira, 10 de janeiro de 2012

A reserva moral do Sporting

Bruno de Carvalho - in DN
Respeito e admiro muito Bruno de Carvalho!... Tanto, que foram para ele os meus quatro votos, nas últimas eleições. Nunca o escondi e não seria agora que alguma vez seria capaz de o negar. Considero-o uma reserva moral extremamente válida para o futuro do clube que amo. Mas não permito que o sentir do meu coração me retire discernimento e me impeça de chamar "os bois pelos nomes"!...
Desde 26 de Março do ano passado, sempre que Bruno de Carvalho tem emitido a sua opinião sobre a gestão de Godinho Lopes, como se compreenderá naturalmente, tenho focado a minha atenção nas suas palavras. E sempre tenho "sentido", com o apurado sentido crítico que é apanágio de todo o universo leonino, a que contra ventos e marés jamais deixarei de pertencer, que Bruno de Carvalho, independentemente de todas as razões que lhe possam assistir, não tem acertado nem no "timming" escolhido, nem nas câmaras de eco que tem privilegiado.
Godinho Lopes, na minha modesta opinião, tem feito um bom trabalho na condução dos destinos do Sporting. O clube inverteu claramente o sentido descendente que trazia de gestões anteriores. E a engenharia financeira que hoje Bruno de Carvalho tão duramente critica, suscita-me fortes dúvidas se poderia ter sido por si suplantada ou se porventura teria sido capaz de descobrir alternativas mais firmes e menos prejudiciais ao futuro do Sporting. E assaltam-me ainda mais dúvidas na soberana questão de saber se Bruno de Carvalho alguma vez poderia suplantar aquilo que Godinho Lopes conseguiu, sem o suporte de Luís Duque e, fundamentalmente, de Carlos Freitas.
Numa coisa Bruno de Carvalho tem toda e completa razão: o Sporting não teria morrido, acabado ou entrado em processo de extinção, se outro qualquer candidato tivesse vencido as eleições. Como erradamente e em criticável posição de "bicos de pés", Godinho Lopes ousou afirmar na última entrevista. Como Bruno de Carvalho, penso que nem um dos mais de três milhões de sportinguistas terá concordado ou aplaudido a imodéstia de Godinho Lopes. Do mesmo modo, sentirei como minhas, as preocupações de Bruno de Carvalho sobre as consequências futuras de todas as engenharias financeiras de que Godinho Lopes se valeu para recuperar o Sporting. Assim como com ele concordarei, em todos os processos que possam vir a traduzir-se na "entrega" do controle da mais insignificante parcela do nosso património a outras entidades que não sejam os associados do Sporting Clube de Portugal.
O que contesto e reprovo em Bruno de Carvalho, como antes afirmei, é o "timming" e os veículos que tem escolhido. Bruno de Carvalho não pode, tão só, invocar o seu estatuto de sócio do S.C.P.!... As últimas eleições aumentaram-lhe exponencialmente esse estatuto, sobrecarregando-lhe o nível de responsabilidade. Para mim, Bruno de Carvalho apenas deverá dirigir-se aos sportinguistas, utilizando dois únicos meios: Assembleias Gerais e jornal "Sporting"!... E nunca por nunca, deverá "espreitar" a oportunidade de um resultado menos conseguido, para o fazer. Se quizer continuar a ser, A RESERVA MORAL DO SPORTING!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sem comentários:

Publicar um comentário

PUBLICIDADE