sexta-feira, 8 de novembro de 2019

São muitos anos a "virar frangos"!...


Propongo que en el VAR, además del árbitro que analiza las imágenes, haya también un ex jugador de fútbol. Sería bueno dar su opinión según las jugadas que se puedan ir dando en el transcurso de un partido. #BuenasNochesMundo


Suspeito que nem Pier Luigi Colina acolherá esta interessante e valiosíssima proposta de Iker Casillas! Além de que colocar-se-ia sempre a questão de saber, entre duas opiniões opostas, qual prevaleceria...

São muitos anos a "virar frangos"!...

Leoninamente,
Até à próxima

2 comentários:

  1. É Interessante, mas difícil de aceitar. É preciso não esquecer que o árbitro é um juiz e nos tribunais, os juizes não costumam aceitar a pressão de uma das partes do processo. Num tribunal de jogo como são o VAR e o juiz de campo, o juiz ouve as partes em directo e ao vivo e julga. Desde que a lei se cumpra e seja clara, não passa nada. O VAR não tem de servir para julgar nem devia julgar coisa nenhuma. Assinala situações ao árbitro e este, que é o juiz, decide. Outra coisa que podiam promover era publicitação imediata dos relatórios dos árbitros e a obrigatoriedade do árbitro ir à CI explicar o jogo. Tal como os treinadores e jogadores são obrigados a ir às entrevistas, antes e depois dos jogos. De uma maneira saudável, transparente e sem submissões. Acabavam-se os programas intermináveis a visualizar erros dos árbitros e os comentadores dos rivais a acusarem-se uns aos outros de controlarem os árbitros e viciarem o campeonato.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo inteiramente com o João Gil sobre o papel que deverá ser atribuído ao VAR: servir exclusivamente para aconselhamento do juíz que está no terreno, mostrando as imagens já tratadas e a interpretação que as mesmas sugerem a quem está na central. O decisor final só poderá ser um, naturalmente. A questão que pretendi relevar seria, no caso de posições divergentes entre o VAR actual e um eventual jogador que viesse a fazer parte da equipa, qual triunfaria para que o árbitro no terreno fosse avisado no sentido de poder vir a alterar ou não a sua decisão inicial.
      A presença dos árbitros em CI que sugere já acontece em alguns países. Julgo que em Portugal nunca irá acontecer, por razões que todos conhecemos...

      Eliminar

PUBLICIDADE