quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Fala quem sabe!...


Sócios do Sporting assinam manifestos sem que neles constem os argumentos de justa causa
Movimentos que pretendem destituição dos órgãos sociais do Sporting não apresentam argumentação final aos sócios que assinam as petições

Segundo notícias veiculadas pela imprensa, os movimentos que pretendem a destituição dos órgãos sociais eleitos com Frederico Varandas em Setembro de 2018 continuam o processo de recolha de assinaturas. Porém os sócios que têm assinado não terão o adequado e necessário conhecimento dos argumentos que virão a ser invocados para justa causa. Ter-lhes-ão sido fornecidos simples argumentários ou manifestos e sonegada a consulta daqueles que serão os documentos finais a entregar à Mesa da Assembleia Geral liderada por Rogério Alves.

Eduarda Proença de Carvalho, antiga vice-presidente da Mesa da Assembleia Geral que em 2018 conduziu o processo de destituição do Conselho Directivo liderado por Bruno de Carvalho, terá explicado expressamente ao jornal Record, o que se torna imprescindível para que os movimentos possam ter qualquer tipo de sucesso nos seus objectivos:

«A justa causa tem de ser invocada nos pedidos de assembleia geral. Perante os factos, a Mesa da Assembleia Geral terá de reconhecer se há fundamento, quer concorde ou não. Não bastam as assinaturas, nem o dinheiro. As assinaturas validam um pedido de destituição com argumentos. Senão todos os dias tínhamos destituições. A própria direcção não pode pedir uma AG sem invocar argumentos.»

Fala quem sabe!...

Leoninamente,
Até à próxima

6 comentários:

  1. Se a maioria dos sócios assim o desejar não existe maior "justa causa" para que Varandas caia!
    Apelo a quem lidera esta recolha de assinaturas que vá em frente.
    Os meus votos estão garantidos!
    Que argumento uso? Incompetência total na gestão desportiva da modalidade mais importante do clube.
    Basta!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Embora discordando da posição do amigo João Antunes, pela razão simples de que, apesar reconhecer vários erros cometidos por Varandas, entender a sua gestão como positiva face aos problemas que herdou e que o Sporting não poderá permitir-se ao 'luxo' de andar em eleições todos os anos, aceitarei sem pestanejar a decisão da maioria dos sportinguistas, cumpridos que sejam todas as disposições estatutárias!...
      Abraço e SL

      Eliminar
    2. Caro João Antunes,

      Esse argumento não me parece válido para que se possa considerar justa causa.
      Se assim fosse, abria-se um precedente gravíssimo.

      SL

      Eliminar
  2. Então e os dois títulos ganhos no ano passado ??? podem ser invocados ????

    ResponderEliminar
  3. A assinaturas é só para fazer a AG. Só nesta Assembleia é que se pode invocar a justa causa e os sócios votam ou não a favor. Nos estatutos diz-se que pode-se invocar uma assembleia geral com 1000 ou mais assinaturas dos sócios e que esta seja paga por aqueles que a convocaram. Não fala nada de justa causa nenhuma, esta Sr.ª está a querer enganar os sportinguistas porquê? Só os sócios é que podem invocar a justa causa, pois os tribunais na altura de Godinho determinaram que só estes é que podem decidir a justa causa ou não, nem a direção e nem a mesa da assembleia geral pode decidir alguma coisa. A mesa da assembleia só tem que verificar as assinaturas e se tiver tudo dentro dos parâmetros invoca uma assembleia para os sócios.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será tamanha a confusão na cabecinha do Rui que já consegue pôr a MAG a invocar! Mas o que será que fará mover esta gente para vir aqui comentar, quando não dominando a sua própria língua, nem conseguindo perceber sequer o labirinto em que alguns o colocaram e menos ainda descobrir a sua saída, vem para aqui com frases feitas e que alguém lhe meteu na cabeça à martelada, cobrir-se de ridículo?!..

      Eliminar

PUBLICIDADE