domingo, 29 de setembro de 2019

Qualquer "cão raivoso" nos mija em cima!...



Guillem Cabestany: «Perante este ambiente é muito complicado arbitrar»
Treinador do FC Porto justifica com a arbitragem a derrota em casa do Sporting na final da Taça Continental (LINK1)

No hóquei em patins e no Pavilhão João Rocha, a união, o apoio e a força sportinguista começam a ser uma realidade, reconhecida até pelos adversários...

Curiosa porém a analogia que poderemos fazer entre a 'compreensível mas elegante amargura' vivida hoje por Guillem Cabestany no Pavilhão João Rocha, com aquilo que o levou a considerar como "a maior vergonha que viu na p*** da sua vida"! (LINK2)

No futebol e no Estádio José Alvalade uma pequena fracção de adeptos sportinguistas consegue preocupar-se mais com "velórios, lutos e vinganças" e 'o arrastamento e os resultados' estão à vista...

Qualquer "cão raivoso" nos mija em cima!...

Leoninamente,
Até á próxima

5 comentários:

  1. Caro Álamo, permita-me deixar aqui algumas notas. O ecletismo e a Formação são duas bandeiras que os Sportinguistas acarinham. Uma, o ecletismo, é um fim em si mesmo, outra, a Formação, um meio. Como tal, tenho para mim, que esse Sporting que se vê nos pavilhões é um Sporting bactereologicamente puro. Não quero com isto dizer que as mesmas pessoas que estão disponíveis para apoiar do princípio ao fim as modalidades não vão depois ao estádio protestar. A questão é que todos no pavilhão sentem um Sporting mais à imagem do seu fundador e do visionário João Rocha (e aí tenho de dizer que BdC, que não fez só coisas más, soube compreender e potenciar isso), como tal quando lá vão é para apoiar incondicionalmente. Eu já me desloquei ao PJR algumas vezes e o ambiente que lá se vive é algo de muito especial. Não sei, mas creio que isto merecia uma profunda reflexão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Pedro Azevedo, sem deixar de lhe estar grato pela singular contribuição do seu justo comentário, desejaria que interpretasse este meu singelo postal, exactamente com os mesmos reconhecimento e propósito que refere! Reconhecimento acerca do "ambiente único" que o Pavilhão João Rocha nos oferece e o inalienável e firme propósito de contribuir para uma "verdadeira reflexão" de todos os sportinguistas que vão ao Estádio José Alvalade, no sentido de o poderem vir a transformar num "gigantesco Pavilhão João Rocha"! Nem outro propósito me poderia animar, a mim que, como o meu caro e estimado consócio, serei absolutamente avesso a "lateralidades" supérfluas!...

      Grande abraço e SL

      Eliminar
  2. Já que no futebol estão uma miséria vingam-se no hóquei bem mas o campeão nacional ainda mora no dragão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o campeão Europeu mora em Alvalade!! E assim se perde uma boa oportunidade de estar caladinho!!

      Eliminar
  3. Isso não será mais resultado da péssima e pífia Direcção que temos????

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE