sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Afinar pelo diapasão da má-língua!...



Roquette: «Direcção não vai fazer milagres»

Antigo líder pede tempo para Frederico Varandas

José Roquette, antigo presidente do Sporting, em entrevista concedida à Rádio Observador, considera positivo o trabalho desenvolvido por Frederico Varandas no primeiro ano de mandato. "Foi para mim uma surpresa, pela positiva", reconhece o antigo líder, referindo-se aos "resultados desportivos" e a "alguma recuperação" noutras áreas. 

Roquette afirmou ainda estar consciente de que o trabalho da actual direcção não será fácil. "Os danos que foram causados pela direcção anterior foram de uma dimensão que nunca aconteceu na história do Sporting. E isso tem de ser entendido pelos sócios e adeptos do Sporting como qualquer coisa que vai exigir tempo", reforçando a seguir: "O que tem de entender-se dentro do universo Sporting é que há que dar tempo ao tempo. Esta direcção, obviamente, não vai fazer milagres. É impossível passar de uma situação como aquela que se viveu no ano passado para uma história de sucesso."

Numa longa entrevista em que reconheceu ter feito um prognóstico demasiado "optimista" do Projeto Roquette no momento em que decidiu deixar o clube e na qual abordou também temas da vida política e empresarial, o antigo presidente continua a manter a convicção de que o Sporting é "sustentável", mesmo não vendendo a maioria do capital social da SAD, referindo a propósito: "Vender a maioria da SAD acho difícil, por causa daquilo que são os antecedentes e daquilo que seria a reacção interna do clube".

Afinal haverá ainda alguns "esqueletos" que, aos 82 anos de idade, quando saem do "armário" são capazes de recusar...

Afinar pelo diapasão da má-língua!...

Leoninamente,
Até à próxima

9 comentários:

  1. UM DOS COVEIROS DO SCP A BOTAR DISCURSO …..

    ResponderEliminar
  2. O ANDAIME
    O tempo que eu hei sonhado
    Quantos anos foi de vida!
    Ah, quanto do meu passado
    Foi só a vida mentida
    De um futuro imaginado!

    Aqui à beira do rio
    Sossego sem ter razão.
    Este seu correr vazio
    Figura, anônimo e frio,
    A vida vivida em vão.

    A 'sp'rança que pouco alcança!
    Que desejo vale o ensejo?
    E uma bola de criança
    Sobre mais que minha 's'prança,
    Rola mais que o meu desejo.

    Ondas do rio, tão leves
    Que não sois ondas sequer,
    Horas, dias, anos, breves
    Passam - verduras ou neves
    Que o mesmo sol faz morrer.

    Gastei tudo que não tinha.
    Sou mais velho do que sou.
    A ilusão, que me mantinha,
    Só no palco era rainha:
    Despiu-se, e o reino acabou.

    Leve som das águas lentas,
    Gulosas da margem ida,
    Que lembranças sonolentas
    De esperanças nevoentas!
    Que sonhos o sonho e a vida!

    Que fiz de mim? Encontrei-me
    Quando estava já perdido.
    Impaciente deixei-me
    Como a um louco que teime
    No que lhe foi desmentido.

    Som morto das águas mansas
    Que correm por ter que ser,
    Leva não só lembranças -
    Mortas, porque hão de morrer.

    Sou já o morto futuro.
    Só um sonho me liga a mim -
    O sonho atrasado e obscuro
    Do que eu devera ser - muro
    Do meu deserto jardim.

    Ondas passadas, levai-me
    Para o alvido do mar!
    Ao que não serei legai-me,
    Que cerquei com um andaime
    A casa por fabricar.


    Fernando Pessoa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A "casa por fabricar" de Pessoa, jamais poderá ser trazida para um contexto em que a "casa está fabricada há 113 anos"! Só por má fé ou lamentável incompreensão da mensagem! A menos que se imagine Roquette a protagonizá-la e então, nesse caso, concordarei com JFerreira65. Mesmo melhor que outros "esqueletos", haveremos sempre de lembrar o seu fracasso, que até ele, hoje, humildemente - facto raro! -, reconhece!...

      Eliminar
  3. É preciso ter descaramento! Então, este Roquetttte vendeu o património todo e acabou com quase todas as modalidades! Excetuando os últimos seis meses, BDC foi incomparavelnte melhor presidente do que ele.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Memória curta, Helder Mestre! Quem vendeu o património foi Filipe Soares Franco. Quanto ao 'falecido' cada qual coloca o luto que entende! Em África as pessoas usam o branco; em Portugal, aqueles que ainda mantêm a tradição, vestem-se de negro; por mim e numa vez sem exemplo, engalanei de vermelho!...

      Eliminar
  4. Não foi este artista que endividou o Sporting, para depois vendar as dívidas do Sporting ao BCP, incluídas no pacote chamado "Banco Melllo"?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se a memória não me atraiçoa, a resposta é não!...

      Eliminar
    2. Os bancos titulares da dívida do Sporting são o BCP e o NB.

      Eliminar
  5. Mas o Homem ganhou um campeonato, Dias da Cunha, colaborador, o último há 18 anos iniciou a Academia de Alcochete.
    Agora já há uns atrasados "mensais" a falar de Sporting SAD e Sporting no campeonato de Portugal. A onde é que isto vai parar!

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE