quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Ainda a ressaca do derby do Seixal !...


"Fui ver o jogo. Na primeira parte o Sporting deu um banho de bola ao Benfica e podia estar a ganhar por 2 ou 3-0. Na segunda parte, o Benfica recuperou mas com muito demérito do Abel. Tirou o Mané aos 67' - que estava a jogar bem - e meteu o Kikas a médio centro !!! Matou a equipa. Muito fraco este Abel ! Bem melhor o Dominguez.".

Os adeptos de bancada são assim: vivem as vitórias com empolgamento e misturam nas derrotas, decepções mais ou menos compreensíveis, ódios de estimação pouco abonatórios, e um sem número de valores que sempre deveriam estar contidos na sua apreciação, a começar pela reserva natural que lhe deveria ser subjacente.

Contudo, todos reconheceremos que o percurso de Abel Ferreira como líder da nossa segunda equipa profissional, tem deixado algo a desejar, ao longo desta quase concluída primeira volta da II Liga, nomeadamente na mensagem que tem passado para o exterior, que naturalmente terá determinado ou influenciado em grande parte, aquela que tem transmitido aos seus pupilos.

Por alguma razão se terá visto na necessidade de reconhecer publicamente a alteração da filosofia de trabalho do grupo que lidera e não sairá incólume de críticas semelhantes àquela que acima é feita pelo adepto leonino.

Abel Ferreira, cujo carácter e estatura moral,  pelo seu passado de atleta e cidadão, nunca deverão ser natural e minimamente colocados em causa, estará a ser vítima de um acelerado, extemporâneo e porventura contraproducente processo de formação, consubstanciado na demasiado rápida transição dos escalões de formação para o escalão profissional. E talvez as culpas não lhe caibam em exclusivo.

Mas que deverá impôr a si próprio uma séria e profunda reflexão, no sentido de se libertar rapidamente de um certo grau de complacência ou mesmo de exigência menor para com o grupo que lidera, já por aqui o deixei expresso e agora não posso deixar de o reiterar. Sob pena de, necessariamente, a estrutura responsável pela sua promoção, se ver num futuro mais ou menos próximo, confrontada com a obrigação de reformular o projecto.

Abel Ferreira é o treinador de uma equipa profissional, inserida numa prova de alto grau de exigência em todos os campos, desde o técnico-táctico ao disciplinar, com outras vertentes de importância significativa pelo meio. E os acontecimentos fornecidos pelo último derby no Seixal, não poderão deixar de ser motivo da sua profunda reflexão e consubstanciar naturalmente a procura de um rumo mais compatível com os objectivos que deverão envolver o projecto que lidera.

Leoninamente,
Até à próxima   

2 comentários:

  1. Também aceito que o Abel "tenha queimado" algumas etapas da sua formação como treinador, e não necessariamente por culpa própria...
    Mas se eu ainda consigo desculpar em parte, desculpar uma ou outra falha técnica ou de visão, no que concerne ao trabalho apresentado pela equipa...
    Já não estou tão aberto...a desculpar as falhas disciplinares...pois isso, deve ser disciplina transversal a toda a formação e equipas profissionais...
    Por isso então...atenção Abel...agarra o leme como deve ser, antes que algo te faça sair borda fora...!!

    Sporting Sempre...!!

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como se poderá inferir do post, comungo inteiramente o seu ponto de vista, amigo Max. Gosto de Abel Ferreira. Nunca o escondi. Mas isso não significa que deva fechar os olhos tudo o que vem fazendo na equipa B.

      É provável que também com ele devamos ter compreensão e dar-lhe tempo para crescer como técnico. Mas entendo que no campo disciplinar deverá ser inflexível. E lamentar apenas os acontecimentos do último derby, parece-me demasiada condescendência. "Um fraco rei faz fraca a forte gente" !...

      SL

      Eliminar

PUBLICIDADE