segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Inevitável!...




E no meio do nevoeiro, sem honra nem glória, ficaram apenas as "basófias"!...

Inevitável!...

Leoninamente,
Até à próxima

Como se qualificará hoje JJ ante Rui Vitória?!...


HOMEM SÁBIO

«Meses atrás, dediquei aqui uma crónica ao excesso de entusiasmo dos sportinguistas, que rapidamente se transformou em simples esperança e deu depois naquilo que vemos hoje: uma desilusão profunda. Porque os desafios não se ganham com o prestígio das camisolas, mas antes com realismo, tranquilidade, engenho e trabalho – e ganham-se, especialmente, com os jogadores.

É a essa postura que Rui Vitória tem sido fiel, tanto nos momentos em que as coisas não correm bem, como, em particular, quando as vitórias se sucedem, a plateia fica eufórica – e na euforia os fãs do emblema da Luz são imbatíveis – e a equipa se contempla, baixando a guarda.

Em vez de se agarrar, como um náufrago à tábua, aos incríveis erros de arbitragem da partida com o Boavista – lá se vai a tese da conspiração vermelha –, o treinador dos encarnados reconheceu que o seu onze entrou mal no jogo, lembrou que a equipa não é invencível, salientou a "reacção fantástica" que possibilitou a recuperação do 0-3 e recusou culpar o árbitro pelo empate – que podia até ter dado em derrota se, na parte em que a força já faltava, Ederson não estivesse ao seu melhor nível.

Rui Vitória também não disse uns palavrões na cara de Luís Ferreira, nem participou num "show off" que lhe permitisse salvar a face. Ele sabe que o foco deve estar nos jogadores e que a euforia tonta é inimiga dos objectivos. E esse é o caminho – com jogos florais não se conquistam títulos.»
(Alexandre Pais, Canto Directo, in Record)

O último encontro disputado pelo Benfica na Luz, contra o Boavista, permitiu-me estabelecer um curioso paralelismo com aquele, de triste memória, que o Sporting disputou em Vila do Conde.

Creio terem sido fragilidades semelhantes às demonstradas pelo Sporting ante o Rio Ave, que permitiram ao Boavista chegar na Luz ao 3-0. Mas Rui Vitória terá surpreendido tudo e todos e ainda foi a tempo de evitar danos maiores. Tarefa de que Jorge Jesus se havia revelado total e completamente incapaz de realizar.

Apeteceu-me, depois de ler a crónica de Alexandre Pais, rebobinar um filme exibido há precisamente um ano, protagonizado por Jorge Jesus, cujo desempenho ao longo de quase dois minutos, poderá muito bem ter sido o primeiro ensaio para o tri do Benfica. 




Hoje, passado tanto tempo, tantos "carnavais", tantos "roubos de igreja", tanto excesso de palavras e outras coisas menos boas de que, se calhar, teremos de nos penitenciar...

Gostava de saber como se qualificará hoje JJ ante Rui Vitória?!...

Leoninamente,
Até á próxima

domingo, 15 de janeiro de 2017

Uma via de destruição e terra queimada!...


SPORTING NÃO MERECE BAS DOST

«Este Sporting não merece um jogador como Bas Dost. E Bas Dost não merece que um Jorge Jesus atarantado o substitua por um defesa central, para defender um miserável resultado de 2-1 contra o Chaves. Para, no final, não defender coisa nenhuma e sofrer, nos últimos minutos, o golo do empate. O golo dos tristes.

O meu pai, um guerreiro que adorava uma boa briga, sempre me disse " nunca batas nos vencidos". Falava em bengaladas sobre os caídos no terreiro, em bengaladas sobre outros corajosos guerreiros que tinham enfrentado a luta de olhos nos olhos. Este Sporting é um vencido sem honra nem glória, em quem apetece bater porque se arrasta pelos campos a mastigar a bola e de falhanço fatal nos momentos decisivos, como se viu mais uma vez no sábado. Não se aguenta.

O mandato deste presidente foi um fracasso desportivo absoluto, um desastre na comunicação e, em parelha com o treinador, de uma gabarolice parola sem sentido nos tempos de hoje, sobretudo quando se representa um clube com o gabarito do Sporting. Os adeptos dão sinais de saco cheio, leitura que Bruno de Carvalho tem de fazer e mentalizar-se que talvez o clube não queira que continue a"sacrificar-se" por ele e que as derrotas continuadas instalam crises tremendas. E o cheiro a crise é cada semana mais intenso e uma vitória eleitoral vai ser só um prolongamento de jogo.

A crise não é coisa nova em Alvalade, tem décadas. Cada novo presidente fez renascer a esperança a adeptos causticados pelos insucessos e, em consequência, ridicularizados pelos rivais. Bruno de Carvalho exponenciou essa esperança o que torna o falhanço mais brutal. Há um bilhar grande perto de si, presidente.»
(Alberto do Rosário, Bilhar Grande, in Record)

Assiste tanta legitimidade a Alberto do Rosário para escrever esta crónica, como a mim para escrever o post anterior!...

A única diferença residirá no facto de o meu texto pretender ser uma crítica construtiva, no sentido de contribuir para o engrandecimento do Sporting, partindo do pressuposto de um rumo que me parece certo, enquanto AR parece ter optado por...

Uma via de destruição e terra queimada!...

Leoninamente,
Até à próxima

Elementar, caro Bruno!...


Bruno de Carvalho criticou equipa e capitães responderam à letra

«O ambiente no balneário do Sporting, no final do desafio com o Chaves, era de cortar à faca, apurou O JOGO. Os jogadores abandonaram o relvado desanimados após o empate registado (2-2) e, já entre portas, longe dos olhares do público, tiveram no balneário a presença do presidente do clube, Bruno de Carvalho, que rápida - e sonoramente - mostrou a sua insatisfação com o resultado, pondo em causa o profissionalismo e a entrega dos atletas. Estes não gostaram do teor e do tom das acusações, com os capitães, Adrien e Rui Patrício, a darem resposta e a fazerem a defesa do grupo de trabalho, cientes de que, apesar de as coisas não estarem a correr bem, a dedicação tem sido plena. A discussão foi bem audível fora do balneário.»
(in jornal O JOGO, em 15-01-2017 às 09:47)

Embora reconhecendo a dimensão humana do "imperdoável" pecado ontem cometido em Chaves pelos onze leões que aos 88 minutos "deambulavam abúlicos e sem os dentes cerrados" pelo relvado do estádio Municipal de Chaves e que porventura terão ajudado a sepultar em definitivo os justos anseios da glória, seus e nossos, de se sagrarem campeões nesta época de 2016/17, manda a verdade que nem sequer no "pódio das culpas" será justo colocá-los: antes deles, manda a justiça que se entregue o ouro a Bruno de Carvalho, a prata a Jorge Jesus e o bronze à Comunicação do Clube. 

A medalha de ouro terá começado a desenhar-se aqui -02/07/2016- e prosseguiu ao longo de mais de meio ano com a água benta aspergida sobre o "omnisciente manager" na estapafúrdia dúzia de contratações/flops que lhe foram permitidas sem travão, quase "ad hoc" e com aplausos e, "last but not least", com a inconsequente e estrategicamente errada desresponsabilização dos nossos atletas profissionais em cada um dos sucessivos inêxitos, atirando para factores externos ao colectivo leonino as culpas dos mesmos!...

O "assalto" à medalha de prata terá tido o seu início no colossal fiasco da pré-época, prosseguiu na inclassificável, inadmissível e pelos vistos imparável ou mesmo intransponível "orgia do poder" do manager, na já citada "estapafúrdia dúzia de contratações/flops", para se vir arrastando depois durante os últimos meses, numa negação completa de todos os predicados e qualidades técnicas que se atribuíam ao "manager"!...

A medalha de bronze deverá ser atribuída "ex-aequo" àqueles que arrebataram as duas medalhas anteriores e juntando-lhes aquele que entrou para o Clube para lhe acrescentar excelência comunicacional e não soube, não quis, não foi capaz ou não teve a coragem de modificar ou contrariar a mediocridade que por lá campeava.

Só então, depois de fechado o pódio, deveriam "ser chamados à pedra" aqueles a quem ontem, de forma impulsiva, quase pública e a queimar as raias do amadorismo foi apontado o dedo acusador. E essa atitude deveria ser tomada apenas e só depois da "panela perder pressão" e no recato do hotel onde está instalada a delegação leonina mas, de forma inteligente e arguta, no sentido de um desejado acréscimo motivacional em que, mesmo apelando aos mais elevados valores e princípios que sempre acarretará o facto de ser envergada uma camisola carregada de honra e glória, jamais seja colocada em causa a dignidade e a honra profissionais de cada um dos visados.

Elementar, caro Bruno!...

Leoninamente,
Até à próxima

Imperdoável!!!...


Imperdoável!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 14 de janeiro de 2017

Alvalade é um clube de poetas "mortos"!...


Alvalade é um clube de poetas "mortos"!...

Leoninamente,
Até à próxima

Um dia talvez conclua que a fé não tem preço nem se compra!...


VOCÊS, OS CRAQUES MAIS IMPORTANTES

«O Benfica regista hoje uma marca histórica no seu estádio: chega ao espectador 15 milhões na Luz. Um número impressionante e que fala dos craques mais importantes do futebol português e que tantas vezes são desprezados: os adeptos. Com Luís Filipe Vieira eles começaram muito cedo a ser bem tratados. E foi construindo uma grande equipa, de futebol, na estrutura do clube e essencialmente de marketing, que as águias chegaram a este número mágico. Está de parabéns o clube e o presidente, mas essencialmente os adeptos, esse sal do futebol, tão ou mais importantes do que os golos, porque sem eles o jogo perde muito da sua magia centenária.

Passe a importância do número e respetiva festa, a equipa de Rui Vitória tem um jogo para vencer. Numa altura em que o campeonato já parece ganho, tal tem sido a superioridade encarnada esta época, o grande desafio que se coloca ao técnico encarnado é não deixar o plantel adormecer. Por várias razões. A primeira é a vantagem ser expressiva mas não ainda o suficiente para festejar. Depois, porque o perigo de abrandar é grande. A resposta da segunda equipa em Guimarães foi fortíssima, a qualidade do grupo é notória, mas é vital manter o foco. Vitória tem sido mestre a fazê-lo. 

Em Chaves o Sporting enfrenta perigos radicalmente diferentes. Os leões estão a 8 pontos da liderança, encontram um rival duríssimo, num estádio onde poucas vezes foram felizes. Para poderem continuar a acreditar só os três pontos interessam. Esta é uma semana terrível para o clube de Alvalade. Joga sempre fora de casa, tem tudo a perder e pouco a ganhar. E isto sem Jorge Jesus no banco. Tempo de esquecer os árbitros e ganhar no que mais conta, o futebol. Vai ser para homens de barba rija. É hora de os jogadores assumirem.»
(Bernardo Ribeiro, Entrada em Campo, in Record)

Bernardo Ribeiro padece de um complexo em tudo semelhante ao de um significativo naipe de católicos que, mortificado pelo terrível pecado da gula, opta pelo pagamento da bula para ultrapassar de forma tranquila e santa, o jejum e abstinência da carne em dias prescritos e proibidos pela sacrossanta rigidez canónica.

Para dizer o que o coração lhe ordena, segue os ditames da "razão da redacção" e paga antecipadamente a côngrua ao "abade da freguesia" para depois poder desfraldar a bandeira dos seus "afectos pecaminosos"!...

Na sua pura e lírica ingenuidade, nem sequer se dá conta de que o povo a que pertence há muito terá acabado por concluir que "À terra onde fores ter, faze o que vires fazer"!...

Outros lá pela "igreja" do nº 3 da Luciana Stegagno Picchio, estão-se marimbando para bulas e côngruas e, independentemente das cores dos paramentos do abade de serviço em cada "santa eucaristia", vomitam as suas "luzes intensas", "florestas de pernas", ou "enfareladas entradas em campo", sem quaisquer receios de se banquetearem com a "carne proibida"!...

Um dia talvez conclua que a fé não tem preço nem se compra!...

Leoninamente,
Até à próxima

Falta só um "danoninho" para o edifício ficar reduzido a escombros!...


SILÊNCIO DA FPF NO 'CASO DANILO'?!


«Aos 80 minutos do Moreirense-Porto para a Taça da Liga, jogo arbitrado pelo recém ‘internacional’ Luís Godinho, o árbitro expulsou Danilo e, em função das imagens disponibilizadas na transmissão televisiva, não ficara clara o motivo da amostragem do cartão vermelho. Aparentemente, o jovem árbitro, na sua corrida de recuo, havia chocado com o internacional português e, por isso, uma das hipóteses que se aventou foi a de Danilo ter proferido alguma injúria contra o juiz de campo eborense, porque do choque não parecia ter resultado nenhuma acção faltosa do médio portista.

Choveram as críticas, natural e principalmente por parte do Porto, que se sentia prejudicado com a decisão do árbitro, uma vez que a equipa estava a perder e, com 10 unidades em campo, teria mais dificuldades em operar o imperativo da reviravolta, se queria continuar em prova e alimentar a esperança de conquistar o troféu.
Estava o ‘país futebolístico’ já convencido da culpabilidade do árbitro quando o Record, nomeadamente, coloca no espaço público — através do seu site — novas imagens do lance. Tudo normal, tudo em nome do esclarecimento dos leitores/utilizadores e do apuramento da verdade.

Essas novas imagens, contudo, revelavam uma visão totalmente diferente do lance: afinal, Danilo não tinha sido ‘atropelado’ pelo recuo de Luís Godinho; o internacional português, na sequência dos protestos portistas que pediam penálti, correu na direcção do árbitro e, depois de parar, fez-lhe uma ‘parede’ no momento em que Luís Godinho, às arrecuas, chocou com ele.

Conclusão: Danilo não foi tão inocente assim e, perante estas novas imagens, configurando uma situação de ‘flagrante delito’, é evidente que não se pode esperar outra coisa senão um castigo para o ‘internacional’ português.

Com a publicitação das novas imagens, veio a segunda parte da ‘estória’. Como é que apareceram essas imagens e quem esteve na origem da sua divulgação no espaço público? A pergunta não seria muito relevante se o ‘Dragões Diário’ não tivesse contado a sua versão, acusando o gabinete de comunicação da FPF da respectiva divulgação junto de alguns órgãos de Comunicação Social, versão essa não desmentida pela FPF, como seria de esperar.

Não é grave. É gravíssimo. O Porto, através do ‘Dragões Diário’, não apenas acusa o gabinete de comunicação da FPF de ter revelado pormenores do relatório do árbitro como diz, claramente, que foi esse gabinete de comunicação a enviar as imagens para as redacções de alguns órgãos de comunicação social, com o propósito de proteger o árbitro Luís Godinho e, também, o… Benfica. Diz o ‘Dragões Diário’ que "este é mais um exemplo do monstro que controla o futebol português".

A FPF não tugiu nem mugiu. Quem cala consente. A versão do Porto podia ser apenas uma interpretação assente em factos não provados e teria um valor sempre relativo aos olhos da opinião pública. A verdade, porém, é que não se ouviu um ‘ui’ à FPF e isso dá força à versão portista.

Este silêncio da FPF é extremamente ruidoso, depois de o Porto ter suscitado a seguinte questão: "A quem interessa que a federação tome o partido do até esta semana desconhecido árbitro Luís Godinho?" E dá a resposta: "Ao Benfica, claro, que estende os tentáculos por todo o lado e quando de um lado está o Porto a verdade e os princípios não interessam para nada e há que montar uma encenação que prejudique o nosso clube".

A FPF — dizem os seus estatutos — é "uma pessoa colectiva sem fins lucrativos, de utilidade pública", que (…) "não admite qualquer tipo de discriminação" (…) e defende "o prestígio, a ética, o espírito desportivo e todos os interesses materiais do futebol". O que o Porto vem dizer é que o Benfica está a colocar determinadas figuras em lugares importantes da estrutura do futebol português - neste caso na FPF - para fazer prevalecer a sua influência, como neste exemplo em que o respectivo gabinete de comunicação se mete, por iniciativa própria, num assunto que não lhe diz minimamente respeito. O que o Porto vem dizer é que o Benfica domina o departamento de comunicação da FPF.

Neste caso, interessam-me menos as interpretações, que são subjectivas. Interessam-me os factos e o facto, não desmentido, assente na acusação do Porto, é que a FPF meteu-se num assunto que não lhe diz respeito. Um assunto que, para desmentir alegadas manobras de caciquismo clubístico, deveria ter as devidas consequências. O presidente Fernando Gomes foi convidado a tomar uma posição. Mas estará o presidente da FPF suficientemente livre para impor um regime de isenção e independência no futebol luso?! Esta é a grande questão.

NOTA - A engorda desportiva do Benfica só faz sentido com emagrecimento financeiro. Este relatório revelado pela UEFA não encerra nenhuma surpresa. Vieira e Domingos Soares de Oliveira sabem muito bem que têm de reduzir custos - e urgentemente.

O CACTO - Conselho de Arbitragem anda à nora

Não consigo entender estas reuniões entre o Conselho de Arbitragem e os clubes, a meio da época. Duvido muito da sua eficácia e elas só servem para perceber e captar todo o tipo de incongruências do próprio sistema de organização do futebol português. Depois da reunião, já todos sabemos que, independentemente das promessas de apaziguamento, tudo voltará à ‘casa de partida’ quando Benfica, Porto ou Sporting, principalmente, acharem que foram prejudicados. A ‘paz podre’ durará até ao primeiro penálti-de-queixa.

O ‘reinado’ de Pedro Proença como ‘árbitro de elite’ gerou a ilusão de que o nível da arbitragem portuguesa era alto. A falta de autocrítica no consulado de Vítor Pereira e o auto-elogio sem sentido ofereceram-nos a ideia de que o ‘edifício’ estava intacto. Pura ilusão. O sector da arbitragem portuguesa precisa de liderança forte e precisa de uma restruturação profunda.

Mais valeria a FPF assumir os desequilíbrios e dizer à UEFA: meus senhores, queremos proceder a uma profunda restruturação do sector e, enquanto ela durar, pedimos a V. colaboração no sentido de disponibilizarem para os jogos que envolvem Benfica, Sporting e Porto - aqueles que suscitam maior ruído e bloqueios vários —árbitros estrangeiros. Seria mais honesto e reduziria grande parte do ruído e das pressões. Mas já sabemos que vai continuar tudo na mesma, com promessas de melhoria. Isto assim não vai lá, até porque o Conselho de Arbitragem, ao dar opinião sobre os lances do Benfica-Sporting (e não dar sobre outros), volta a revelar uma imensa falta de bom-senso (presente em muitas nomeações), para além de acharem que somos todos burros e invisuais. Isto está bonito, está…»
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)

Falta só um "danoninho" para o edifício ficar reduzido a escombros!...

Leoninamente,
Até à próxima

Que estúpido sonho o meu!!!...


Ultrapassadas por largos minutos as doze badaladas com que o dia de ontem se despediu, entendo que já posso deixar por aqui o sonho tenebroso que me invadiu durante toda a noite passada, não fosse esta minha revelação colidir com as dificuldades económicas por que passa o diário em causa e acabar esse meu "desrespeito" por vir a ser "a crónica de uma morte anunciada"!...

Sonhei que a capa do jornal A Bola desta passada SEXTA-FEIRA 13 de Janeiro de 2017, seria qualquer coisa como a imagem que construí recorrendo ao que ficou gravado na minha memória e que acima publico. 

Afinal o Serpa Carvoeiro, com a cartilha do "orelhas" debaixo do braço, terá entendido que a melhor defesa é o ataque e vá de mandar à pressa substituir a capa prestes a entrar no prelo, pela iminente contratação pelos "benfas" do nosso valoroso central Sebastian Coates.

Que estúpido sonho o meu!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Eternamente gratos a um benfiquista!...


JÁ HÁ CAMPEÃO

«Na época passada, o campeão foi o Benfica mas muita gente disse que a melhor equipa foi o Sporting. Nesta época, porém, não há dúvidas: o Benfica é o melhor dos três grandes. Rui Vitória tem gerido o plantel com notável mestria, para cada posição há 2 jogadores, as pedras rodam mas o rendimento mantém-se. Além disso, observa-se um grande equilíbrio emocional. Mesmo quando está na mó de baixo, a equipa não se desorganiza. Parece ter sempre o jogo sob controlo.

Assim, julgo que o campeão está encontrado. Leões e dragões lutam pelo 2º lugar. O Sporting é uma sombra da última época, mas há oito dias os adeptos puderam sorrir durante 17 minutos: finalmente a equipa deu um ar da sua graça, e os reforços começaram a sair da toca. Campbell, Alan Ruiz e o inevitável Bas Dost fizeram miséria. Só que os restantes 73 minutos foram decepcionantes. Será que a tensão nervosa criada pelo presidente e pelo treinador está a passar para os jogadores e a intranquilizá-los? Cuidado!

O Porto foi a equipa que desiludiu mais os adeptos na última jornada. Porque o seu grande problema manteve-se: não consegue marcar golos. E, acrescento eu, Nuno Espírito Santo está no caminho errado: quer recuperar a mística do passado, mas isso não é possível. O passado passou – não volta. O Porto precisa de encontrar outra motivação.

Um simples facto mostra a diferença entre os grandes: no Sporting só marca Bas Dost, no Porto só marca André Silva, no Benfica marcam Gonçalo Guedes, Mitroglu, Jonas, Pizzi, Salvio, Jimenez, Cervi... Isto diz muito sobre a dinâmica colectiva.»
(José António Saraiva, Futebol à portuguesa, in Record)

José António Saraiva parece conseguir nesta crónica conciliar o inconciliável: agradar a atenienses, espartanos e troianos, se bem que aquilo que agrada a uns não será exacta e necessariamente o agrada a outros, mas o que conta nestas coisas será sempre a intenção. E o homem será, flagrantemente, bem intencionado, coitado...

Pela parte que me toca, estou-me borrifando para que já tenha feito seguir a encomenda das faixas para "os melhores do mundo e arredores" e que vá gastando o seu único neurónio  a tentar encontrar a motivação de que o Porto, segundo ele, tanto necessita. Ficarei felicíssimo de falhar!...

Quanto a nós, Sporting, gostei da "miséria" com que apelidou o trabalho de Campbel, Alan Ruiz e Bas Dost no último jogo! Mas também não me deu nenhuma grande novidade, nem terá descoberto a pólvora. Só espero e desejo que tenha muitas azias como esta e que lá para Maio se veja obrigado a fazer um transplante de... moela!...

E sobre os cuidados que recomenda ao presidente e ao treinador, só teremos que ficar...

Eternamente gratos a um benfiquista!...

Leoninamente,
Até à próxima

É uma questão de vida ou de morte, não se transparência!...


"O Sporting não está aqui para iniciar conflitos"

«... O Sporting é um clube diferente. É um clube de princípios, de valores, que não vira a cara à luta, que faz ouvir a sua voz. Um clube ambicioso, guerreiro. Mas também é um clube que não está aqui para criar conflitos. [...]

Às vezes criticam-nos por não nos mexermos nos bastidores. Claro que o Sporting também se mexe nos bastidores, como toda a gente. Mas o Sporting é muito mais do que isso. É um clube que gosta de transparência, que dá a cara...»
(Bruno de Carvalho, em visita ao Núcleo de Castelo Branco, in O Jogo)

Compreendo os objectivos que terão balizado o discurso que Bruno de Carvalho hoje terá dirigido, segundo reporta o jornal O Jogo, aos cerca de 100 adeptos presentes no Núcleo Sportinguista de Castelo Branco.

Mas tendo em conta o lodaçal em que actualmente está transformado o futebol em particular e o desporto português de forma generalizada, haverá pelo menos duas frases capitais desse discurso que me incomodaram muito significativamente:

1 - "... O Sporting sendo um clube de princípios, de valores, que não vira a cara à luta, que faz ouvir a sua voz. Um clube ambicioso, guerreiro..."

Terá de estar em permanente conflito com os "DDT's" que comandam todo este terrível "besidróglio" em que se transformou o futebol tuga!...

2 - "... O Sporting também se mexe nos bastidores, como toda a gente..."

Mas esse 'trabalho de sapa' levado a cabo pelo Sporting, não poderá ser igual ao de "toda a gente". Estará aí a razão principal pela qual o Sporting é tratado como "toda a gente", quantas vezes "abaixo de toda a gente"...
Para recuperar o tempo, a influência e o respeito perdidos, o Sporting terá de se mexer nos bastidores de forma ainda mais inteligente, arguta, sagaz, incisiva, combativa, convincente, desarmante e através de meios ainda mais sofisticados e eficazes que os utilizados pelas forças que hoje se vê obrigado, imperiosa e urgentemente, a combater!...

É uma questão de vida ou de morte, não se transparência!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

No Sporting, somos diferentes: poucos acreditam em apoios cegos!...


DECLARAÇÃO DE INTERESSES

«Votei, nas duas últimas eleições do Sporting, em Bruno de Carvalho. Mas não o apoiei publicamente. E entre o voto e o apoio há uma abissal diferença. O meu voto não vinha sem enormes receios. O seu estilo, que ainda hoje não me empolga, era quase tudo o que conhecíamos. As duas motivações para o meu voto eram negativas: Bruno de Carvalho estava bem colocado para libertar o Sporting do que foram vinte anos de ruína, pilhagem e de um projecto de elitização social do clube e não trazia com ele vícios e interesses antigos.

Hoje as coisas são diferentes. Não me arrependo por um minuto do meu voto. A situação de emergência financeira foi serenada, a dívida foi renegociada, o Sporting deixou de merecer a condescendência dos adversários, o estádio voltou a estar cheio, várias modalidades regressaram, os sócios deixaram de ser tratados como uma maçada e o clube deixou de ser tratado como activo imobiliário que por acaso também é uma associação desportiva. Faltam os títulos e sobram algumas guerras verbais inúteis. Mas o balanço é largamente positivo. E fazendo certo ou errado, Bruno de Carvalho é sportinguista dos pés à cabeça. Não se pode dizer isso de todos os antigos presidentes do clube. É por tudo isto que pela primeira vez apoio de forma formal um candidato à liderança, pertencendo à sua Comissão de Honra. A minha participação valerá pouco, mas sinto que tenho o dever de fazer aos leitores, desde já, esta declaração de interesses. Este apoio nunca calará, como nunca calou, as criticas que tenha de fazer. Não acredito em apoios cegos. Espero que Bruno de Carvalho seja reeleito mas fico satisfeito por ter oposição. Como podemos ver noutros clubes, a ausência de alternativas relaxa quem está no poder.»
(Daniel Oliveira, Verde na bola, in Record)


Mentiria se dissesse que não esperava de Daniel Oliveira aquilo que publicamente assume hoje na sua crónica "Verde na bola". Mais uma vez, falou mais alto a sua inteligência, a sua lucidez e... o seu coração!...

Mas a tremenda carga de responsabilidade que Bruno de Carvalho vai acumulando sobre os seus ombros, à medida que engrossam as fileiras daqueles que o apoiam, sejam figuras públicas de irrepreensível e insofismável projecção, sejam os mais anónimos adeptos sportinguistas espalhados por todo o mundo, começa a atingir uma dimensão que o proíbe determinante e imperativamente, de fazer "orelhas moucas" às críticas construtivas, que no meio do aplauso e satisfação gerais, milhares e milhares de sportinguistas vão tendo a coragem de afirmar.

No Sporting, somos diferentes: poucos acreditam em apoios cegos!...

Leoninamente,
Até à próxima

Impossível! É mentira! Estas gajos da UEFA são uns trampolineiros!!!...


Benfica é o clube com segunda maior dívida da Europa (LINK)

Tabela dos10 clubes europeus com maior acumulação de dívida:

1.º Manchester United – 536 milhões de euros
2.º Benfica – 336 milhões de euros
3.º Inter – 306 milhões de euros
4.º Valência – 285 milhões de euros
5.º Queens Park Rangers – 279 milhões de euros
6.º Milan – 249 milhões de euros
7.º CSKA Moscovo – 224 milhões de euros
8.º Galatasaray – 222 milhões de euros
9.º Juventus – 209 milhões de euros
10.º Roma – 208 milhões de euros

Impossível! É mentira! Estas gajos da UEFA são uns trampolineiros!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quando as obras falam em vez das palavras!...


SPORTING cp ENTRE OS CLUBES DA EUROPA QUE MAIS CRESCERAM EM ESPECTADORES (LINK)


     Clube                                                                          2014/15         2015/16       Aumento
    1. Manchester City (Ing)  
    2. Fenerbahçe (Tur) 
    3. Inter Milão (Itá) 
    4. Hapoel Beer-Sheva (Isr) 
    5. Udinese (Itá) 
    6. Nápoles (Itá) 
    7. Górnik Zabrze (Pol) 
    8. Olympique Lyon (Fra) 
    9. SPORTING (POR)
45.365
20.029
37.270
  7.711
  8.912
32.266
  2.961
34.949
34.988
 54.041
 28.589
 45.538
 15.803
 16.209
 38.760
   9.340
 40.296
 39.988
8.676
8.560
8.268
8.092
7.297
6.494
6.379
5.347
5.000

Quando as obras falam em vez das palavras!...

Leoninamente,
Até à próxima

O Sporting "bufa e paga" e o Benfica "paga e NÃO bufa"!...



Não, não é um "flop" não senhor! É mais um negócio das arábias para a Doyen do Nélinho Lucas! (LINK) 

A grande diferença entre o Sporting e o Benfica, nem estará no valor das perdas e prejuízos acumulados por cada um, que por sinal até andarão muito próximos. A diferença estará apenas na palavra NÃO...

O Sporting "bufa e paga" e o Benfica "paga e NÃO bufa"!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quem não percebe nada de "vouchers" é o TAD e o Ministério Público!...



De andebol percebem os árbitros, a APAF, o Conselho de Arbitragem e os jornalistas avençados! Valha a verdade dizer que também percebem de "vouchers"!...

Quem não percebe nada de "vouchers" é o TAD e o Ministério Público!...

Leoninamente,
Até á próxima

"Sendo assim, até à próxima"!...


ENTÃO, ATÉ À PRÓXIMA

«Os clubes das competições profissionais marcaram presença numa reunião extraordinária exclusivamente dedicada à temática da arbitragem. Independentemente da paternidade da iniciativa (o Conselho de Arbitragem foi quem se chegou à frente), releva-se o facto de o encontro ter sido promovido e nele terem marcado presença quase todos os clubes. Da 1ª Liga, por exemplo, só faltou o Nacional.

A vontade de esclarecer e o espírito aberto do CA são louváveis. Era de esperar que aqueles que mais têm protestado se fizessem representar ao mais alto nível para reforçarem as suas posições. Ainda assim, Bruno Mascarenhas bateu-se como um leão, enquanto os dragões João Pinto e Jaime Teixeira limitaram-se a fazer figura de corpo presente.

O resultado parece ter agradado a todos. Ao CA, porque teve a oportunidade de explicar muita coisa; aos clubes, porque deram conta das suas apreensões e ficaram a saber alguns ‘pormaiores’ que aparentemente desconheciam – por exemplo, que as actuações dos árbitros são altamente escrutinadas e que, para tal, é preciso haver observadores e comissões de revisão de notas . Importante é que, no final ficou, mais do que a sensação, a convicção de que todos se empenharão por um clima mais pacífico e menos contestatário. Resta saber até quando sobrevive este tácito entendimento que é bonito registar mas que, perdoem-me a sinceridade, é difícil acreditar que seja duradoiro. 

Assim como as decisões erradas dos árbitros na última jornada do campeonato provaram que os erros são comuns e acontecem para ‘os dois lados’, também ninguém pode garantir que a próxima ronda não volte a criar agitação e polémica que nem mesmo a promessa de uma nova sessão de esclarecimento ajudará a atenuar. Sendo assim, até à próxima.»

"Ainda assim, Bruno Mascarenhas bateu-se como um leão"!...

Dos outros, ou "limitaram-se a fazer figura de corpo presente", ou então, com a merda a aflorar-lhes os lábios limitaram-se convictos e com um sorriso cínico a murmurar baixinho: não façam ondas!...




"Sendo assim, até à próxima"!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Sportinguista castrado, não!...


A CULPA É DO BENFICA E DE VITÓRIA

«Nas últimas semanas a discussão sobre o futebol em Portugal tem estado centrada na velha questão dos árbitros e das arbitragens. Porto e Sporting, em perda no campeonato e já fora de outras competições, queixam-se da mão pouco invisível que embala o Benfica. Não vale a pena dizer que não têm razões, mas será um exagero dizer que têm razão e que os árbitros levaram o Benfica ao ponto onde está nas diferentes provas – e para já o clube tem todas as frentes nacionais e frente europeia em aberto.

Mais: é o favorito na Liga, é o favorito na Taça da Liga, tem um sorteio favorável na Taça de Portugal e, na Liga dos Campeões, correndo por fora, até pode chegar longe.

Há muito mérito da organização – a agora famosa estrutura – nestes resultados. Até por contraponto com os rivais onde impera alguma desorientação. Porto e Sporting são clubes sobre brasas, envolvidos em polémicas internas e externas. O Benfica vive uma paz responsável, longe da confusão, focado nos objectivos, com prioridade para o negócio e para o crescimento do clube e da SAD. Parecendo que essa paz nada tem a ver com o futebol, não é verdade. Os jogadores, mesmo sendo estrangeiros muitos deles, não são imunes ao clima de guerrilha, às notícias de jornais, aos restaurantes vandalizados, aos Ferraris que não podem ser vermelhos. Tudo conta.

Há também o futebol propriamente dito. Durante uma parte da época discutiu-se quem, de Sporting e Porto, jogaria melhor. O Benfica não entrava nessa equação. Reconhecia-se à equipa organização, pragmatismo e uma forma até cínica de encarar os jogos. Para usar um termo dos tempos modernos o Benfica era (e é) uma equipa resultadista.

Estando nós na segunda metade da época, e estando tudo em aberto nas duas competições internas mais importantes – Liga e Taça –, é de elementar justiça sublinhar que o Benfica tem sido mais consistente. Que fez, como na época passada, das fraquezas forças, que tem ultrapassado com distinção a onda de lesões que atingiu grande parte do plantel, que encontrou soluções onde se viam problemas com impacto.

E que fez tudo isso com grande serenidade e sob a direcção firme, sem nunca perder o rumo, sem alterar o discurso, de Rui Vitória. O treinador pode ser hoje uma peça da máquina e não o centro das atenções. Não precisa. Os que questionavam não as suas qualidades, mas o seu estilo de liderança (fui um deles) devem reconhecer que Vitória, mesmo num contexto excepcionalmente favorável, está a fazer um bom trabalho. Por este caminho, no fim, terá razões para sorrir.


As razões de um apoio

Aceitei o convite que Bruno de Carvalho me fez para fazer parte da Comissão de Honra da sua recandidatura à presidência do Sporting. Sou um entre muitos sportinguistas. É um apoio convicto, mas não é um cheque em branco. No espaço público fui uma das pessoas que de forma mais contundente critiquei Bruno de Carvalho. Com razão na maioria das vezes, com excesso e sem toda a informação numa ou noutra. Fi-lo de acordo com as minhas convicções e porque sou, foi assim que aprendi com o meu pai quando em miúdo comecei a ir a Alvalade, um homem livre. Ser do Sporting é também expressarmos livremente o que pensamos. Nunca neguei méritos ao presidente em muitos domínios, do reposicionamento à área financeira. Está documentado. Desejo que continue porque considero que é o melhor para o Sporting. Que faça um mandato melhor, mais sereno, não traindo a sua natureza. Aqui estarei, firme no apoio e vigilante na minha condição de adepto. 

FIFA 

Em tese, um Mundial com 48 países parece um albergue espanhol, bom para o negócio mas mau para a competição em si. Mas convém ver com olhos de ver e não apenas com as lentes e mentes da velha Europa. Não haverá mais dias de competição, por exemplo. A equipa que vai ganhar a competição terá o mesmo número de jogos que tem hoje. Depois de uma oligarquia que deu no que deu, a FIFA é agora liderada por um dirigente da nova vaga que merece o benefício da dúvida. 

RTP

Estão os criativos dos canais de TV impedidos de expressarem a sua criatividade? Não, com toda a certeza. Estarão os clubes acima da crítica? Menos ainda. Dito isto é bom dizer que o spot produzido pela RTP que o Sporting contesta é um exercício não apenas de mau gosto (e aí cada um tem o seu). É totalmente desnecessário num momento de confronto – com árbitros com polícia à porta. É, pois, uma irresponsabilidade.»
(Nuno Santos, Ângulo Inverso, in Record)


Considero a habitual crónica "Ângulo Inverso" de Nuno Santos, publicada há pouco mais de duas horas, apesar de extensa e abrangente, uma das melhores que tive o privilégio de dele ler.

Sobre o momento actual do Benfica, Nuno Santos revela a faceta que há muito deu a conhecer a quem o aprecia, lote no qual me incluo com convicção e satisfação: contra factos não há argumentos e a crónica apenas aborda factos.

Só os néscios vestidos de escarlate não admitirão que, como as pombas, por debaixo das penas das águias não se esconde muita imundície! Nuno Santos nem sequer se detém nessa análise. Pensará e bem, a meu ver, que é matéria que deve apenas dizer respeito às competentes instâncias da Justiça, seja ela federativa ou de ordem superior. Mas quando assistimos a um primeiro-ministro preso preventivamente durante um ano e sem culpa formada há mais de três, o que esperam que se faça a este futebolzinho mafioso?!...

De relance, Nuno Santos passa pela recente decisão unânime da FIFA de passar a contar com 48 equipas nos mundiais que se disputarem a partir de 2026, para com argumentos de peso dar o benefício da dúvida a Gianni Infantino. Também julgo que será a posição mais prudente. Veremos...

A seguir NS toca ao de leve na "sacrossanta" RTP, para "gabar" aos responsáveis pela "cozinha e serviço" do famigerado vídeo de afrontamento a Bruno de Carvalho e ao Sporting, pelo mau gosto e pela irresponsabilidade. Fala quem conhece aquela casa como ninguém conhecerá melhor!...

Finalmente, a matéria mais interessante de toda a crónica: "as razões de um apoio"!...

Afirmando-se um homem livre e sem esconder afectos ou desencontros e recusando liminarmente passar cheques em branco seja a quem for, aí o temos, convictamente, ao lado de Bruno de Carvalho, "desejando que continue porque considera que é o melhor para o Sporting e que faça um mandato melhor, mais sereno, não traindo a sua natureza e prometendo que aqui estará, firme no apoio e vigilante na sua condição de adepto".

Muitos sportinguistas já por aqui o acusaram de tudo! Até de benfiquista, imagine-se! Apenas porque recusa ser "ajudante de missa" e não negoceia a sua dignidade ou a sua liberdade de crítica, nem alguma vez se sujeitará a ser refém de ninguém, cante a sereia o mais belo canto que alguma vez foi ouvido!...

Este é o sportinguismo que também a mim me enche a alma e me faz sentir orgulhoso da minha leoninidade!...

Sportinguista castrado, não!...

Leoninamente,
Até à próxima

Não é Jorge Jesus?!...



"MESMO CONTRA OS ÁRBITROS"

«Quando José Maria Pedroto regressou ao Porto, em 1976, trazia a vontade de devolver ao seu clube do coração o título de campeão. Conseguiu-o em dois anos seguidos, após a primeira época de ambientação. Então, o Benfica dominava o futebol português, e por isso, naturalmente, os árbitros eram mais complacentes com os encarnados. Os comandados de Pedroto venceram, como exigia o Mestre, "mesmo contra os árbitros". 

Foi mesmo contra os árbitros que o Benfica iniciou a sua caminhada para aquilo que começa a afigurar-se como uma nova era de hegemonia das águias. Não adianta tapar o sol com o apito – os leões e os dragões devem olhar para o que estão a fazer de errado, antes de entregarem os árbitros, como dócil móbil da derrota, aos seus jogadores, técnicos e adeptos. Porto e Sporting estão a falhar muitos golos, não chegam com fluidez à linha de fundo. A bola não corre com a velocidade devida pelos espaços ideais. Os milhões investidos em reforços ainda não rendem juros.

Muito mais nas fraquezas próprias do que na incompetência dos árbitros se encontra a razão destes dois grandes estarem eliminados da Taça da Liga, o Porto também da Taça de Portugal, e ambos longe do Benfica na tabela do campeonato. Ontem, assistiu-se a mais uma demonstração de bom futebol feita pelos benfiquistas, no difícil terreno de Guimarães. Com a arbitragem de um sobrevivente do ‘Apito Dourado’, o Benfica dominou, falhou golos, até um penálti, e marcou por duas vezes, em jogadas simples e eficazes.

Só o Benfica poderia ter vencido mais este jogo. E o árbitro Carlos Xistra não precisou de ter nada a ver com isso.»
(Octávio Ribeiro, De olhos na bola, in Record)

Ás vezes precisamos de um abanão forte para acordarmos!...

Não é Jorge Jesus?!...

Leoninamente,
Até à próxima

O Sporting parece recuperar da letargia!...


DADOS PESSOAIS

NOME: Merih Demiral
DATA DE NASCIMENTO: 1998-03-05(18 ANOS)
PAÍS DE NASCIMENTO:   Turquia
NACIONALIDADE:   Turquia
NATURALIDADE: Kocaeli
PÉ PREFERENCIAL: Esquerdo
ALTURA/PESO: 190 cm/83 kgs
POSIÇÃO: Defensa Central
CLUBE ANTERIOR: Alcanenense (2016/17)
CLUBE ACTUAL:   Sporting CP

Segundo o que é avançado por alguma imprensa (LINK), o Sporting CP chegou a acordo com o Alcanenense para o empréstimo até final da presente época, com direito de opção, do jovem e possante defesa central turco Merih Demiral, que desde o início da presente época alinhava naquele clube do Campeonato de Portugal.

Internacional turco em todas as camadas jovens, envergou por 17 vezes a camisola da sua selecção, tendo apontado dois golos e chamado a atenção pelo talento e espírito competitivo.

Ainda com idade de Junior A (U19), tudo aponta para que comece por debutar na Academia sob a batuta de Tiago Fernandes, sendo bastante provável que ainda no decorrer desta época venha a fazer parte do plantel às ordens de João de Deus.

O Sporting parece recuperar da letargia de um passado recente!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sporting, porque não aprendes?!...


FEDERAÇÃO DECIDE A Favor do DO SPORTING NO CASO NÉLSON ÉVORA (LINK)


Engraçado como neste caso "falaram as obras ante o silêncio das palavras"!...

Sporting, porque não aprendes?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quem se mete com o Sporting, leva!!!...




Bom, a RTP estava mesmo a pedi-las. O vídeo é inclassificável! Mas será que o extensíssimo arrazoado da "saraivada" de hoje, mai-las denúncia à ERC e solicitação de reunião "urgente" com tantos "presidentes" vai dar em alguma coisa que não sejam "águas de bacalhau"?!...

Não seria melhor "cessarem as palavras e falarem as obras"?!...

E será que cairia a Torre Vasco da Gama se o Sporting CP emitisse um comunicado neste sentido:

"Face ao tratamento inclassificável por parte da RTP para com o Sporting CP, enquanto a estação não apresentar um repetido pedido público de desculpas, igual no tempo e no modo com que colocou no ar o vídeo promocional, fica a partir de hoje declarada "persona non grata" no estádio José Alvalade e em todas as instalações propriedade ou sob a responsabilidade do Sporting CP!..."

Quem se mete com o Sporting, leva!!!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE